Pai de Rosa Grilo constituído arguido por suspeita de favorecimento pessoal

1

António Pedro Santos / Lusa

Rosa Grilo

O pai de Rosa Grilo, Américo Pina, foi esta quarta-feira constituído arguido num segundo processo relacionado com a morte do triatleta Luís Grilo.

Segundo o jornal Público, a notícia foi confirmada por fonte próxima do processo, que adiantou que Américo Pina também está indiciado num segundo processo. É acusado de crimes de posse de arma proibida, favorecimento pessoal, posse de arma proibida e simulação de crime.

O novo processo, que deve decorrer em paralelo ao inicial, que investiga responsabilidades na morte de Luís Grilo, prende-se com a alegada manipulação de provas no local onde o Ministério Público diz que o triatleta terá sido assassinado pela então esposa, Rosa Grilo, e pelo amante desta, António Joaquim.

Neste segundo processo, são também arguidos o consultor e ex-inspetor da Polícia Judiciária, João de Sousa, e a advogada de Rosa Grilo, Tânia Reis. Estes dois intervenientes – que compõem a defesa da viúva do triatleta – são suspeitos de terem “plantado” uma bala na banheira da casa de banho na casa onde vivia o casal, nas Cachoeiras, no concelho de Vila Franca de Xira.

João de Sousa disse em declarações ao Público que já tinha pedido “há três meses” para ser constituído arguido neste processo, alegando que é “um atentado ao regime democrático” a constituição da advogada de Rosa Grilo como arguida.

Para o antigo inspetor da PJ, a surpresa “não é o pai ser constituído arguido, até porque ele tinha acesso à casa. A minha indignação prende-se com a advogada, ao abrigo do dever de patrocínio, ser constituída arguida”.

Entretanto, Rosa Grilo foi condenada a pena de prisão máxima pela morte do marido. António Joaquim, o seu amante, permanece em liberdade, depois do Tribunal da Relação ter revertido a decisão de primeira instância de absolvição e de o ter condenado a uma pena de 25 anos de prisão pelo homicídio de Luís Grilo.

  ZAP //

1 Comment

  1. Pensam que “passam a perna”, mas a nossa Polícia Judiciária é muito boa. Os Juízes é que, depois, nem sempre agem de conformidade (é pena e pouco gratificante para tanto trabalho e tantos custos para o erário público).

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.