“Castores” de volta à Europa? Paços soma série de cinco vitórias e quinto lugar na Liga

Estela Silva / Lusa

Pepa operacionalizou uma verdadeira revolução na forma de jogar do Paços de Ferreira. Os ‘castores’ deram continuação a uma série histórica de vitórias e ocupam o quinto lugar do campeonato.

Longe vão os tempos do Paços de Ferreira de Paulo Fonseca, que terminou a época 2012/13 num histórico terceiro lugar do campeonato. Na temporada seguinte, a equipa perderia nos playoffs de acesso à Liga dos Campeões, mas a presença na Liga Europa foi uma consolação que os pacenses aceitaram de bom grado.

Agora, o Paços de Ferreira volta a fazer sonhar os adeptos com uma presença nas competições europeias. O emblema da Capital do Móvel está no quinto posto da Liga NOS, a apenas dois pontos do SL Benfica, leva uma série inédita de cinco vitórias consecutivas e está sem perder há sete jogos.

A 5.ª vitória consecutiva é história, é o que fica e está para trás. Olhamos para isso com muito orgulho, mas não temos tempo para pensar nisso. É uma marca que não é fácil de alcançar, enche-nos de orgulho, mas não temos tempo de pensar nisso porque daqui a três dias jogámos com o Tondela. Somos uma equipa que hoje vestiu o fato macaco, que dá gosto, que sabe sofrer, sabe ter bola. O nosso discurso e a nossa mentalidade passa por aí, continuar nesta senda e manter este registo”, disse o técnico pacense, Pepa, no final do jogo com o Gil Vicente, que terminou com uma vitória por 2-1.

O Paços de Ferreira não é propriamente uma equipa recheada de estrelas, mas faz bom uso da qualidade do seu plantel. Douglas Tanque, por exemplo, tem sido uma verdadeira referência no ataque do clube nortenho. O camisola 99 leva sete golos marcados, depois de ter estado de pé quente no início da temporada.

Jogadores como João Amaral, Luther Singh, Stephen Eustáquio, Bruno Costa, Luiz Carlos e Pedro Rebocho também têm sido figuras de destaque no conjunto de Pepa.

Eustáquio tem sido associado ao FC Porto, que também já equacionou trazer Bruno Costa de volta ao clube. Os dois centro-campistas têm sido fundamentais na construção de jogo e na qualidade da pressão exercida pela equipa.

https://twitter.com/_Goalpoint/status/1356914055475306497

Ainda antes do jogo com o Gil Vicente, o treinador dos gilistas reconheceu a qualidade da pressão alta e o bom momento de forma da equipa. Para Ricardo Soares, o Paços de Ferreira distingue-se pela capacidade de entender “muito bem os vários momentos do jogo”, com jogadores capazes de “pressão alta” num momento e de jogarem em “bloco baixo passados dois ou três minutos”, com “coesão defensiva”.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.