Pacemakers e bombas de insulina podem ser hackeados remotamente

Lucien Monfils / Wikimedia

Radiografia de um paciente com um pacemaker

Radiografia de um paciente com um pacemaker

Uma empresa de segurança de dados alerta para a importância dos dispositivos usados na saúde apostarem na segurança e design dos produtos.

A empresa de segurança de dados alemã G Data adverte para as implicações que a digitalização no setor da saúde pode acarretar.

É que além de oferecer, obviamente, claras vantagens, há que ter em mente que “alguns dos sistemas usados nas tarefas médicas podem não ser suficientemente seguros“.

A G Data dá o exemplo de há um par de anos, quando um investigador desativou a ventilação de um dispositivo de anestesia que se encontrava ligado à rede devido ao facto de este estar suportado num standard de segurança antigo.

A empresa diz ainda terem sido descobertas bombas de insulina vulneráveis à administração remota de doses incorretas, inclusivamente letais.

Mais recentemente, realça a G Data, foi descoberto um problema com os transmissores dos pacemaker “que permitiam verificar o status do aparelho e a sua configuração de forma remota”, com a única exigência de que o paciente estivesse fisicamente nas proximidades de ação do transmissor”.

O que significa que um dispositivo fundamental para a vida como um pacemaker pode ser pirateado. Alguém mal intencionado pode reconfigurar e alterar o seu funcionamento, ou mesmo causar falhas.

Pacemaker, ou marca-passo, é um dispositivo médico implantado no coração que regula os batimentos cardíacos através de um estímulo elétrico emitido quando o número de batimentos num certo intervalo de tempo está abaixo do normal

Por isso, os especialistas alertam que a segurança informática é um elemento essencial para o desenho de dispositivos médicos.

“Está muita coisa em em jogo: a reputação do fabricante pode sofrer danos importantes se ocorrerem falhas de segurança nos seus produtos”, disse a G Data. “Mas muito mais importante é a vida dos pacientes que confiam nesses dispositivos para sobreviver, no sentido literal da palavra”.

Outra ameaça é a utilização do ransomware nos hospitais, com potencial para chantagear e desativar certos sistemas fundamentais para a sobrevivência dos pacientes caso o resgate não seja pago.

A solução? Fomentar a colaboração entre a indústria de segurança e os fabricantes de aparelhos de saúde.

“É de vital importância para a segurança do paciente que esses dispositivos médicos visem a segurança by design. Ou seja, que essa segurança faça parte da essência do dispositivo e esteja presente desde o momento em que este é apenas um conceito, tão importante como a função que realiza e para a qual foi projetada”, defende a G Data.

A empresa de segurança também aposta em métodos de avaliação rigorosos e processos de certificação mais velozes do que os atuais, que às vezes demoram anos a ocorrer.

// B!T

PARTILHAR

RESPONDER

Há gelo no polo sul da Lua e pode ter muitas fontes

Um novo estudo sugere que o gelo encontrado na superfície lunar pode ter milhares de milhões de anos, além de ter surgido de diferentes fontes. O estudo, publicado recentemente na Icarus, sugere que a maioria do …

A Evolução mostra que podemos ser a única forma de vida inteligente no Universo

As reduzidas probabilidades que acompanham a nossa evolução ao longo da história podem ser uma pista que talvez sejamos a única forma de vida inteligente no Universo. Será que estamos sozinhos no Universo? Tudo se resume …

A China está a usar a educação como arma para controlar o Tibete

A China quer obrigar crianças tibetanas a abandonarem as escolas da região e mudarem-se para escolas chinesas. O objetivo, segundo uma especialista, é "tirar o tibetano da criança". A batalha geopolítica entre a China e o …

Revelada explosão violenta no coração de um sistema que alberga um buraco negro

Uma equipa de astrónomos, liderada pela Universidade de Southampton, usou câmaras de última geração para criar um filme com alta taxa de quadros de um sistema com um buraco negro em crescimento e a um …

"É altura de dizer basta". Sporting corta com as claques

O Sporting rescindiu “com efeitos imediatos” os protocolos que celebrou em 31 de julho com a Associação Juventude Leonina e com o Diretivo Ultras XXI – Associação, anunciou hoje o clube, devido à “escalada de …

Poluição atmosférica associada a abortos espontâneos

Elevados níveis de poluição atmosférica foram associados a abortos espontâneos num estudo feito com mulheres grávidas a viver e trabalhar em Beijing, na China. A China é um dos países que mais sofre com a poluição …

Empresas espanholas dominam obras públicas na ferrovia

As empresas espanholas dominam as obras públicas na ferrovia em Portugal, ascendendo a sua quota a 70%, avança o Expresso na sua edição deste sábado. Para presidente da Associação de Empresas de Construção e Obras …

Cada vez mais mulheres denunciam abusos médicos durante o parto

Um número crescente de mulheres tem vindo a denunciar casos de abuso durante o trabalho de parto. No entanto, pouco está a ser feito para mudar isto. Durante o parto, as mulheres ficam numa posição vulnerável …

Já podemos explorar "Melckmeyd", naufrágio holandês do século XVII

Nas profundezas do Oceano Atlântico, perto da costa da Islândia, encontram-se os destroços de um navio holandês que afundou há 360 anos, no qual agora podemos "mergulhar" graças a uma experiência de realidade virtual. Quando a …

Os furacões podem provocar atividade sísmica tal como um terramoto

Uma equipa de cientistas descobriu um novo fenómeno geofísico no qual furacões ou fortes tempestades podem produzir vibrações no fundo do oceano tão fortes quanto um terramoto de magnitude 3.5. "As tempestades, furacões ou ciclones extratropicais …