Pacemakers e bombas de insulina podem ser hackeados remotamente

Lucien Monfils / Wikimedia

Radiografia de um paciente com um pacemaker

Radiografia de um paciente com um pacemaker

Uma empresa de segurança de dados alerta para a importância dos dispositivos usados na saúde apostarem na segurança e design dos produtos.

A empresa de segurança de dados alemã G Data adverte para as implicações que a digitalização no setor da saúde pode acarretar.

É que além de oferecer, obviamente, claras vantagens, há que ter em mente que “alguns dos sistemas usados nas tarefas médicas podem não ser suficientemente seguros“.

A G Data dá o exemplo de há um par de anos, quando um investigador desativou a ventilação de um dispositivo de anestesia que se encontrava ligado à rede devido ao facto de este estar suportado num standard de segurança antigo.

A empresa diz ainda terem sido descobertas bombas de insulina vulneráveis à administração remota de doses incorretas, inclusivamente letais.

Mais recentemente, realça a G Data, foi descoberto um problema com os transmissores dos pacemaker “que permitiam verificar o status do aparelho e a sua configuração de forma remota”, com a única exigência de que o paciente estivesse fisicamente nas proximidades de ação do transmissor”.

O que significa que um dispositivo fundamental para a vida como um pacemaker pode ser pirateado. Alguém mal intencionado pode reconfigurar e alterar o seu funcionamento, ou mesmo causar falhas.

Pacemaker, ou marca-passo, é um dispositivo médico implantado no coração que regula os batimentos cardíacos através de um estímulo elétrico emitido quando o número de batimentos num certo intervalo de tempo está abaixo do normal

Por isso, os especialistas alertam que a segurança informática é um elemento essencial para o desenho de dispositivos médicos.

“Está muita coisa em em jogo: a reputação do fabricante pode sofrer danos importantes se ocorrerem falhas de segurança nos seus produtos”, disse a G Data. “Mas muito mais importante é a vida dos pacientes que confiam nesses dispositivos para sobreviver, no sentido literal da palavra”.

Outra ameaça é a utilização do ransomware nos hospitais, com potencial para chantagear e desativar certos sistemas fundamentais para a sobrevivência dos pacientes caso o resgate não seja pago.

A solução? Fomentar a colaboração entre a indústria de segurança e os fabricantes de aparelhos de saúde.

“É de vital importância para a segurança do paciente que esses dispositivos médicos visem a segurança by design. Ou seja, que essa segurança faça parte da essência do dispositivo e esteja presente desde o momento em que este é apenas um conceito, tão importante como a função que realiza e para a qual foi projetada”, defende a G Data.

A empresa de segurança também aposta em métodos de avaliação rigorosos e processos de certificação mais velozes do que os atuais, que às vezes demoram anos a ocorrer.

// B!T

PARTILHAR

RESPONDER

Nona Sinfonia de Beethoven revela novos detalhes sobre o cérebro humano

A Nona Sinfonia de Ludwig van Beethoven, 250 anos após a sua criação, ajudou a demonstrar a existência de células conceituais no cérebro. Quase 200 anos depois da morte de Beethoven, a maior obra do músico …

Governo vai suspender devolução dos manuais escolares

O ministro da Educação informou hoje que o Governo vai suspender a devolução de manuais escolares, em curso desde 26 de junho, cumprindo a decisão do parlamento, que aprovou uma proposta nesse sentido. O plenário da …

Cuba prestes a abrir portas ao turismo (exceto aos cubano-americanos)

Depois de fechar as suas fronteiras para os turistas no final de março por causa da pandemia da covid-19, Cuba prepara-se agora para reabrir várias das suas baías ao turismo - mas há algumas exceções. …

Cidade do México enterrou os rios para prevenir doenças, mas a covid-19 resiste e prospera

Na tentativa de evitar a disseminação de doenças como a malária e a cólera, a Cidade do México enterrou os seus rios. Agora, como consequência, criou inadvertidamente as condições necessárias para a covid-19 prosperar. A Cidade …

Descoberto sistema de túneis da I Guerra onde estarão enterrados dezenas de soldados

A Agência do Património da Bélgica anunciou esta semana a descoberta de um sistema de túneis alemão da I Guerra Mundial, onde estarão, muito provavelmente, dezenas de soldados enterrados. Em comunicado, citado pela Russia Today, …

Cinco funcionários da Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia

Cinco funcionários da produtora automóvel Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia, avança o The Washington Post. De acordo com o jornal norte-americano, foram cinco os colaboradores dispensados da …

"Qual o lugar mais seguro?". Costa compara infetados no Reino Unido e Algarve

O primeiro-ministro apresentou hoje uma tabela que mostra o Reino Unido muito acima do Algarve em número de infetados com covid-19 por cem mil habitantes e pergunta qual o lugar mais seguro para umas férias …

Azul anuncia venda de 6% da TAP ao Estado por 10 milhões de euros

A companhia aérea brasileira Azul, de David Neeleman, anunciou hoje a venda de 6% da TAP, no âmbito do acordo anunciado esta quinta-feira entre o Estado e os acionistas privados, que “garante a continuação” da …

NASA cria dispositivo que o avisa para não tocar no rosto (e pode ser reproduzido em casa)

A pensar na pandemia, a NASA desenvolveu o PULSE, um colar vibratório que nos alerta se formos tocar no rosto com as nossas mãos. A pandemia de covid-19 alastrou pelo mundo e, enquanto não chega um …

Há mais 11 mortes e 374 novos casos de infecção (300 são na Grande Lisboa)

Portugal regista hoje mais 11 mortos devido à doença covid-19 do que na quinta-feira e mais 374 infectados, dos quais 300 na Região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo o boletim da Direcção-Geral da …