Afinal, o misterioso Oumuamua não é um asteróide

ESA / M. Kornmesser / European Southern Observatory

Impressão de artista do primeiro asteróide interestelar: Oumuamua.

O primeiro objeto interestelar que atravessou o Sistema Solar no final de 2017 continua a surpreender os astrónomos. O asteróide, com forma de charuto e batizado como Oumuamua, era, afinal, um cometa.

Quando os investigadores viram o objeto interestelar pela primeira vez, não conseguiram identificar uma cauda ou coma – a nuvem de gelo e poeira característica dos cometas – e, por isso, classificaram-no com um asteróide.

No entanto, o facto de não apresentar estas características não explicava de forma satisfatória o comportamento do asteróide Oumuamua – que significa “mensageiro de muito longe que chega primeiro”, em havaiano.

Os cientistas estudam agora a possibilidade de este corpo celeste ser, na verdade, um cometa que levava informações valiosas sobre sistemas planetários distantes.

O objeto interestelar foi descoberto no dia 19 de outubro de 2017 por Rob Weryk, do Instituto de Astronomia da Universidade do Havai. Com o seu colega Marco Micheli, o cientista percebeu que o objeto se movia muito rapidamente – a uma velocidade suficiente para evitar ser capturado pela força gravitacional do Sol -, seguindo uma trajetória excêntrica.

A sua velocidade e trajetória indicavam que o corpo se tinha originado num sistema planetário que orbita em torno de outra estrela que não o Sol. E, segundo a análise de uma equipa de pesquisadores liderada por Micheli, parte da aceleração observada no objeto está ligada ao efeito do calor do Sol sobre a sua superfície gelada.

Os cometas são compostos por rocha e gelo e formam-se em áreas frias o suficiente para a água se manter congelada. Ou seja, no nosso Sistema Solar, os cometas estão quase tão longe do Sol quanto Júpiter. Já os asteróides, em sentido oposto, são objetos rochosos que orbitam principalmente num cinturão entre Marte e Júpiter.

O Oumuamua não é o único caso de um corpo celeste que causou dúvidas na sua classificação como asteróide ou cometa.”Há uma linha cada vez mais ténue entre os dois, já que estamos a encontrar objetos semelhantes a cometas no principal cinturão de asteróides”, disse Sara Russell, professora do Museu de História Natural de Londres.

Por que é tão importante a diferença?

Como é o primeiro visitante de um outro sistema solar que não o nosso, o cometa poderá ajudar-nos a compreender mais sobre sobre como se formam os planetas.

“Os cometas formaram-se provavelmente em regiões periféricas de outros sistemas planetários, então talvez possam escapar da gravidade da sua estrela-mãe e entrar no espaço interestelar com mais facilidade do que um asteróide”, disse Russell à BBC News.

“O Oumuamua – e outros viajantes interestelares que podem visitar o nosso Sistema Solar – podem dar-nos algumas pistas excelentes sobre a natureza e composição de outros sistemas planetários. Finalmente, estes objetos podem mostrar-nos se o nosso Sistema Solar é único, ou se é um dos muitos sistemas habitáveis na nossa nossa galáxia”.

O objeto celeste ficou visível através de telescópios terrestres durante cerca de dois meses e meio, após a sua descoberta. De acordo com Micheli, o cometa foi visto pela última vez pelo Telescópio Espacial Hubble no início de 2018, tendo mostrado ter um comprimento pelo menos duas vezes maior que a sua largura.

Esta diferença entre largura e comprimento foi apontada como a maior já observada em qualquer asteróide ou cometa visto no Sistema Solar. Os cientistas continuam a trabalhar nas informações recolhidas pelo cometa mas, não teremos a oportunidade de ver Oumuamua de novo.

Uma investigação publicada em março apontava que o objeto rochoso provinha de um sistema binário, ou seja, ao contrário do nosso Sol, o corpo teria duas estrelas em órbita de um centro comum.

ZAP // BBC

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. Ontem era, hoje já não é…..Afinal, astrónomos e cientistas são um bando de ignorantes, ou então um grupo de pessoas alarmistas, inconscientes, inconstantes e de juízos precipitados sem rigor científico. A agricultura está a precisar de gente.

    • A ciência não é uma religião. O conhecimento não é estático e vai sendo atualizado à medida que as evidências, a favor ou contra, vão surgindo. Compreende Sousa?

      • Ainda há quem se dê ao trabalho de responder, puxando pelos seus galões, e também há quem não entenda a ironia dos comentários aqui produzidos, que mais não servem do que provocar e agitar a cabeça de quem não tem mais nada para fazer. Lamenta-se apenas que pessoas tão inteligentes e dotadas percam o seu tempo neste passatempo inútil e solitário. Fui.

        • Ó Sousa,
          É graças à ciência que o Sousa tem os meios tecnológicos para vir aqui mostrar a sua arrogância e estupidez! … e ninguém aqui puxou de galões!

          • É pá, ninguém sabia, que conclusão brilhante. Estúpido e arrogante és tu, ninguém duvida pela tua resposta. Não deves ter mais nada que fazer para além de vires para aqui dar lições da treta num espaço onde iluminados e palhaços como tu são bem vindos, para podermos ficar com uma ideia mais precisa da quantidade de idiotas desocupados que prolifera neste País. Arranja uma vida.

            • Ó Sousa Pela quantidade de mensagens, em vários dias, vê-se claramente que trabalhas muito… Sabes… a agricultura está a precisar de gente… Já dizia o Sousa… Veloso lol

          • Caro Januário, atendendo à educação demonstrada e sólidos argumentos expostos pelo comentador em questão, creio que ficou claro aquilo que se pretendia clarificar.
            Cumprimentos

  2. A humanidade é um conjunto de seres humanos ….. selvaticamente agredindo-se, maltratando-se, destruindo–se a pretexto de raças , cores, religiões , petróleo …. etc.
    Ninguém sabe descodificar os sentimentos que povoam o firmamento interior de cada humano.
    Vivemos neste planeta de fantoches iluminados , onde fazem muita falta panorâmicos espelhos de cristal onde a maneira como cada um se conduz dispensa o cartão de cidadão.

RESPONDER

Feitos de estrelas. Os nossos ossos são compostos por estrelas que explodiram

Uma nova investigação concluiu que metade do cálcio do nosso Universo é oriundo de uma supernova rica em cálcio, que explodiu há milhões de anos. O novo estudo, cujos resultados foram esta semana publicados na revista …

"Monarquia criminosa". Parlamento declara Catalunha republicana e não reconhece o rei

O Parlamento catalão aprovou esta sexta-feira uma resolução na qual declara que “a Catalunha é republicana e, portanto, não reconhece nem quer ter um rei”, rotulando a monarquia de “criminosa”. A resolução foi aprovada em sessão …

Novo método deteta metais tóxicos em alimentos e água em apenas algumas horas

Uma equipa de cientistas da Universidade de Joanesburgo, na África do Sul, desenvolveu um método sensível para detetar níveis perigosos de metais pesados em alguns alimentos e água. Os vestígios de metais como chumbo (Pb), arsénico …

Meghan Markle vence primeira batalha judicial contra jornal britânico

A Duquesa de Sussex conseguiu que o Tribunal Superior de Londres optasse por manter anónima a identidade das suas cinco amigas, como parte da ação legal que está a ser levada a cabo. O 39º aniversário …

Cientistas obrigados a rebatizar dezenas de genes humanos. A culpa é do Excel

Só no ano passado, os cientistas viram-se obrigados a mudar os nomes de 27 genes humanos por causa de um erro de leitura do Microsoft Excel. Tal como explica o portal The Verge, que avança …

"Vai continuar a queimar". Covid-19 é mais parecida com um fogo florestal do que com ondas e picos

Com o surgimento do novo coronavírus no mundo, vários especialistas previam que este iria surgir em ondas e picos. Agora a visão de futuro é outra e os especialistas dizem que a pandemia se compara …

Mudanças climáticas podem vir a causar mais mortes do que a covid-19, alerta Bill Gates

  As mudanças climáticas podem custar muito mais vidas nas próximas décadas do que a pandemia do novo coronavírus (covid-19). O alerta é do co-fundador da Microsoft, Bill Gates, que, através de uma reflexão no seu …

Descoberta a primeira disrupção gigante nas nuvens de Vénus

Uma equipa internacional de cientistas, que incluiu um investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), descobriu a "primeira disrupção gigante" nas nuvens de Vénus que tem fustigado as zonas profundas da atmosfera …

TVI aposta em estúdio a Norte. Nuno Santos quer Informação mais ao estilo da SIC Notícias do que da CMTV

O diretor-geral da TVI, Nuno Santos, afirmou, em entrevista ao jornal Público, que a estação de Queluz de Baixo vai apostar num estúdio no Norte, revelando ainda que pretende mudar a Informação do canal mais …

Fair-play financeiro. UEFA mantém restrições ao FC Porto

A UEFA informou, esta sexta-feira, que o FC Porto "cumpriu parcialmente as metas estabelecidas para a época 2019/20" a nível do fair-play financeiro e que vai manter as restrições impostas ao clube azul e branco. "O …