Afinal, o misterioso Oumuamua não é um asteróide

ESA / M. Kornmesser / European Southern Observatory

Impressão de artista do primeiro asteróide interestelar: Oumuamua.

O primeiro objeto interestelar que atravessou o Sistema Solar no final de 2017 continua a surpreender os astrónomos. O asteróide, com forma de charuto e batizado como Oumuamua, era, afinal, um cometa.

Quando os investigadores viram o objeto interestelar pela primeira vez, não conseguiram identificar uma cauda ou coma – a nuvem de gelo e poeira característica dos cometas – e, por isso, classificaram-no com um asteróide.

No entanto, o facto de não apresentar estas características não explicava de forma satisfatória o comportamento do asteróide Oumuamua – que significa “mensageiro de muito longe que chega primeiro”, em havaiano.

Os cientistas estudam agora a possibilidade de este corpo celeste ser, na verdade, um cometa que levava informações valiosas sobre sistemas planetários distantes.

O objeto interestelar foi descoberto no dia 19 de outubro de 2017 por Rob Weryk, do Instituto de Astronomia da Universidade do Havai. Com o seu colega Marco Micheli, o cientista percebeu que o objeto se movia muito rapidamente – a uma velocidade suficiente para evitar ser capturado pela força gravitacional do Sol -, seguindo uma trajetória excêntrica.

A sua velocidade e trajetória indicavam que o corpo se tinha originado num sistema planetário que orbita em torno de outra estrela que não o Sol. E, segundo a análise de uma equipa de pesquisadores liderada por Micheli, parte da aceleração observada no objeto está ligada ao efeito do calor do Sol sobre a sua superfície gelada.

Os cometas são compostos por rocha e gelo e formam-se em áreas frias o suficiente para a água se manter congelada. Ou seja, no nosso Sistema Solar, os cometas estão quase tão longe do Sol quanto Júpiter. Já os asteróides, em sentido oposto, são objetos rochosos que orbitam principalmente num cinturão entre Marte e Júpiter.

O Oumuamua não é o único caso de um corpo celeste que causou dúvidas na sua classificação como asteróide ou cometa.”Há uma linha cada vez mais ténue entre os dois, já que estamos a encontrar objetos semelhantes a cometas no principal cinturão de asteróides”, disse Sara Russell, professora do Museu de História Natural de Londres.

Por que é tão importante a diferença?

Como é o primeiro visitante de um outro sistema solar que não o nosso, o cometa poderá ajudar-nos a compreender mais sobre sobre como se formam os planetas.

“Os cometas formaram-se provavelmente em regiões periféricas de outros sistemas planetários, então talvez possam escapar da gravidade da sua estrela-mãe e entrar no espaço interestelar com mais facilidade do que um asteróide”, disse Russell à BBC News.

“O Oumuamua – e outros viajantes interestelares que podem visitar o nosso Sistema Solar – podem dar-nos algumas pistas excelentes sobre a natureza e composição de outros sistemas planetários. Finalmente, estes objetos podem mostrar-nos se o nosso Sistema Solar é único, ou se é um dos muitos sistemas habitáveis na nossa nossa galáxia”.

O objeto celeste ficou visível através de telescópios terrestres durante cerca de dois meses e meio, após a sua descoberta. De acordo com Micheli, o cometa foi visto pela última vez pelo Telescópio Espacial Hubble no início de 2018, tendo mostrado ter um comprimento pelo menos duas vezes maior que a sua largura.

Esta diferença entre largura e comprimento foi apontada como a maior já observada em qualquer asteróide ou cometa visto no Sistema Solar. Os cientistas continuam a trabalhar nas informações recolhidas pelo cometa mas, não teremos a oportunidade de ver Oumuamua de novo.

Uma investigação publicada em março apontava que o objeto rochoso provinha de um sistema binário, ou seja, ao contrário do nosso Sol, o corpo teria duas estrelas em órbita de um centro comum.

ZAP // BBC

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. Ontem era, hoje já não é…..Afinal, astrónomos e cientistas são um bando de ignorantes, ou então um grupo de pessoas alarmistas, inconscientes, inconstantes e de juízos precipitados sem rigor científico. A agricultura está a precisar de gente.

    • A ciência não é uma religião. O conhecimento não é estático e vai sendo atualizado à medida que as evidências, a favor ou contra, vão surgindo. Compreende Sousa?

      • Ainda há quem se dê ao trabalho de responder, puxando pelos seus galões, e também há quem não entenda a ironia dos comentários aqui produzidos, que mais não servem do que provocar e agitar a cabeça de quem não tem mais nada para fazer. Lamenta-se apenas que pessoas tão inteligentes e dotadas percam o seu tempo neste passatempo inútil e solitário. Fui.

        • Ó Sousa,
          É graças à ciência que o Sousa tem os meios tecnológicos para vir aqui mostrar a sua arrogância e estupidez! … e ninguém aqui puxou de galões!

          • É pá, ninguém sabia, que conclusão brilhante. Estúpido e arrogante és tu, ninguém duvida pela tua resposta. Não deves ter mais nada que fazer para além de vires para aqui dar lições da treta num espaço onde iluminados e palhaços como tu são bem vindos, para podermos ficar com uma ideia mais precisa da quantidade de idiotas desocupados que prolifera neste País. Arranja uma vida.

            • Ó Sousa Pela quantidade de mensagens, em vários dias, vê-se claramente que trabalhas muito… Sabes… a agricultura está a precisar de gente… Já dizia o Sousa… Veloso lol

          • Caro Januário, atendendo à educação demonstrada e sólidos argumentos expostos pelo comentador em questão, creio que ficou claro aquilo que se pretendia clarificar.
            Cumprimentos

  2. A humanidade é um conjunto de seres humanos ….. selvaticamente agredindo-se, maltratando-se, destruindo–se a pretexto de raças , cores, religiões , petróleo …. etc.
    Ninguém sabe descodificar os sentimentos que povoam o firmamento interior de cada humano.
    Vivemos neste planeta de fantoches iluminados , onde fazem muita falta panorâmicos espelhos de cristal onde a maneira como cada um se conduz dispensa o cartão de cidadão.

RESPONDER

Os donos de cães são mais felizes que os donos de gatos

O mundo está dividido em dois: amantes de cães e amantes de gatos. Um estudo acaba de revelar que os donos de cães são mais felizes do que os donos de felinos. Será que os donos …

Estávamos quase a perder um osso do joelho (mas afinal está de volta)

Algumas pessoas têm um osso extra no joelho, conhecido como fabela. Ninguém identificou um propósito para o osso, que até aumenta o risco de artrite. Não era uma surpresa que o osso estivesse a tornar-se cada …

Explosões em hotéis e igrejas no Sri Lanka fazem 200 mortos. Há um português entre as vítimas

Uma série de oito explosões simultâneas em quatro hotéis, um complexo de casas e três igrejas no Sri Lanka deixou pelo menos 207 mortos, entre os quais nove estrangeiros, e 469 pessoas feridas. Um dos …

Os ratos (também) têm sentimentos

Cientistas detetaram “neurónios-espelho” nos ratos. Quando um rato sofre, as células que o seu cérebro ativa são as mesmas do que quando vê um outro rato sofrer. A dor é partilhada e transversal, exatamente como …

Milhares de peregrinos vão a Shingo em busca de Jesus (que, diz a lenda, ali está enterrado)

Jesus não morreu aos 33 anos, mas aos 109. Casou e teve três filhas. Quem foi crucificado em Jerusalém foi o seu irmão. Estas são as crenças de um pequeno grupo de cristãos que vivem …

Os Simpsons fazem 30 anos a celebrar o seu dia internacional

A série sobre uma das famílias mais queridas da televisão mundial "Os Simpsons" vai fazer em dezembro 30 anos desde a sua estreia neste formato, mas as comemorações começam já esta sexta-feira com direito a …

Só as mulheres podem parar o Apocalipse nuclear

O aumento da participação feminina no setor nuclear ajudaria a reduzir a ameaça de um Apocalipse, afirmou recentemente a analista Xanthe Scharf. O conflito nuclear continua a ser a maior ameaça imediata à segurança global. Os …

Esqueleto que caiu de um penhasco pode ter pertencido a uma princesa

Há mais de um século, um tronco esculpido que continha o antigo esqueleto de uma mulher caiu de um penhasco à beira-mar na pequena vila costeira polaca de Bagicz. Agora, os investigadores determinaram que a mulher …

Apanhado no Facetime. Prisão perpétua para português por violação e agressão em Inglaterra

Um português a residir em Inglaterra foi condenado a prisão perpétua por violação e agressão a uma jovem de 19 anos, tendo uma captura de ecrã durante uma chamada de FaceTime sido um elemento chave. Samuel …

Estranha síndrome genética está a cegar famílias inteiras

Médicos na Austrália descobriram uma condição ultra-rara que está gradualmente a cegar famílias inteiras em redor do mundo. Agora, estão a tentar encontrar uma cura. Os primeiros sinais da condição surgiram na Austrália, quando uma mãe, …