Os cães dos esquimós foram imprescindíveis para a conquista do Ártico

Os antepassados dos inuítes – nação indígena esquimó – levaram os seus cães para quando migraram do Alasca e da Sibéria, introduzindo os trenós na região do Ártico. 

Os arqueólogos acreditam que esses cães ajudaram os esquimós a conquistar a paisagem inóspita, ajudando-os a viajar e caçar com mais eficiência do que se tivessem adotado cães já presentes na região.

Uma equipa internacional de investigadores analisou os restos mortais de centenas de cães do Ártico com mais de mil anos, juntamente com o ADN de 900 cães e lobo que viveram na região desde há 4.500 anos.

As suas descobertas, publicadas esta semana na revista científica Proceedings of the Royal Society B: Biological Sciences, são as primeiras a mostrar que os antepassados dos esquimós modernos introduziram uma nova população de cães especializados na área em vez de adotar populações locais muito menores já presentes.

Isto sugere que aquele povo queria aproveitar as características dos seus próprios cães, uma vez que eram úteis para se expandirem na paisagem inóspita.

“As pessoas interessam-se por cães e, em particular, por cães de trenó há muito tempo, tanto em arqueologia como noutras disciplinas. No entanto, estes estudos não tiveram em conta os cães que estavam presentes no Ártico antes”, disse Carly Ameen, investigador da Universidade de Exeter e principal autor do estudo, em declarações à Newsweek.

“Em vez disso, concentraram-se em como os cães inuíte estavam relacionados com os cães de trenó modernos, mas o que queríamos investigar era como estes cães inuítes se comparam aos cães já na América do Norte. Essas perguntas, obviamente, contêm informações importantes para as populações de cães do Ártico, mas também pode ajudar a entender como interagiam os humanos que estavam a migrar em redor do mundo e como utilizaram os seus cães”, explicou.

Após sua chegada, a população local de cães foi quase completamente substituída, segundo Ameen. Tatiana Feuerborn, uma das autoras do estudo, disse que os cães de trenó terão provavelmente ajudado os antepassados esquimós a alcançar o Ártico.

“O uso de cães provavelmente aumentou a velocidade com que podiam viajar, facilitando a migração pela região numa ou duas gerações, como sugerido por evidências arqueológicas. Além disso, o trenó puxado por cães no gelo do mar também permitirá que caçassem com eficiência mamíferos marinhos”, explicou.

O facto de os cães serem mantidos sugere o seu valor, acrescentou Ameen. “Ajuda a reforçar as ideias de que estes cães eram especializados em puxar trenós”, disse. “Isso sugere que era importante para os esquimós que os cães que puxavam os trenós fossem de uma raça específica”.

Os cães de trenó ainda desempenham um papel importante para os esquimós atuais no Ártico norte-americano, embora as suas populações estejam agora a cair.

Os investigadores sabiam que os cães de trenó de hoje seriam, pelo menos em parte, descendentes de cães que chegaram durante o período inuíte. No entanto, os resultados mostraram que a população moderna parece ser descendente direta dessa população.  Ainda assim, são necessários mais estudos genéticos para confirmar.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Rússia está a sabotar desenvolvimento da vacina contra covid-19

Um grupo de hackers associado ao Kremlin está a tentar sabotar o desenvolvimento da vacina contra a covid-19 no ocidente. Os piratas informáticos conseguiram piratear o computador de vários investigadores. O APT29, um grupo de piratas …

Família de George Floyd apresenta queixa-crime contra Minneapolis

A família de George Floyd apresentou esta quarta-feira uma queixa-crime contra o município de Minneapolis e contra quatro polícias pela responsabilidade na morte do afro-americano às mãos da polícia, em maio, anunciaram os advogados. "Não foi …

UE reduz lista de países para reabrir fronteiras e mantém EUA e Brasil de fora

Os Estados-membros da União Europeia (UE) atualizaram, esta quinta-feira, a lista de países aos quais reabrem as fronteiras externas, mantendo de fora os Estados Unidos e o Brasil. "Na sequência da primeira revisão ao abrigo da …

24 horas depois, estátua de manifestante antirracismo em Bristol foi removida

A estátua de uma manifestante do movimento Black Lives Matter, erguida, esta quarta-feira, na cidade de Bristol, no Reino Unido, já foi removida. De acordo com o jornal The Guardian, 24 horas depois de ter sido …

Advogados continuam luta para manter declarações fiscais de Trump em segredo

Depois de o Supremo Tribunal ter determinado que os procuradores nova-iorquinos podem ter acesso às declarações de impostos do Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, os seus advogados informaram na quarta-feira que estavam a considerar …

EUA negam vistos a funcionários da Huawei que apoiem "violadores de direitos humanos"

Esta quarta-feira, o Governo norte-americano que vai impor restrições nos vistos a funcionários da Huawei e a outras empresas que os Estados Unidos vejam como apoiantes de Governos violadores de direitos humanos. Além das restrições, o …

Ventilador produzido em Portugal recebe autorização de utilização do Infarmed

O ventilador Atena, produzido em Portugal, recebeu, na terça-feira, a autorização do Infarmed para o seu uso em contexto hospitalar na luta contra a covid-19. Esta quarta-feira, numa publicação na sua página de Facebook, o CEiiA …

American Airlines avisa 25 mil trabalhadores que podem perder emprego

Os dirigentes da American Airlines escreveram a cerca de 25 mil trabalhadores da transportadora aérea para lhes comunicar que o seu emprego pode desaparecer em outubro. Os dirigentes das Companhias de aviação dos Estados Unidos admitiram …

Trump substitui diretor de campanha a menos de quatro meses das eleições

O Presidente dos Estados Unidos substituiu, esta quarta-feira, o seu diretor de campanha, perante os maus resultados nas sondagens, a menos de quatro meses das eleições. "Tenho o prazer de anunciar que Bill Stepien foi promovido …

Bristol acordou com uma nova estátua. Manifestante antirracismo substitui comerciante de escravos

Bristol acordou com uma nova estátua. Um artista britânico ergueu uma estátua de uma manifestante do movimento ‘Black Lives Matter’ no topo do pedestal na cidade inglesa antes ocupado pela estátua de um comerciante de …