Orgias homossexuais e gigolos: arcebispo envia relatório ao Vaticano

O arcebispo de Nápoles, Crescenzio Sepe, enviou ao Vaticano um relatório detalhando as supostas práticas homossexuais de dezenas de padres em Itália, que participavam em orgias ou recorriam à prostituição.

A diocese de Nápoles já confirmou a existência do dossier, de 1200 páginas, que denuncia comportamentos sexuais de 50 sacerdotes, incluindo um bispo. O documento denuncia alegadas práticas homossexuais de pelo menos 50 sacerdotes em dioceses italianas. Foi preparado e enviado por Francesco Mangiacapra, advogado que é atualmente gigolo.

“O mais sórdido que vi foi um sacerdote que ejaculou em frente à estátua de Nossa Senhora de Fátima”, revelou Mangiacapra em declarações ao Anticlericali. De acordo com o relatório, o adjunto da Basílica de San Giovanni, em Laterano, paga a acompanhantes através do Postepay – cartão pré-pago para realizar pagamentos seguros pela internet.

O dossier revela dados do diretor de um gabinete diocesano que terá procurado marcar encontros sexuais através de uma app, e de um padre que organiza orgias em instalações diocesanas. “A lista é comprida”, diz Mangiacapra.

O autor afirma que este é o resultado da impunidade dos líderes da Igreja: “A intolerância injusta que alimenta a ideia de ser capaz de separar o que se faz do que se diz, típico de quem tem dupla moral”.

Com o relatório, o advogado entregou também um CD com diversas gravações, imagens explícitas e capturas de ecrã de conversações numa app que os religiosos usavam para encontrar parceiro.

Arcebispo enviou relatório ao Vaticano

O arcebispo de Nápoles, Crescenzio Sepe, enviou ao Vaticano o relatório que detalha as supostas práticas homossexuais de dezenas de padres de Itália, que participavam em orgias ou recorriam à prostituição.

Em comunicado, a Arquidiocese de Nápoles explicou que recebeu o relatório a 28 de fevereiro do próprio autor, Francesco Mangiacapra, um jovem gigolo que recolheu informações e entregou tudo às autoridades eclesiásticas

“O cardeal Crescenzio Sepe resumiu o documento, com conversas e dados que envolvem distintas dioceses, e decidiu transmiti-lo às autoridades eclesiásticas competentes do Vaticano para que tomem as medidas necessárias”, indicou o texto.

O próprio Mangiacapra afirmou no mesmo comunicado que no dossiê estão 34 padres e seis seminaristas e que durante a investigação não teve conhecimento de casos de pedofilia ou condutas criminosas. “São pecados, não crimes“, especificou.

O escândalo foi levantado pelo portal de notícias LGBT Gaynews, que detalhou algumas práticas nas quais vários padres teriam incorrido, como orgias, contactos com homossexuais através de aplicações para o telemóvel ou em exibições na webcam.

ZAP // EFE

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Isto é o retrato do MUNDO … seja em qualquer quadrante, religioso, politico etc… gentalha capaz de TUDO sem olhar a meios, nem a quem, tudo pelo PRAZER e PODER. E vem esta gentalha fazer lindos discursos!!!

    Acredito na palavra de DEUS/CRISTO – não acredito nas palavras dos homens tão cumuns!!…

  2. Parece que voltamos novamente a santa inquisição, em que estes podiam violar e até assassinar qualquer um, tudo ligado em nome do cristo e não só,
    Sugestão minha, quem quiser seguir a profissão de padre, devia ser casado, e ser um homem, com um H grande, ou ser capado

RESPONDER

Freira e Diocese de Fátima disputam imóveis de 5 milhões de euros

É uma "guerra" que corre pelos tribunais há 11 anos e que envolve um património imobiliário avaliado em 5 milhões de euros. Podia ser mais uma história comum de desaguisados na justiça, não fosse o …

Fim das taxas moderadoras custa mais de cem milhões de euros por ano

O diploma aprovado, na última semana, no Parlamento para acabar com a maioria das taxas moderadoras vai custar ao Estado mais de cem milhões de euros por ano. O projeto de lei do Bloco do Esquerda …

Tancos. Detetada discrepância na listagem de lança-granadas

O CDS alega diferenças entre as listas comunicadas pelo Exército e entregues pela Polícia Judiciária Militar ao Ministério Público e quer alterar relatório final sobre Tancos. O CDS alegou existir uma diferença de 80 lança-granadas …

Rio defende inocência de Álvaro Amaro e critica julgamentos na praça pública

O presidente do PSD defendeu esta segunda-feira, em Viana do Castelo, o respeito pelo princípio de presunção de inocência para todos os portugueses e criticou julgamentos "na praça pública", referindo-se ao processo que envolve o …

Campanha para ajudar Miguel Duarte já angariou mais de 30 mil euros

A campanha de crowdfunding para ajudar Miguel Duarte, acusado pela justiça italiana de auxílio à imigração ilegal, já angariou quase 30 mil euros. Para surpresa de Miguel Duarte, o objetivo inicial da campanha de crowdfunding lançada no …

Misteriosas ilhas artificiais na Escócia são mais antigas que Stonehenge

Arqueólogos da Universidade de Southampton, que trabalharam com colegas da Universidade de Reading e com o arqueólogo local Chris Murray, descobriram que alguns "crannogs" escoceses datam do período neolítico - muito mais antigos do que …

Greves da Soflusa e Transtejo desconvocadas

A secretária-geral e responsável pela comunicação da Soflusa, Margarida Perdigão, confirmou esta segunda-feira que as greves da empresa de transportes foram desconvocadas. As greves tinham início marcado para terça-feira. Os sindicatos assinaram um protocolo que vai …

ONG pede investigação sobre a morte do ex-presidente do Egito Mohamed Morsi

A organização não-governamental Human Rights Watch pediu uma investigação sobre o acesso à assistência médica e aos alegados maus tratos sofridos ao longo dos anos por parte do ex-presidente do Egito Mohamed Morsi, que morreu …

Os golfinhos formam amizades porque partilham os mesmos interesses

No que diz respeito a criar laços de amizade, parece que os golfinhos são mais parecidos connosco do que imaginávamos. O comportamento homófilo desempenha um papel central na formação das amizades humanas, uma vez que os …

Neozelandês que partilhou vídeo do massacre de Christchurch condenado a 21 anos de prisão

Um neozelandês foi esta terça-feira condenado a 21 meses de prisão por ter partilhado o vídeo que o alegado autor do ataque em março contra duas mesquitas de Christchurch, que fez 51 mortos, transmitiu em …