A obesidade pode alimentar a solidão (e está tudo nos nossos genes)

Um novo estudo aponta que a solidão que sentimos ou o número de vezes que queremos interagir pode ser, em parte, determinada pela codificação genética – e fortemente relacionada com a obesidade.

Com base nas respostas de 487.647 inquiridos do Reino Unido, os investigadores identificaram 15 regiões genéticas associadas à solidão.

O estudo, publicado no dia 3 de julho na revista Nature, também encontrou uma possível ligação entre obesidade e solidão, sugerindo que uma condição pode impulsionar a outra. Isto é, os mesmos genes poderiam aumentar a probabilidade de alguém com excesso de peso tender a ser mais solitário. Por isso, os investigadores analisaram ambas as condições de forma a conseguirem uma melhor abordagem.

“Na maior parte das vezes pensamos que a solidão é puramente impulsionada pelo ambiente circundante e pelas experiências de vida, mas este estudo demonstra que os genes também podem ter influência“, explica John Perry, investigador da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, em declarações ao The Telegraph.

“Há sempre uma mistura complexas de genes com o meio ambiente, mas a investigação sugere que, se a nível populacional pudéssemos combater a obesidade, poderíamos também reduzir a solidão“, explicou.

De acordo com os investigadores, 1 em cada 4 pessoas com mais de 65 anos sofre de solidão no Reino Unido, estando também associados a uma morte prematura.

Embora a solidão já tenha sido associada à condição genética antes, esta é a primeira vez que os pesquisadores conseguem destacar regiões genéticas específicas que parecem ter um impacto sobre quão isolados nos sentimos.

Apesar do método utilizado na pesquisa utilizar a auto-descrição – que não permite provar para já uma causa-efeito ainda – os dados recolhidos são convincentes.

A codificação genética não garante nem excluiu completamente o sentimento de solidão, mas pode ter um impacto. De acordo com a pesquisa, cerca de 4 a 5% da nossa tendência em sentir solidão pode ser herdada.

A equipa encontrou ainda sobreposições genéticas com características identificadas em estudos anteriores, como a depressão, obesidade e a baixa saúde cardiovascular, em particular. Os cientistas acreditam que estas características se possam combinar para aumentar o risco de solidão numa determinada pessoa.

Exemplificando: duas pessoas em condições de solidão semelhantes podem sentir-se sozinhos ou não e, segundo o estudo, esta diferença sentida pode dever-se em parte à codificação genética com que nasceram.

Os investigadores sublinham, no entanto, que há uma série de fatores envolvidos, genéticos e não-genéticos. E, por esse motivo, não podemos dizer que há um “gene da solidão” ou que os sentimentos são totalmente genéticos.

No entanto, estas “pistas genéticas” combinam a forma como o mundo funciona: algumas pessoas estão perfeitamente contentes em viver vidas solitárias, enquanto que a solidão pode ser uma tortura para outras.

“As nossas descobertas destacam uma base genética específica para o isolamento e a interação social”, explicaram os investigadores.

“Encontramos evidências de efeitos genéticos compartilhados entre características sociais, além dos caminhos mais específicos que impulsionam a participação em determinadas atividades”, concluíram.

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas conseguiram manter tecido cerebral de cobaias vivo durante semanas

Cientistas japoneses conseguiram manter partes de tecido cerebral de cobaias vivas e viáveis durante 25 dias, isoladas numa cultura, graças a um novo método. De acordo com o Science Alert, a chave para o sucesso foi …

Arqueólogos descobrem 25 sítios que comprovam presença militar romana no Norte e na Galiza

Investigadores portugueses e galegos descobriram 25 novos sítios no Norte de Portugal e na Galiza que “comprovam arqueologicamente” a presença militar romana nos dois territórios, correspondendo a maioria dos locais a “acampamentos militares”, revelou hoje …

EUA poderão manter alguns efetivos na Síria para proteger poços de petróleo

Os EUA planeiam deixar alguns efetivos no nordeste da Síria para proteger instalações petrolíferas e garantir o combate contra um possível ressurgimento do grupo extremista Estado Islâmico (EI), disse hoje o secretário de Defesa dos …

Polícias realizam manifestação conjunta em Lisboa a 21 de novembro

Elementos da PSP e da GNR realizam a 21 de novembro, em Lisboa, uma manifestação conjunta para exigirem ao novo Governo "a resolução rápida" dos problemas que ficaram por resolver na anterior legislatura. Com o lema …

Sérvia punida por racismo no jogo com Portugal

A UEFA condenou nesta segunda-feira a Sérvia a disputar o próximo jogo da fase de qualificação para o Euro 2020 à porta fechada, por manifestações racistas na partida com Portugal, disputada em Belgrado, que terminou …

Juve Leo lança críticas à direção: Um clube sem rumo e que precisa de bodes expiatórios

Depois de o Sporting rescindir os protocolos com a Juventude Leonina e com o Diretivo Ultras XXI devido à "escalada de violência" recente, a Juve Leo reagiu em comunicado com duras críticas à direção de …

Um terço dos fogos deste ano tiveram como causa queima e queimadas

Um terço dos incêndios florestais registados este ano e investigados tiveram como causa queimadas e queimas, revela o último relatório do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF). O relatório provisório de incêndios rurais, …

De Nova Iorque a Sydney em 19 horas. Avião da Qantas bate recorde

O primeiro voo comercial direto entre as cidades de Nova Iorque e Sydney, com mais de 19 horas, terminou, este domingo, na cidade australiana. O teste realizado pela companhia aérea Qantas faz parte do Project Sunrise, …

Marcelo ficou "muito impressionado" pela destruição do furacão Lorenzo nos Açores

O Presidente da República visitou, este domingo, o porto das Lajes das Flores, que ficou destruído após a passagem do furacão Lorenzo pelos Açores, mostrando-se "muito impressionado" pela destruição "massiva". "Muito impressionado com aquilo que foi …

Sporting é o terceiro clube com mais jogadores da formação espalhados pela Europa

O Sporting é o terceiro clube com mais jogadores da sua formação a atuarem nas ligas europeias e o emblema português mais representado nas 'big 5', segundo o observatório de futebol do Centro Internacional de …