O tesouro subaquático mais valioso já descoberto estava perdido na California (e vale bem mais de 450 milhões)

O navio mais valioso da história ainda guardava consigo um último mistério: um tesouro que transportava mil milhões de dólares. Apenas em julho de 1985 – após 16 anos de procura – Mel Fisher encontrou a Nuestra Senora de Atocha. Este ano marca o 35º aniversário da descoberta do naufrágio.

Mel Fisher nasceu no indiana, mas o seu sonho levou-o a mudar-se para a California. Lá abriu a Mel’s Aqua Shop – em Redondo Beach – onde deu aulas de mergulho. No local, Fisher viu a oportunidade de cumpriu o seu desejo: mergulhar em busca de ouro nos rios da Califórnia, e encontrar o tesouro perdido da lendária frota espanhola.

Através do seu conhecimento em engenharia, Fisher inventou várias peças de equipamento especializado para ajudar na caça ao tesouro. Uma das suas invenções, que passou a ser chamada de “caixas de correio” – relata o Interesting Engineering.

O equipamento especializado mostrou ser um sucesso, e fez com que Fisher descobrisse mais de 1000 moedas de ouro. Em 1969, Fisher conheceu o Nuestra Señora de Atocha e concentrou todos os seus esforços na procura da embarcação. O engenheiro mal sabia que a busca pelo Atocha iria ocupar os próximos 16 anos e meio de sua vida.

Nos anos 70, o filho mais velho de Fisher, Dirk – que seguiu o pai no negócio – encontrou três barras de prata e cinco canhões de bronze do Atocha. Já em 1980, Fisher descobriu os destroços do Santa Margarita, e trouxe para casa mais de 20 milhões de dólares (16 milhões de euros) em ouro e outros tesouros.

Mas a derradeira descoberta deu-se julho de 1985, enquanto Kane , um outro filho de Fisher, fazia mergulho. O jovem comunicou através do rádio, aquilo que Fisher já queria ouvir há muitos anos: “Encontramos o tesouro principal” –  O navio Atocha finalmente foi encontrado.

Fisher e sua equipa conseguiram encontrar 40 toneladas de ouro e prata, moedas de ouro, 1000 lingotes de prata, artefactos de ouro e prata, e 71 libras de esmeraldas colombianas. As moedas recuperadas exibiam marcas da casa da moeda desde o início dos anos 1500 até 1621, e muitas dessas moedas nunca tinham sido vistas antes.

A fortuna foi avaliada em 450 milhões de dólares. No entanto, e de acordo com o manifesto do navio, este valor não contabiliza 162 lingotes de cobre, 14 canhões de bronze, 125 mil moedas de prata, 433 barras de prata, 111 barras de ouro, e 35 caixas de joias. As esmeraldas encontradas no navio pertencem às Muzo Mine da Colômbia, consideradas as mais valiosas do mundo.

 

O legado do Novo Mundo

Entre 1530 e o final dos anos 1700, os espanhóis enviaram mais de 8 mil milhões de dólares (cerca de 6 milhões de dólares) em tesouros do Novo Mundo para o Velho, através de duas frotas: Tierra Firme e Nova Espanha. No entanto, os desastres naturais sempre foram uma preocupação. Ao todo, mais de 1000 navios espanhóis perderam-se devido a acidentes em alto mar.

Os dois galeões espanhóis, o Atocha e o Santa Margarita, eram os maiores navios da frota e carregavam a maior parte do tesouro. Porém, um furacão na Florida, atingiu os galeões, que juntamente com outros seis navios, acabaram por se afundar.

Da tripulação de 265 homens do Atocha, todos – exceto três marinheiros e dois escravos –  acabaram mortos. Quando a notícia do desastre chegou ao centro da administração espanhola em Havana, as autoridades enviaram cinco navios para tentar resgatar a carga que era transportada. Mas não foi possível, os destroços encontravam-se a 17 metros de profundidade da água.

 

Um tesouro científico

Embora esta descoberta tenha tornado Fisher, e a sua equipa milionários, existe ainda uma outra riqueza escondida. Um tesouro científico. Foram encontrados no navio  instrumentos de navegação raros do século XVII, tal como embarcações de cerâmica.

Também foram recuperadas várias Pedras Bezoar. Na época acreditava-se que, quando mergulhada num copo com líquido, uma Pedra Bezoar poderia remover todas as toxinas ou venenos, o que foi uma grande atração para os mais ricos e poderosos.

Mel Fisher foi convidado para o “The Tonight Show with Johnny Carson”, onde usou uma das correntes de ouro encontradas. Após a descoberta, o estado da Florida reivindicou o título dos destroços, e insistiu que Fisher desse 25% do tesouro ao estado.

Sem nunca recuar, Fisher processou o estado da Florida, e esperou oito anos até que o caso fosse ouvido pela Suprema Corte dos Estados Unidos, que acabou por lhe conceder todos os direitos sobre o tesouro do Atocha.

Muitos dos itens recuperados do Atocha foram colocados em exibição no Museu Marítimo Mel Fisher em Key West, na Florida.

Em junho de 2011, os mergulhadores de Fisher encontraram um anel de esmeralda, duas colheres de prata e outros artefactos. Só o anel foi avaliado em 500 mil dólares (cerca de 422 mil euros).

Em 2014, o Nuestra Señora de Atocha foi adicionado ao Guiness World Records, pois foi o naufrágio mais valioso a ser encontrado e recuperado no oceano.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.