O KFC do Quénia está sem batatas. Nas redes sociais, apela-se ao boicote

1

Depois de anunciar que tinha ficado sem batatas fritas, a cadeia Kentucky Fried Chicken (KFC) foi alvo de um boicote no Quénia.

Em plena época da colheita da batata, o KFC avisou os seus clientes quenianos que tinha ficado sem batatas, uma escassez fruto dos atrasos das exportações provocados pela pandemia de covid-19.

Em vez do habitual acompanhamento, a cadeia de fast food anunciou que iria oferecer pão, milho e outras alternativas para compensar a falta de batatas fritas nas suas refeições.

Em declarações à RFI, Washira Kaguongo, presidente do Conselho Nacional da Batata do Quénia, disse que não era sustentável para a empresa continuar a comprar as batatas no estrangeiro.

“Da mesma forma que oferecemos um mercado para os seus alimentos, esperamos que o KFC também ofereça um mercado para os nossos agricultores”, referiu o responsável.

Aos meios de comunicação locais, Jacques Theunissen, diretor do KFC na África Oriental, explicou que a atual política da empresa dita que todos os fornecedores passem por procedimentos de aprovação para assegurar a qualidade dos seus produtos, e que não pode ser contornada mesmo que haja escassez.

Ainda assim, o KFC não especificou as normas globais de qualidade e segurança que um potencial fornecedor no Quénia deveria cumprir.

Numa altura em que os agricultores quenianos entram na época da colheita da batata, num país com mais de 60 variedades diferentes e uma produção abundante, a hashtag #BoycottKFC ganhou força no Twitter.

“Estas imagens mostram aqueles que estão dispostos a apoiar a economia queniana e aqueles que não estão. Comprar Quénia, construir Quénia”, escreveu um utilizador.

À RFI, o KFC disse recentemente que havia hipótese de comprar batatas a um fornecedor local, numa aparente mudança de estratégia. “No KFC, trabalhamos com vários fornecedores locais quenianos para servir os nossos clientes com produtos e ingredientes de origem local nos nossos restaurantes”, como aves de capoeira, vegetais frescos, pães, embalagens, farinha, e gelados, enumerou.

Entretanto, os rivais do KFC, como o Burger King e o Chicken Inn, têm aproveitado a polémica para tirar partido da situação e crescer localmente.

Temos batatas fritas suficientes para todos“, escreveu o Burger King, no Twitter.

  Liliana Malainho, ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE