Novo regulamento do Colégio Militar proíbe discriminação por orientação sexual

(dr) exlibrisci.pt

-

O novo regulamento do Colégio Militar passou a prever que os alunos não podem ser discriminados em razão da orientação sexual, saúde e identidade de género, na sequência da revisão determinada pelo chefe do Estado-maior do Exército.

“Ser tratado com respeito e correção por todos os membros da comunidade educativa, não podendo, em caso algum, ser discriminado em razão da raça, saúde, sexo, orientação sexual, idade, identidade de género, condição económica, cultural, social ou outras convicções pessoais”, é a primeira alínea do capítulo que estabelece os direitos do aluno do Colégio Militar no regulamento revisto.

A formulação adotada, que segue o sentido do que está previsto na lei geral em vigor (o Estatuto do Aluno), é mais abrangente do que a do ano letivo anterior, passando a incluir como fatores não discriminatórios a orientação sexual, a saúde e a identidade de género.

No regulamento anterior (ano letivo 2015/2016), previa-se que o aluno não podia ser discriminado “em razão da raça, sexo, condição económica, cultural, social ou convicções pessoais”.

Outra mudança importante diz respeito aos alunos com necessidades educativas especiais permanentes. Ao contrário dos anos letivos anteriores, o Colégio Militar dispõe-se agora a prestar apoio pedagógico personalizado a alunos com aquelas necessidades específicas, tal como prevê a lei, embora ressalve que “apenas o pode fazer” de acordo com “os recursos disponíveis”.

Na versão anterior, os alunos eram informados de que o Colégio “não presta os serviços de apoio especializado a alunos com necessidades educativas especiais de caráter permanente” definidos no Decreto-Lei n.º 3/2008, que regula esse apoio.

As alterações resultam do grupo de trabalho designado pelo general chefe do Estado-Maior do Exército, Rovisco Duarte, em junho, que tinha determinado a revisão dos regulamentos internos para “reforçar a mitigação de eventuais riscos que possam conduzir a qualquer forma de discriminação“.

O novo regulamento foi homologado pelo diretor de Educação do Exército no passado dia 23 de setembro e posteriormente disponibilizado no site do Colégio Militar, para vigorar no ano letivo 2016/2017.

Entre as mudanças ao regulamento, de 118 páginas, foi também alterado o ponto do regime disciplinar que incluía nas infrações consideradas muito graves “a manifestação de afetos que possam comprometer os princípios inerentes a um ambiente pedagógico saudável”.

Agora, passou a considerar-se infração “muito grave” a manifestação de “intimidades que ultrapassem a amizade, a camaradagem e a sã convivência entre os alunos”.

“É o que se verifica. São excluídos”

No passado dia 1 de abril, o Observador publicou uma reportagem em que o então subdiretor do Colégio Militar, entretanto afastado, assumia a existência, entre alunos, de situações de exclusão em função da orientação sexual.

O então subdiretor do Colégio Militar, tenente-coronel António Grilo, afirmou: “Nas situações de afetos [homossexuais], obviamente não podemos fazer transferência de escola. Falamos com o encarregado de educação para que perceba que o filho acabou de perder espaço de convivência interna e a partir daí vai ter grandes dificuldades de relacionamento com os pares. Porque é o que se verifica. São excluídos”.

Estas declarações suscitaram polémica e levaram o ministro da Defesa, Azeredo Lopes, a pedir, interna e publicamente, esclarecimentos ao Chefe do Estado-Maior do Exército, que dias depois se demitiu.

A decisão de rever o regulamento interno do Colégio Militar foi tomada na sequência de uma inspeção realizada em maio, que não detetou “quaisquer situações discriminatórias” motivadas “por questões raciais, religiosas, sexuais, com base na orientação sexual ou por outros fatores”.

Apesar disso, o Exército decidiu criar um grupo de trabalho para rever os regulamentos internos visando minimizar os riscos, divulgou na altura o ramo.

As orientações de Rovisco Duarte no Colégio Militar surgiram depois de em abril terem sido levantadas suspeitas de práticas discriminatórias em função da orientação sexual naquela instituição de ensino.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

António Mexia investe 25 mil euros no aumento de capital da EDP

O presidente do Conselho de Administração Executivo da EDP, que se encontra com funções suspensas, subscreveu 7738 ações, num investimento de 24.535 euros, no aumento de capital de mais de mil milhões de euros do …

Liga quer adeptos nas bancadas em setembro. Governo não se compromete

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) disse, esta quarta-feira, que o organismo está a trabalhar para que a época 2020/21 comece com público nas bancadas. Na conferência "Futebol Profissional e Economia Pós COVID-19", …

ONU teme "catástrofe geracional" e pede medidas para reabertura das escolas

A Organização das Nações Unidas (ONU) pediu na terça-feira a todos países para que seja dada prioridade à reabertura das escolas sempre que haja controlo da transmissão local dos contágios de covid-19, alertando que o …

IMT suspende circulação de veículos como o que provocou acidente em Soure

O Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) decidiu, esta quarta-feira, suspender a circulação de veículos de manutenção da ferrovia, como aquele que colidiu contra um Alfa Pendular em Soure, até que sejam adotadas medidas …

PJ e MP fazem buscas no âmbito do caso das golas antifumo

A PJ e o Ministério Público estão a realizar 10 buscas, esta quarta-feira, no âmbito do processo sobre o negócio das golas antifumo, no qual o ex-secretário de Estado, Artur Neves, e o presidente da …

Mais uma morte e 167 novos casos de covid-19 em Portugal

Portugal regista, esta quarta-feira, mais uma morte e 167 novos casos de infeção por covid-19 em relação a terça-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS). Segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde, …

Presidente promulga lei que lança app Stayaway Covid

O Presidente da República promulgou, esta terça-feira, o diploma que estabelece o responsável pelo tratamento dos dados e regula a intervenção do médico no sistema 'Stayaway Covid'. À margem de uma visita a Lagoa, no Algarve, …

Prémios e dados pessoais. Worten alerta clientes para falso SMS em circulação

A Worten alerta os clientes para não partilharem dados pessoais em resposta a mensagens publicitárias falsas que estão a circular por SMS em nome da retalhista, a anunciar um prémio. "Alertamos que não devem ser facultados …

GNR já passou 2200 coimas por falta de limpeza de terrenos. Mais de cem câmaras multadas

Mais de uma centena de câmaras municipais foram multadas por falta de limpeza de terrenos, sendo a ausência de tratamento nas margens das estradas e junto às linhas de distribuição elétrica a principal infração registada …

Presidente do Governo da Catalunha pede a Filipe VI que abdique

O presidente do governo regional da Catalunha, Quim Torra, pediu na terça-feira ao rei Filipe VI que abdique e solicitou ao presidente do parlamento que convoque uma sessão plenária extraordinária para estabelecer uma "posição comum" …