/

Novo Banco perdoa 25 milhões à Malo Clinic. CGD também abdica de créditos em dívida

15

O grupo de medicina dentária Maló Clinic conseguiu um perdão de mais de 40 milhões de euros em dívidas no âmbito do Processo Especial de Revitalização (PER) que atravessa, para evitar a falência. Novo Banco e Caixa Geral de Depósitos (CGD) então entre os credores que perderam 90% dos seus créditos.

O Novo Banco é o maior credor da rede de clínicas de medicina dentária que foi adquirida pelo fundo de investimentos Atena em Maio passado. Apesar de apresentar um volume de facturação de 30 milhões de euros, o grupo Maló Clinic está a tentar escapar da falência.

No âmbito do PER de que é alvo, o grupo conseguiu o perdão de mais de 40 milhões de euros, ficando com um passivo de 27 milhões, conforme avança o Jornal de Negócios.

O Novo Banco é o maior credor do grupo, tendo a haver 51 milhões de euros de dívidas. Mas o Banco terá aceitado perdoar cerca de metade do valor, ou seja, à volta de 25 milhões de euros, segundo salienta o Negócios.

A CGD também é credora do Maló Clinic, mas com uma verba a rondar os 6,9 milhões de euros. O banco estatal terá, igualmente, abdicado de parte do valor.

No total os credores do Maló Clinic vão ter perdas de 90% dos seus créditos no âmbito do PER.

Instado a comentar o perdão de dívida, o Novo Banco limitou-se a apontar ao Negócios que apenas tenta “apoiar, tanto quanto possível, soluções que preservem os postos de trabalho e a actividade de empresas em processo de recuperação”.

  ZAP //

15 Comments

  1. Não há pachorra para aturar isto !
    Perdoa-se dividas de milhões a bancos falidos e mete-se na cadeia ou tira-se-lhe a casa a quem não paga 100€ de impostos !
    Para onde caminhamos, povo ? Ainda mesmo assim há vontade de ir votar ?

    • É isso tudo! Não sei como os tugas ainda aguentam esta treta! Claro que já se sabe quem é que vai pagar estes perdões…
      Já agora existe algum formulário para pedir perdão de dívidas? Agradeço envio de link

    • Temos mesmo de votar, para ver se esta situação se altera. Assim não dá para continuar. Como se perdoam milhões da CGD que é um banco de todos nós??? Se eu não pagar alguma coisa, sou penalizada, Mas se forem milhões… já posso????

    • A quem não paga 100€ de impostos até os tomates (da horta) lhe são penhorados.
      Não esquecer que o Novo Banco, também conhecido por “Banco Bom” (resta saber onde é que é bom) vive à conta das enormíssimas injecções de capitais que o estado lá meteu, dinheiro de todos nós, para depois perdoar as dívidas dos ricos. Boa política esta, e o regulador não regula nada, nem bem nem mal…
      Para fazer face a estas “boas acções”, a banca aumentou os custos de manutenção, que todos pagamos e nem podemos “bufar”.
      É revoltante.

  2. muito bem! se fosse o credito da minha casa tiravam-me logo a casa e o ordenado para o resto da vida!
    que belo governo este!
    espero que os apoiantes destes individuos leiam e pensem antes de dar continuidade aos que lá estão.

    • Quer saber a resposta?… O administrador de insolvência que vai ficar a ganhar uns milhares sem fazer nada, à espera que a empresa se imploda. E vai ser o principal interessado que isso aconteça e, pior, não vai fazer nada para que isso não aconteça. E quem tem a culpa? O tribunal que o nomeou e que não fiscaliza os atos que ele pratica ou deixa de praticar. Entretanto, mais alguém vai ganhar ou já ganhou uns “cobres”, os acionistas (os espertos) da empresa… Mas, cuidado, que isto só acontece em grandes empresas, os pequenos, ficam sem nada e nunca mais têm vida…. Sei do que fá-lo.

  3. É por isso que temos os governos que temos….O povo gosta de ser escravizado pela máquina económica deste país falido e corrupto á beira mar plantado.
    Por favor…não votem nos mesmos!!
    Não votem em nenhum partido que esteja na assembleia da republica…!!
    Votem…mas votem em qualquer outro partido ou movimento que nunca esteve lá…!! Vamos mudar todo o sistema que está implantado….
    E aí vamos ver se não vão todos tremer…!!!

    • Estude um pouco sobre o Estado Novo: pobreza, discriminação de género, tortura, guerra colonial, ausência de liberdade de expressão, polícia política, censura, etc. Se lhe parece que tudo isso está bem, pois mantenha-se nessa posição. Lamentarei. Caso contrário redima-se e defenda a liberdade e a democracia. Precisamos de mais e melhor democracia e não da falta dela. Infelizmente, a crise bancária e este tipo de perdões demonstra que ainda há um longo caminho a percorrer, sobretudo se pensarmos que esses milhões, no caso do Novo Banco, seriam úteis ppara compensar os lesados do BES das suas perdas, por exemplo.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.