Novas pistas poderão ter resolvido mistério de Amelia Earhart

AD / Wikimedia

A lendária aviadora Amelia Earhart junto ao seu Lockheed Electra, 6 de junho 1937

Foi há mais de 80 anos que a pioneira da aviação desapareceu sobre o Oceano Pacífico, enquanto tentavam circum-navegar o globo num Lockheed Electra.

As teorias sobre o desaparecimento de Amelia Earhart e Fred Noonan, que também estava presente no avião, recaem, principalmente, sobre duas situações: o avião despenhou-se sobre o Oceano e os dois morreram afogados, e o avião despenhou-se em Nikumaroro, uma ilha remota, onde morreram à fome.

Agora, um antropologista forense americano tem novas provas que aumentam a probabilidade de os dois terem sofrido o segundo destino, avança o The Economist.

Nikumaroro, uma das Ilhas Phoenix, é um local inóspito e era inabitável, na altura do desaparecimento de Amelia, em 1937. Três anos depois, uma equipa de investigação encontrou uma caveira humana e um esqueleto parcial.

Perto estava também um sapato, que os investigadores acreditam pertencer a uma mulher, e uma caixa fabricada em 1918, desenhada para guardar um sextante, um instrumento elaborado para medir a distância angular na vertical entre um astro e a linha do horizonte para fins de cálculo da posição e corrigir eventuais erros de navegação.

Os ossos foram recolhidos e entregues numa escola médica em Fiji, onde David Hoodless, um médico e professor de anatomia, os mediu e concluiu que pertenceram a um homem de meia idade.

Mais tarde, os ossos desapareceram pelo que o mistério baseia-se nas medições de Hoodless e na antropologia forense de 1941.

Sem os ossos, é difícil avaliar a fiabilidade das medidas. Mas o antigo diretor do Centro de Antropologia Forense da Universidade do Tennessee, Richard Jantz, evidenciou num artigo como essa disciplina era ainda primitiva na altura.

Hoodless usou fórmulas desenvolvidas por um estatístico do século XIX, Karl Pearson, para calcular a estatura a partir do comprimento do osso e concluiu que o náufrago tinha cerca de 1,66 metros de altura.

As fórmulas de Pearson são, porém, amplamente reconhecidas por subestimar a altura. Hoodless também usou três indicadores de sexo: a proporção da circunferência do fémur para o comprimento, o ângulo entre o fémur e a pélvis, e o ângulo subpúbico, entre dois ossos da pélvis, que é maior nas mulheres do que nos homens.

Desses três indicadores, apenas o ângulo subpúbico ainda é considerado válido, e nas suas notas, Hoodless não divulgou o peso relativo que deu a cada um. Ainda hoje, diz o Dr. Jantz, não é possível “acertar” sempre. Hoodless observou que os ossos eram “batidos pelo tempo”, o dano que o Dr. Jantz pensa ser mais provável de ter sido causado por caranguejos destruidores e que também pode descartar as medidas de Hoodless.

Se Hoodless estivesse certo, os restos não poderiam pertencer a Earhart, cuja licença de condução registava uma altura de 1,70 metros.

O Dr. Jantz também descreve algumas novas pesquisas sobre o assunto. Os americanos dessa era diferiram morfologicamente dos homólogos modernos. Por isso, o cientista comparou as medidas de Hoodless com as dos esqueletos de 2.700 americanos brancos que morreram entre os séculos XIX e XX. Jantz incluiu as medidas dos ossos de Earhart calculados a partir de fotografias e conclui que os ossos mais pareciam os do náufrago do que 99% da amostra de referência.

A descoberta pode ser suficiente para convencer aqueles que até agora apoiaram a conclusão de Hoodless. Mas é improvável que silencie os teóricos da conspiração que continuam a pensar no desaparecimento de Earhart.

A verdade pode nunca ser totalmente descoberta. Mas mesmo que aqueles que afirmam que se afogou consigam explicar a semelhança que o Dr. Jantz descobriu, outro mistério aguarda agora uma resposta: Se o náufrago não era Earhart, então quem era?

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Quanta bobagem. Tentar descobrir apenas por medições anotadas, se ossos que já não existem mais, pertencem aos dois desaparecidos! E por que Amelia e Fred Noonan, o navegador do avião, usariam um sextante de 1918 que estava junto aos ossos, em 1939? A ilha Gardner, onde foram encontrados os supostos ossos, encontra-se a 650 km ao Sul da ilha Howland onde se encontrava o navio balizador que aguardava o avião; muito distante, seria um erro de navegação muito grande. Alem disso o radio-operador do navio balizador ouviu a última transmissão muito mais clara do que durante o voo; sinal de que estavam muito próximos da ilha Howland, o seu destino. Portanto, tudo indica que caíram na água ou pousaram no mar, próximo a ilha Howland, pois estavam quase sem combustível porque encontraram ventos contrários e tempestade no caminho. Existem planejamentos de buscas submarinas do avião na área próxima a ilha, através de um batiscafo, em uma área que é mantida em sigilo pelos pesquisadores americanos que usaram os sinais de radio e computadores, em uma complexa pesquisa, para determinar o local aproximado.

RESPONDER

Parar de comer quando se está cheio nem sempre é fácil (e há uma razão para isso)

Com alguns alimentos, parar de comer — mesmo quando se está cheio — nem sempre é fácil. Isto porque algumas destas comidas podem ter sido feitas de forma a que tal aconteça. Nenhum alimento é criado …

Há milhares de misteriosos buracos no fundo do mar da Califórnia

Surgiu um novo mistério perto da costa de Big Sur, na Califórnia, no fundo do Oceano Pacífico: há milhares de pequenos fragmentos redondos retirados dos sedimentos do fundo do mar.   A descoberta foi feita como parte …

NASA apresenta "mapa do tesouro" para encontrar água em Marte

Uma equipa de cientistas da NASA elaborou um mapa da água congelada que existe em Marte e que se acredita estar a apenas 2,5 centímetros abaixo da superfície do Planeta Vermelho - isto é, à …

Já se sabe como é que planetas florescem a partir de pequenos pedaços de poeira

Uma equipa de investigadores validou uma teoria que pode explicar como é que os planetas crescem a partir de pequenos pedaços de poeira interestelar. O crescimento de um pequeno pedaço de poeira até um planeta inteiro …

Rainha Isabel II está a procura de um gestor de redes sociais

A família real britânica está à procura de um gestor de redes sociais. O salário vai oscilar entre os 53 e 59 mil euros anuais por 37 horas semanais, de segunda a sexta-feira. A rainha Isabel II …

Cinco antepassados de crocodilos viveram há 150 milhões de anos na Lourinhã

Pelo menos cinco crocodilomorfos, antepassados dos crocodilos, viveram na região da Lourinhã há 150 milhões de anos, durante o período do Jurássico. Num artigo publicado na Zoological Journal of the Linnean Society, os paleontólogos Alexandre Guillaume, …

A radiação de Chernobyl está a deixar as vespas esfomeadas (e isso é má notícia)

A Zona de Exclusão de Chernobyl é a área em torno da cidade ucraniana de Pripyat, onde a Central Nuclear de Chernobyl entrou em colapso em 1986. Apesar de não haver humanos na região, e …

Beethoven deixou a 10.ª sinfonia inacabada (e a IA vai completá-la)

Um dos maiores dilemas da história da música é a obra inacabada de Ludwig van Beethoven (1770-1827), a "10ª sinfonia", com muitos músicos a esforçar-se para finalizá-la, utilizando alguns dos fragmentos disponíveis, mas sem sucesso. Desta …

Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo. Tal como nos humanos, as avós …

A "capital mundial das pessoas feias" mora na Itália

Piobbico, na Itália, é uma cidade medieval repleta de grandes edifícios de pedra cercados por florestas exuberantes. No entanto, a cidade é conhecida pela feiura dos seus habitantes. Esta cidade, com cerca de 2.000 habitantes, alberga …