Cientistas descobrem nova espécie, mas a guerra pode deixá-la escondida para sempre

Alec Moore

Uma equipa de investigadores descobriu uma nova espécie de raia, proveniente do Iémen. No entanto, a guerra que afronta o país pode impedir os cientistas de procurarem por mais espécimes.

O mundo tem uma nova espécie. Uma equipa de investigadores descobriu uma raia, um primo distante de tubarões. É pequena, do tamanho de uma mão estendida, e à primeira vista sem grandes marcas distintivas. Mas o que há de especial nesta raia é de onde ela veio, como foi descoberta e porque talvez nunca mais a vejamos novamente.

O termo “descoberta” pode evocar imagens de intrépidos biólogos marinhos que encontram um animal escondido numa caverna remota ou enquanto mergulham no abismo num submersível. Na verdade, muitos dos tubarões e raias descobertos nos últimos anos foram encontrados em mercados de peixe. Esta raia não é exemplo disso. Os cientistas encontraram-na numa jarra de vidro, numa prateleira de um museu, no centro de Viena.

A nova espécie, agora cientificamente conhecida como Hemitrygon yemenensis, é proveniente do Iémen, na Península Arábica. Um estudo foi recentemente publicado no portal Biotaxa.

Em 1902, uma equipa austríaca de marido e mulher – Wilhelm e Marie Hein – estava na cidade costeira de Qishn, para estudar a única língua Mehri. Marie, além de fornecer tratamento médico aos habitantes locais, recolheu mais de 2.000 espécimes botânicos e zoológicos, entre eles, duas raias, um macho e uma fêmea. Os espécimes foram preservados e levados de volta para o Museu de História Natural de Viena, onde ficaram parados numa jarra de vidro a ganhar pó durante 115 anos.

O investigador Alec Moore, num relato publicado no The Conversation, conta que estava a vasculhar a lista de espécimes da expedição dos Hein quando reparou num nome antigo, agora obsoleto, de uma raia. Uma investigação mais aprofundada sugeriu que era algo especial nunca antes visto.

O cientista procedeu a cuidadosamente partir a jarra de vidro e analisar minuciosamente as raias. Depois, juntamente com a sua equipa, comparou o espécime iemenita com espécimes conhecidas e intimamente relacionadas.

Até ao momento, pouco se sabe em relação a esta nova espécie e, infelizmente, é provável que continue assim. Além dos dois espécimes recolhidos há mais de um século, o animal é completamente desconhecido da ciência.

As espécies pequenas de raia não tendem a nadar para longe e, como resultado, geralmente têm pequenas faixas geográficas – portanto, há uma chance de a H. yemenensis existir apenas no Iémen.

No entanto, a investigação é quase impossível devido a uma guerra brutal e à crise humanitária, décadas de conflito anterior, e por estar entre os “países menos desenvolvidos” para indicadores como pobreza, educação e esperança média de vida.

A pesca intensiva insustentável nessas áreas ameaçam não apenas espécies marinhas únicas como a nova espécie de raia, mas também os meios de subsistência das próprias comunidades pesqueiras. Existe até uma chance de que a H. yemenensis tenha sido extinta antes de percebermos que era uma nova espécie.

Wilhelm Hein morreu no ano seguinte à expedição, com apenas 42 anos. Espera-se que a sua raia não tenha morrido com ele.

PARTILHAR

RESPONDER

Crianças inspiram Lego a livrar-se de todas as embalagens de plástico

As peças da Lego podem acabar no oceano durante mais de mil anos, mas os fabricantes dinamarqueses estão a tentar tornar a empresa ecologicamente correta. Na sua última promessa, a Lego vai começar a usar sacos …

Uma cidade chamada "amianto" está a tentar mudar o nome (e a discussão tornou-se tóxica)

Há uma cidade no Canadá chamada Asbesto - um material de construção altamente tóxico. Os habitantes da cidade não estão felizes com este nome, mas a sua mudança também não está a ser fácil. De acordo …

FC Porto 3-1 Braga | Entrada de “dragão”

O FC Porto iniciou a defesa do título nacional com uma vitória importante sobre o Sporting de Braga por 3-1. Os minhotos marcaram primeiro no Dragão, por um ex-portista, mas os descontos do primeiro tempo foram …

Barco navega em forma de coração para agradecer aos habitantes da Nova Escócia

A escuna Bluenose II navegou de forma bastante original no último dia da temporada de 2020. A rota seguida criou a forma de um coração no porto de Lunenburg, na Nova Escócia. De acordo com o …

França bate recorde com 13.498 novos casos. Espanha não vai confinar

A França registou este sábado um recorde diário de casos de covid-19, com 13.498 novos infetados nas últimas 24 horas, anunciou a Agência Nacional de Saúde, acrescentando que, no mesmo período, morreram mais 26 pessoas. No …

Diogo Jota no Liverpool

O Liverpool oficializou hoje a contratação do futebolista internacional Diogo Jota, de 23 anos, num contrato “de longa duração”, sem especificar a duração. A imprensa inglesa tem adiantado que o jogador vai assinar por cinco épocas, …

Companhia aérea australiana oferece voos de 7 horas (para lugar nenhum)

A companhia aérea australiana Qantas anunciou recentemente planos para um voo panorâmico de sete horas que fará um loop gigante em Queensland e Gold Coast, New South Wales e os remotos centros do interior do …

Barack Obama vai publicar um livro de memórias (mas só depois da eleições de novembro)

O livro de memórias do antigo Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, só vai ser publicado depois das eleições presidenciais de novembro. Uma enxurrada de livros políticos chegou às prateleiras nas últimas semanas, no final da …

Confrontos em Londres entre polícia e opositores das restrições devido à pandemia

A polícia de Londres, Inglaterra, entrou hoje em confronto com manifestantes que protestavam contra as restrições que visam conter a disseminação do novo coronavírus. De acordo com a agência Associated Press (AP), os confrontos ocorreram quando …

Milhares infetados por bactéria após fuga em fábrica farmacêutica chinesa

Milhares de pessoas no noroeste da China contraíram uma doença bacteriana depois de uma fuga que causou um surto numa biofarmacêutica no ano passado. De acordo com a CNN, que cita relatos dos media locais, mais …