O estranho caso da Noruega: precisava de ganhar e nem rematou à baliza

Ou não será tão estranho, tendo em conta que Haaland não jogou. O último dia da fase de grupos definiu a última selecção europeia já apurada para o Mundial 2022: os Países Baixos.

A selecção dos Países Baixos esqueceu o que a Holanda (não) fez no apuramento para o Mundial 2018. Os holandeses não estiveram na Rússia mas estarão no Qatar. Esta terça-feira era o último dia da fase de grupos da qualificação europeia para o Mundial 2022. Os líderes do Grupo D (França) e Grupo E (Bélgica) já estavam definidos; faltava conhecer o vencedor do Grupo G – precisamente os Países Baixos.

Numa autêntica final para as duas selecções – e com Turquia atenta – Países Baixos e Noruega encontraram-se em Roterdão e foi a equipa da casa a ganhar por 2-0.

Mas, aos 83 minutos, o marcador mostrava 0-0. Steven Bergwijn inaugurou então as contas e Memphis Depay fechou o resultado já nos descontos. Memphis terminou esta fase de qualificação como o maior goleador, ao lado do inglês Harry Kane (12 golos cada).

Voltemos às contas do Grupo G: antes deste jogo, a Noruega tinha 18 pontos, tal como a Turquia; os Países Baixos somavam 20 pontos. Ou seja, os noruegueses tinham de vencer para pensar no primeiro lugar, que daria o apuramento directo.

E, num jogo em que a vitória era o objectivo, a Noruega realizou… zero remates na direcção da baliza. Apenas dois no total – ambos para fora. Um registo incompreensível por um lado, compreensível por outro: Erling Haaland está lesionado e só deve voltar aos relvados em 2022. Mas não será para o Mundial no Qatar, seguramente. Martin Odegaard e Alexander Sorloth, titulares, não chegaram.

A Turquia ainda esteve a perder mas ganhou por 2-1 em Montenegro e assim vai ao play-off, tal como Ucrânia e País de Gales (segundos classificados no respectivo grupo) e Áustria e República Checa (Liga das Nações).

Bélgica, Croácia, Dinamarca, Inglaterra, França, Alemanha, Países Baixos, Sérvia, Espanha e Suíça são as 10 selecções europeias que já têm bilhete para o Qatar.

Áustria, República Checa, Itália, Macedónia do Norte, Polónia, Portugal, Rússia, Escócia, Suécia, Turquia, Ucrânia e País de Gales vão tentar a qualificação no play-off, em Março.

E a Islândia?

A famosa selecção do Norte da Europa, que deixou a sua marca no Europeu 2016 (tal como os seus adeptos), conseguiu a qualificação inédita para a fase final do Mundial 2018.

A Islândia tornou-se o país com menos habitantes a estar presente num Mundial de futebol: apenas 335 mil habitantes, na altura.

Na Rússia não conseguiu mais do que um empate (mas contra a Argentina, logo na estreia), que deu apenas o último lugar do Grupo D. Perdeu diante de Nigéria e Croácia.

Na fase de qualificação para o Mundial 2018, a Islândia tinha surpreendido ao vencer o Grupo I, um dos mais equilibrados de todos: Croácia (que seria vice-campeã mundial), Ucrânia, Turquia, Finlândia e Kosovo.

Agora, na fase de qualificação para o Mundial 2022, ficou na quinta posição do Grupo J, atrás de Alemanha, Macedónia do Norte, Roménia e Arménia. Só ficou à frente do modesto Liechtenstein. E só ganhou dois jogos, em 10 jornadas; precisamente os dois duelos com o Liechtenstein.

  Nuno Teixeira, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.