Noruega: coligação em risco devido ao regresso de jovem que casou com membros do Daesh

(cv)

Uma norueguesa, hoje com 29 anos, partiu de Oslo para a Síria, em 2013, onde casou com dois membros do Estado Islâmico, mortos em combate, dos quais teve dois filhos. Este fim de semana viu autorizado o seu regresso ao país de origem, o que originou um debate interno e ameaça criar uma crise política no Governo.

Segundo noticiou o Observador, antes de partir para a Síria, a mulher – criada no seio de uma família norueguesa/paquistanesa e agora mãe de um rapaz de cinco anos e de uma rapariga de três -, jogava futebol e frequentava a universidade.

Devido à estado de saúde de um dos seus filhos, recebeu a autorização para voltar para a Noruega, o que pode levar a uma crise política no Governo, com o Partido do Progresso (uma formação de tendência xenófoba) a discordar do seu regresso, por se tratar de uma “terrorista” e estar acusada de crimes puníveis até seis anos de prisão, informou a Reuters.

Por motivos de “segurança nacional”, a jovem encontra-se detida até ser presente a tribunal. As crianças estão a ser vigiadas no Hospital de Oslo.

“Ela detesta tudo o que nós representamos. Fez parte de uma organização extremista que espalhou o terror com decapitações, execuções em massa, sequestros e violações. Não queremos cá pessoas destas nem queremos que as autoridades norueguesas gastem recursos com ela”, assumiu Jon Engen-Helgheim, porta-voz do partido de extrema-direita.

Já a primeira-ministra da Noruega e líder do Partido Conservador, Erna Solberg, salientou o facto de a criança doente precisar de “receber tratamento médico na Noruega”, numa reação claramente oposta à do Partido do Progresso, notou o Observador.

Entretanto, a ministra das Finanças, Siv Jensen, renunciou ao cargo e fez saber que concorda com os cuidados médicos oferecidos à criança, mas não com o apoio aos adultos com ligações a grupos extremistas. Erna Solberg, por sua vez, vai continuar a liderar o novo governo minoritário.

O advogado da jovem, Nils Christian Nordhus, admitiu que a mesma está disponível para colaborar com as autoridades e que nega todas as acusações relacionadas com terrorismo.

“Esta mulher quer lidar com o que fez no passado. Cabe aos procuradores provar a sua participação em ações terroristas ou de combate. A verdade é que este caso se resume ao facto de ela ter estado na Síria e ter conhecido pessoas que estavam envolvidas em organizações terroristas”, indicou.

Estima-se que 12 mil estrangeiros continuem detidos em campos de refugiados sírios, incluindo 8700 crianças de mais de 40 nacionalidades, segundo dados da associação internacional Save the Children.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Então o médio oriente não serve para estes insurgidos?
    O ocidente é o inimigo até precisarem de tecnologia, medecina, liberdade e comida!

    Belos hipócritas, que nos odeiam mas não querem viver noutro sitio que não no nosso tão perfeito inferno ocidental!

  2. É o grande dilema : ” O que fazer dos Nacionais que abraçaram causas terroristas, Islâmicas ou outras” , e que recorrem a ajuda dos “Infiéis” quando se vem a rasca ???……… Propostas não faltam de certeza !.. Por mim é Prisão perpétua por actos e apoio a grupos terroristas, que matam indiscriminadamente pessoas com a maior frieza !

RESPONDER

Há uma orquestra presa num palácio da Alemanha há 75 dias

Um grupo de músicos bolivianos, que pertencem à Orquestra Experimental de Instrumentos Nativos, está confinado no Palácio Rheinsberg, na Alemanha, há cerca de 75 dias devido à pandemia de covid-19. No início de março, os membros da …

Bolsonaro diz ter imagem negativa no exterior porque a imprensa "é de esquerda"

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse hoje que a sua imagem no exterior é negativa porque a imprensa mundial é de esquerda, enquanto falava com apoiantes junto ao Palácio da Alvorada, em Brasília. "A imprensa …

Líderes vodu do Haiti preparam templos para tratar infetados com covid-19

Líderes de vodu do Haiti pediram aos padres da religião afro-caribenha para criar um remédio secreto que servisse de tratamento contra o novo coronavírus. Aos religiosos foi também pedido que preparassem as câmaras sagradas de …

Centros comerciais e lojistas dizem-se preparados para reabrir em junho

Os centros comerciais e lojistas asseguram estar preparados para reabrir em pleno em 1 de junho, apelando à não discriminação face aos restantes espaços de retalho, mas pedem medidas que travem o impacto da pandemia …

Não vai faltar sardinha dentro dos próximos anos, revela investigação

A quantidade de sardinha adulta no mar é mais do que suficiente para os próximos três anos. Os dados científicos confirmam que o stock de sardinha está totalmente recuperado. O último cruzeiro realizado pelo Instituto Português …

Um ano e 20 mil assinaturas depois, Acordo Ortográfico regressa ao parlamento

Um projeto de lei de iniciativa de cidadãos, com 20.669 assinaturas, contra o Acordo Ortográfico (AO), começa esta quarta-feira a ser discutido no parlamento, mais de um ano depois de ter sido entregue. Na agenda de …

Em Inglaterra, 60 clubes podem falir até ao próximo ano

A pandemia de covid-19 pode levar à falência de cerca de 60 clubes dos escalões ingleses mais baixos. O aviso é feito por Phil Hodgkinson, dono do Huddersfield Town, equipa do Championship, a segunda divisão inglesa. "O …

OMS suspende ensaios clínicos com hidroxicloroquina

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou hoje a suspensão temporária dos ensaios clínicos com hidroxicloroquina para combater a covid-19 por causa de estudos científicos que associam maior mortalidade ao uso daquele medicamento. O diretor-geral da …

Ministro afasta que Ensino Superior se mantenha à distância depois da pandemia

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior considerou hoje que o ensino "vive da interação entre as pessoas", afastando a possibilidade de o trabalho à distância substituir o modelo presencial no período pós-covid-19. “Vivemos um …

Vacina pode estar disponível no Reino Unido a partir de setembro, diz farmacêutica

O presidente executivo da empresa farmacêutica anglo-sueca AstraZeneca, Pascal Soriot, disse no domingo que os britânicos poderão ter acesso a uma vacina contra o novo coronavírus a partir de setembro, caso os testes clínicos prossigam. O …