NASA descobre mar subterrâneo congelado em Marte

Os equipamentos da sonda MRO estão a ajudar os cientistas a medir o volume das reservas de água gelada em Marte, encontradas no subsolo de uma das planícies do planeta.

A massa total das reservas pode ser comparada com o volume de água nos Grandes Lagos, o maior reservatório de água doce no mundo, destacam os especialistas, no artigo publicado na revista Geophysical Research Letters.

“É provável que a água nessas reservas seja mais acessível para nós do que outros sedimentos de gelo em Marte, porque está a latitudes relativamente baixas e no subsolo de uma planície plana, onde é mais fácil aterrar uma nave espacial do que em outras regiões”, disse Jack Holt, investigador da Universidade do Texas, em Austin, EUA.

Nos últimos anos, os cientistas descobriram várias provas de que na superfície de Marte, em tempos antigos, havia rios, lagos e oceanos inteiros – que continham quase a mesma quantidade de água que o oceano Ártico.

Por outro lado, alguns especialistas acreditam que Marte poderá ter sido sempre demasiado gelado para a existência permanente de oceanos, e a água podia estar em estado líquido só durante erupções vulcânicas.

As observações recentes de Marte com ajuda de telescópios terrestres mostraram que nos últimos 3,7 mil milhões de anos, o Planeta Vermelho perdeu água que seria suficiente para cobrir toda a sua superfície com um oceano de 140 metros de profundidade – agora, os cientistas tentam descobrir para onde foi essa água.

Jack Holt e os seus colegas descobriram um possível indício dessa água “desaparecida” ao estudarem a estrutura incomum da planície de Utopia, com os instrumentos da sonda MRO, que está a recolher dados de Marte desde 2005.

Vários “buracos” incomuns, fendas e estruturas parecidas com um solo rachado, fizeram os cientistas suspeitar que reservas significativas de água podiam estar escondidas debaixo da planície.

Os especialistas verificaram a ideia com o radar SHARAD a bordo do MRO, que permite “ver” através do solo a centenas de metros de profundidade e determinar a sua composição química e estrutura.

A intuição dos cientistas não os enganou — debaixo da planície Utopia esconde-se um mar inteiro de água, que tem um tamanho aproximadamente igual ao do Mar Cáspio ou do maior país europeu.

Este mar “secreto” tem cerca de 80-170 metros de espessura, e é constituído por 85% de água, e 15% de pó ou pedras grandes.

A água, de acordo com os investigadores, conseguiu “sobreviver” em Marte – um planeta atualmente muito seco – e não se evaporar graças a uma camada de 10 metros de pó e de solo que a protege da atmosfera.

Os cientistas sugerem que este oceano gelado se formou nos tempos antigos, quando o eixo de Marte estava inclinado no sentido contrário e a planície Utopia ficava mais perto dos polos do Planeta.

Para além dos objetivos óbvios de colonizar Marte, estas reservas de gelo podem ajudar a revelar os segredos do clima de Marte no passado, concluem os especialistas.

ZAP / Sputnik News

PARTILHAR

RESPONDER

34 anos depois, dados da Voyager 2 revelam mais um segredo de Urano

Mais de 30 anos depois, os dados da Voyager 2, que sobrevoou o planeta em 1986, permitiram aos cientistas da NASA desvendar mais um segredo de Urano. Em janeiro de 1986, a Voyager 2 sobrevoou Urano. …

Está a nevar em Plutão

Em julho de 2015, a sonda New Horizons da NASA concluiu uma longa e árdua jornada pelo Sistema Solar, viajando a 36.000 mph durante nove anos e meio. Toda a missão focava-se em mapear a …

Cientistas dão um importante passo na criação de uma Internet quântica segura

Uma nova investigação da Universidade de Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, revelou o elo que faltava para termos uma Internet quântica funcional e prática: uma forma de corrigir os …

Os pedregulhos de Bennu brilham como faróis para a Osiris-Rex da NASA

Este verão, a sonda OSIRIS-REx empreenderá a primeira tentativa da NASA de tocar a superfície de um asteroide, recolher uma amostra e recuar em segurança. Mas, desde que chegou ao asteroide Bennu há mais de …

Cidades subterrâneas podem ser um bom refúgio para futuros desastres

Especialistas ouvidos pelo portal One Zero acreditam que cidades subterrâneas podem ser um bom refúgio para populações que possam vir a enfrentar desastres naturais no futuro potenciados pelas alterações climáticas. À medida que os desastres naturais …

Descobertas três novas espécies de pterossauro em Marrocos

Cientistas encontraram três novas espécies de pterossauro, que viveram no deserto do Sahara, há 100 milhões de anos, em Marrocos. De acordo com o site EurekAlert!, estas três novas espécies de pterossauro faziam parte de um …

Texto português do século XVI mostra eficácia da quarentena

Um especialista australiano descobriu num texto português do século XVI uma prova de que a quarentena ou o isolamento podem impedir a globalização de uma doença como a covid-19, que já provocou mais de 30 …

Coronavírus. Mercados chineses continuam a vender morcegos

Nem com a pandemia de covid-19 a China abre mão dos seus velhos hábitos. Embora o novo coronavírus tenha tido origem num mercado de animais exóticos, em Wuhan, muitos destes sítios continuam a funcionar normalmente …

No Twitter, o discurso de ódio contra chineses cresceu 900%

A L1ght, uma empresa que mede a toxicidade das plataformas digitais, partilhou recentemente um relatório no qual revela que o discurso de ódio contra a China e contra os chineses teve um crescimento de 900%. Donald …

Há mais pessoas em quarentena do que vivas durante a 2ª Guerra Mundial

Um terço da população mundial - 2,6 mil milhões de pessoas - está em quarentena. São mais seres humanos em isolamento do que aqueles que estavam vivos para testemunhar a 2ª Guerra Mundial. Na terça-feira, o …