Mulheres em greve na Polónia contra proibição do aborto

Olivier Hoslet / EPA

-

Milhares de mulheres entraram em greve e saíram às ruas na Polónia, vestidas de negro, para contestar a proposta de lei que pretende proibir o aborto em quaisquer circunstâncias. Milhares de pessoas já se tinham manifestado no sábado diante do parlamento em Varsóvia.

A Black Monday – “segunda-feira negra” – paralisou escolas e serviços públicos em mais de 60 cidades polacas contra uma proposta ultraconservadora apresentada por um grupo independente que pretende a proibição total da Interrupção Voluntária da Gravidez (IVG), penalizando as mulheres que o façam com penas até cinco anos de prisão.

Na capital, Varsóvia, decorreram manifestações junto ao Parlamento e à sede do partido conservador Lei e Justiça, que tem apoiantes declarados da proposta entre os deputados que formam a maioria parlamentar.

O protesto é inspirado numa ação semelhante que teve lugar na Islândia a 24 de outubro de 1975, quando as mulheres se recusaram trabalhar, cozinhar e cuidar das crianças durante um dia para chamar a atenção para as desigualdades salariais e outros problemas de desigualdade de género.

Algumas empresas aderiram à “segunda-feira negra”, dando o dia livre às suas trabalhadoras para reivindicarem os seus direitos reprodutivos.

Já o ministro dos Negócios Estrangeiros, Witold Waszczykowski, referiu-se ao protesto de forma irónica: “Deixe-os divertirem-se. Devem ir em frente se acham que não há problemas maiores na Polónia”, declarou à rádio RMF.

Prisão para mulheres e médicos

A Polónia, onde 90% dos 38 milhões de cidadãos se declaram católicos, já tem uma das legislações mais restritivas da Europa, permitindo a IVG apenas em casos de violação, incesto, risco de vida para a mulher ou má formação grave do feto.

Segundo os críticos, a mudança poderá fazer com que mulheres que tenham sofrido um aborto natural sejam investigadas para averiguar se não teriam provocado o aborto.

As regras propostas, a serem aprovadas, podem mesmo desencorajar os médicos de realizar exames pré-natal, particularmente se os procedimentos implicarem risco de aborto espontâneo, já que intervir numa IVG poderá significar até três anos de prisão.

Os ativistas alegam ainda que muitas mulheres não têm acesso ao procedimento mesmo nas atuais condições, já que os médicos invocam o direito legal de recusa por razões morais ou religiosas.

Atualmente, o número de abortos legais na Polónia é de cerca de mil casos por ano, enquanto cerca de 150 mil procedimentos acabam por ser feitos ilegalmente, muitos dos quais em países vizinhos, como a Alemanha ou a Eslováquia – mas apenas para quem tem como suportá-los.

“Muitas mulheres e raparigas neste país sentiram que já não têm nenhum poder, que não são iguais, que não têm o direito a opinião“, afirmou Magda Staroszczyk, uma das organizadoras da greve, em declarações ao jornal The Guardian.

A polémica proposta de lei foi aceite no parlamento a 23 de setembro e surgiu de uma iniciativa legislativa cidadã que recolheu 450 mil assinaturas, com o apoio ativo da igreja católica. No entanto, de acordo com sondagens recentes, o projeto tem apoio de apenas 11% da população.

Em março, a maioria conservadora que governa o país também anunciou que tenciona reinstituir a obrigatoriedade de prescrição médica para a pílula do dia seguinte.

Não está claro se o partido no poder vai apoiar o projeto de lei, tendo alguns dos seus membros sido citados na imprensa local como disponíveis para apresentar uma proposta alternativa, segundo a agência de notícias Reuters.

ZAP

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Marcelo satisfeito com reabertura “sensata”. Alívio das restrições arranca hoje

O levantamento gradual das restrições em função da vacinação contra a covid-19 arranca este domingo com regras aplicáveis em todo o território continental, inclusive o limite de horário de encerramento até às 2h00 para restauração …

Restos mortais de morcego-vampiro podem desvendar mistérios sobre a espécie extinta

A descoberta da mandíbula de um morcego que viveu há 100 mil anos pode ajudar a responder a algumas incógnitas sobre a espécie extinta. Os restos mortais foram encontrados numa caverna na Argentina. De acordo com …

Vacinação de crianças saudáveis está aberta à "livre escolha dos pais"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, salientou este sábado que as autoridades de saúde não proibiram a vacinação contra a covid-19 para crianças saudáveis, considerando que “esse espaço continua aberto à livre escolha …

Tal como nos humanos, a cafeína ajuda as abelhas a aumentar o foco e a eficácia

Um novo estudo indica que, tal como em muitos humanos, uma injeção de cafeína ajuda as abelhas a manterem-se mais concentradas e a realizarem o trabalho com mais eficiência. Uma equipa da Universidade de Greenwich percebeu …

Astrónomos detetam, claramente e pela primeira vez, um disco a formar satélites em torno de exoplaneta

Com o auxílio do ALMA, do qual o ESO é um parceiro, os astrónomos detetaram pela primeira vez de forma clara a presença de um disco em torno de um planeta fora do nosso Sistema …

E se a Terra parasse subitamente de girar?

O nosso planeta demora 23 horas e 56 minutos a completar uma volta em torno do seu eixo, movendo-se a cerca de 1.770 quilómetros por hora. Aprendemos estes pormenores sobre o planeta azul na escola, …

Sporting 2 - 1 Braga | Leão entra em 2021/22 a rugir

O Sporting parece querer manter a senda de sucesso da época passada e entrou em 2021/22 com o pé direito. Os “leões” bateram o Sporting de Braga por 2-1, num jogo que valeu, sobretudo, pela primeira …

Ensinar crianças a dizer palavrões? Uma cientista acha que é boa ideia

A auto-intitulada "cientista dos palavrões" acredita que ensinar as crianças a usá-los de forma eficiente ajuda os mais novos a perceber como este palavreado afecta outras pessoas. Já se sabia que dizer palavrões é um sinal …

Fósseis misteriosos podem ser uma das provas mais antigas de vida animal na Terra

Elizabeth Turner, cientista numa universidade do Canadá, poderá ter encontrado a prova mais antiga de vida animal na Terra. Uma cientista encontrou possíveis sinais de vida animal multicelular em restos de recifes microbianos de há 890 …

E se o mundo entrasse em colapso? Cientistas descobrem qual o país onde há maior probabilidade de sobreviver

Caso a civilização entre em colapso - uma possível consequência das alterações climáticas - os cientistas já descobriram qual o lugar do mundo onde há maior probabilidade de sobreviver: é na Nova Zelândia. Numa pesquisa, dois …