“Queria um menino ou uma menina.” Falsa médica tentou raptar bebé no Hospital de S. João

José Coelho / Lusa

Hospital de São João, Porto

Uma mulher terá tentado raptar um bebé recém-nascido no Serviço de Obstetrícia do Hospital de São João, no Porto. O Hospital vai abrir um inquérito.

Segundo o Jornal de Notícias, a tentativa de rapto terá acontecido por volta das 19 horas deste sábado, e foi travada pela família do bebé recém-nascido, apesar de a mulher estar, alegadamente, disfarçada de médica.

Os familiares da menina recém-nascida viram a suspeita com o bebé nos braços e tentaram saber para onde é que o levava. A incapacidade de dar uma resposta fez desconfiar que algo de errado se passava, apesar de a família não ter percebido de imediato que não se tratava de uma profissional do Hospital de São João.

Contactada pela Lusa, uma fonte do Comando Metropolitano da PSP do Porto adiantou que a mulher, de 48 anos, entrou no quarto onde estava o bebé e familiares.

A mesma fonte diz, porém, que a mulher apenas “chegou a pegar na criança ao colo”, mas o pai estranhou a situação e decidiu chamar a polícia às 19h22 de sábado, tendo a suspeita acabado por ficar detida.

Depois de vários casos de tentativas de raptos nas maternidades, os hospitais têm implementado medidas de segurança. No caso do Hospital de São João, os acessos do exterior são eletrónicos e feitos com cartão. Só os médicos, enfermeiros ou auxiliares que pertencem ao serviço podem entrar e até os pais e familiares precisam de ser indicados e identificados.

O problema é que as portas podem ser abertas por dentro com recurso a um interruptor, o que terá sido o caso, aparentemente. Uma das visitas no serviço, pensando que se tratava de um profissional de saúde do hospital, abriu a porta à mulher de bata.

Os agentes de segurança e da PSP que se encontravam na zona das Urgências foram chamados e a suspeita levada para a esquadra do Bom Pastor.

O Hospital de São João, no Porto, já adiantou que vai abrir um inquérito interno para “esclarecimento completo” da tentativa de rapto de um recém-nascido na maternidade daquela unidade. “O hospital vai abrir um inquérito interno para esclarecimento completo da ocorrência”, disse fonte oficial do hospital, que se escusou a avançar com mais detalhes.

A mulher permanece detida devido à “gravidade da situação”, disse fonte da PSP. Deverá ser presente a tribunal, para primeiro interrogatório, esta segunda-feira de manhã.

“Disse que era muito linda e perguntou se lhe podia pegar”

Ao Jornal de Notícias, a avó da criança contou que foi ela que passou a recém-nascida para os braços da alegada raptora. “Disse que era muito linda e perguntou se lhe podia pegar. Eu, como achava que a minha nora a conhecia, deixei.

A mulher, que se fazia passar por médica, foi intercetada pelo pai da criança que lhe retirou o bebé dos braços, impedindo o rapto. No momento em que foi confrontada pelo pai, afirmou ser médica do hospital, mas o pai não acreditou. Desconfiado, depressa chamou um funcionário que confirmou que a mulher não trabalhava naquele hospital.

A mulher acabou por ser retida à chegada da PSP e será, na manhã desta segunda-feira, presente a tribunal para responder pelos crimes de “usurpação de funções, tentativa de rapto/sequestro, introdução em lugar vedado ao público“.

A mulher está detida na PSP e a investigação está a ser conduzida pela Divisão de Investigação Criminal daquela força de segurança.

A falsa médica tem 48 anos, reside em Vila Nova de Gaia e está desempregada, adianta o Diário de Notícias. Na sua mão foi encontrado um cartão de técnica socorrista, emitido em 2016, que poderá ter facilitado a sua entrada no Hospital de São João. A motivação da mulher, que não tem antecedentes criminais, é para já desconhecida.

No entanto, quando foi ouvida pela PSP, apesar de ter sido parca em palavras, admitiu em jeito de desabafo que “queria um menino ou uma menina”. Esta confissão, segundo o Jornal de Notícias, dá força à tese de que a mulher vigiou o hospital nos dias anteriores para preparar a melhor altura para o rapto.

Como conseguiu entrar numa zona de acesso restrito?

De acordo com o Observador, há duas teorias acerca da forma como a falsa médica conseguiu entrar na zona restrita de acesso aos quartos onde as mães estão com os recém-nascidos. Mas ambas coincidem num ponto: o elemento fundamental foi a bata branca que vestia, fazendo-se passar por profissional de saúde.

No entanto, continua por apurar se a suspeita teve acesso a um livre-passe que permite abrir as portas das áreas restritas ou se alguém, pela parte de dentro, lhas abriu.

A polícia admite que tenha sido um outro visitante, estando na parte de dentro, a abrir a porta à suspeita –  o que não seria estranho, nem significa que havia um cúmplice, já que, do outro lado do vidro, estaria, aparentemente, uma suposta médica ou enfermeira.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Sporting 2-1 Santa Clara | Super-Coates volta a ser herói

Arrancado a ferros… à campeão? O Sporting esteve a poucos segundos de registar o terceiro empate em casa, perante um Santa Clara que não foi em nada inferior aos “leões” e até conseguiu ser superior em …

Os gatos demonstram ser menos leais do que os cães (mas pode haver uma razão)

Ainda existe um estereótipo sobre a diferença entre cães e gatos. Normalmente as pessoas associam os cães a animais amorosos e leais, enquanto os gatos são tidos como distantes e indiferentes. Um novo estudo pode …

O mistério do "lago dos esqueletos" na Índia intriga cientistas há décadas

O Roopkund, localizado na parte indiana dos Himalaias, é um lago glacial com centenas de ossos humanos. E ninguém sabe como foram lá parar. Em 1942, um guarda florestal revelou ao mundo a existência deste lago …

A fronteira mais importante da China é imaginária: a Linha Hu

A Linha Hu, também conhecida como linha Heihe-Tengchong, é uma linha imaginária que divida a China em duas partes com áreas quase iguais. Estende-se da cidade de Heihe até Tengchong. Desenhada pela primeira vez em 1935, …

Algumas pessoas moram em aeroportos durante meses (ou até mesmo anos)

Aeroportos não servem de casa apenas para os sem-abrigo. Há pessoas que, involuntariamente ou não, ficam lá durante meses e, em alguns casos, até mesmo anos. Em janeiro, as autoridades de Chicago prenderam um homem de …

Senado da Carolina do Sul aprova fuzilamento como método de execução

Com esta decisão, a Carolina do Sul poderá converter-se no quarto estado do país a incorporar este método de execução de pena de morte, depois do Utah, Oklahoma e Mississípi. De acordo com a agência noticiosa …

"Oxigénio tornou-se ouro". Criminosos lucram com a sua escassez no México

A pandemia de covid-19 deixou a Cidade do México a atravessar uma grande escassez de oxigénio médico. Criminosos estão a aproveitar para lucrar com a situação. A capital mexicana registou um pico de infeções e hospitalizações …

Meteorito do tamanho de um damasco caiu em França (e os astrónomos precisam de ajuda para encontrá-lo)

Os entusiastas do Espaço estão a ser instados a procurar um meteorito do tamanho de um damasco que caiu no fim de semana passado no sudoeste de França.  O meteorito, com peso estimado em 150 gramas, …

Professora pediu a alunos para fingir que eram escravos e escreverem carta para África

Uma professora de uma escola secundária no Mississippi, nos Estados Unidos, está a ser alvo de críticas devido a uma fotografia de um trabalho de casa divulgada nas redes sociais. Foi pedido aos alunos do 8.º …

Obra de Churchill que pertencia a Angelina Jolie vendida por valor recorde

O quadro pintado pelo antigo primeiro-ministro britânico foi vendido por 8,3 milhões de libras. A pintura foi um presente de Winston Churchill para o presidente dos Estados Unidos, Franklin D. Roosevelt, e agora foi leiloada …