Mulher nobre chinesa foi enterrada com os seus burros para jogar pólo no Além

Uma equipa de investigadores descobriram restos mortais de burros no túmulo de uma mulher nobre chinesa que morreu em Xi’an em 878.

De acordo com o estudo publicado este mês na revista científica Antiquity, a mulher – conhecida como Cui Shi – foi enterrada com burros para poder jogar pólo no Além.

Enquanto textos chineses antigos da Dinastia Tang (618-907) indicam que as mulheres nobres jogavam pólo montadas em burros, os autores dizem que a última descoberta representa a primeira evidência arqueológica dessa prática, destacando o significado desses animais para a elite da China imperial.

Os burros eram amplamente utilizados em todo o mundo antigo para transportar carga, facilitando o comércio e o transporte. Mas, ao contrário dos cavalos, era incomum que fossem usados na guerra ou para entretenimento da elite, atividades de lazer e transporte.

“Os burros foram o primeiro animal de carga, os motores a vapor dos seus dias na África e na Eurásia ocidental, mas não sabemos quase nada sobre o seu uso no leste da Ásia”, disse Fiona Marshall, da Universidade de Washington em St. Louis e autora do estudo, em comunicado, citado pelo Phys.

“Esqueletos de burro simplesmente não foram encontrados – provavelmente porque morreram ao longo de rotas comerciais e não foram preservados”, disse. “Os burros enterrados no túmulo da Dinastia Tang em Xi’an proporcionaram uma primeira oportunidade – e muito rara – de entender o papel dos burros nas sociedades do Leste Asiático”.

Para o estudo, os investigadores realizaram a datação por radiocarbono e analisaram os ossos de burro do túmulo de Cui Shi, escavado pela primeira vez em 2012.

De acordo com a equipa, o stress observado nos ossos indica que os burros foram utilizados para outras tarefas que não o transporte de carga, com a presença de um estribo no túmulo, tornando provável que animal tenha sido usado no pólo.

Os especialistas acreditam que o pólo – tradicionalmente jogado montado a cavalo – originou-se no antigo Irão, espalhando-se pelos territórios do Império Parta. No século VII, o jogo estava era jogado no planalto tibetano e no centro da China.

Na época, era considerado um desporto de prestígio, praticado pelos militares e pela nobreza da Dinastia Tang, que estava centrada na cidade cosmopolita de Xi’an, localizada no ponto de partida da Rota da Seda.

O desporto era tão importante que um governante da dinastia Tang, o imperador Xizong, até usou uma competição de pólo para selecionar generais militares. De facto, um dos vencedores desta competição foi o marido de Cui Shi. No entanto, o jogo era perigoso quando cavalos grandes eram usados e, algumas vezes, chegavam a ser fatais.

Um desporto semelhante conhecido como “Lvju” que usava burros – animais mais pequenos e mais firmes do que os cavalos – tornou-se popular entre mulheres de elite e indivíduos mais velhos. Apesar de o Lvju ser mencionado na literatura histórica, só tinha sido documentado em obras de arte e artefactos.

Neste momento da história chinesa, os animais eram frequentemente colocados em túmulos para que pudessem ser usados para fins específicos na vida após a morte.

ZAP //

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Será bom que esta cá não volte pela razão que jamais haveria outra campeã de pólo, pois com tantos anos de prática até já fará tudo de olhos fechados!

RESPONDER

Nadadores-salvadores devem privilegiar salvamento "sem entrar na água"

A Federação Portuguesa de Nadadores-Salvadores divulgou hoje alguns dos procedimentos que os vigilantes devem adotar na época balnear face à pandemia, como privilegiar o salvamento “sem entrar na água” ou abordar o náufrago pelas costas. “Ainda …

Confederação do Turismo propõe Lay-off simplificado, banco de horas e horário concentrado

A Confederação do Turismo de Portugal (CTP) propôs ao Governo 99 medidas para mitigar as consequências "gigantescas" que a pandemia está a ter no sector, apontando um cenário de "eclipse total e asfixia". Segundo noticiou esta …

Coreia do Norte ameaça romper acordo militar com Seul

A Coreia do Norte ameaçou hoje romper o acordo militar com a Coreia do Sul e fechar o gabinete de ligação transfronteiriça, se Seul não impedir que ativistas continuem a enviar panfletos através da fronteira. A …

Moratórias no crédito prolongadas até 31 de março de 2021

O Governo decidiu estender a moratória nos empréstimos dos bancos às famílias e empresas afetadas pela crise. As prestações e juros só voltarão a ser pagos depois de 31 de março de 2021, apurou o …

Santana Lopes deixou funções executivas no Aliança. Mas não "deserta"

O fundador do partido Aliança deixou, recentemente, as suas funções executivas por "motivos profissionais", mas promete "não desertar", "muito menos em alturas difíceis". No passado dia 15 de maio, Pedro Santana Lopes pediu a suspensão das …

Pela primeira vez em 30 anos, Hong Kong proíbe vigília em memória de Tiannamen

Pela primeira vez em 30 anos, tanto Hong Kong como Macau não vão ter vigílias em homenagem às vítimas do massacre de Tiananmen. A Polícia de Hong Kong proibiu a vigília em memória do massacre de …

Portugal com mais 8 mortos e 331 casos positivos em 24 horas

Portugal registou mais oito mortes e 331 casos positivos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde. Esta quinta-feira, Portugal registou 1.455 mortes por …

IL rejeita Marcelo Rebelo de Sousa e aposta em Adolfo Mesquita Nunes

O Iniciativa Liberal (IL) não vai apoiar a eventual recandidatura de Marcelo Rebelo de Sousa. Para o partido, um dos nomes em cima da mesa para as Presidenciais é "fácil" e só depende da "vontade …

Comissão Europeia "otimista" na rápida retoma económica em Portugal

A Comissão Europeia diz estar "razoavelmente otimista" sobre uma "rápida recuperação" económica de Portugal após a crise gerada pela covid-19 e considera que a forma como o país "controlou" a pandemia beneficiará a retoma do …

Nova Zelândia decreta em junho erradicação de contágios. Está há 13 dias consecutivos sem novos casos

A Nova Zelândia, país que tem sido apontado internacionalmente como exemplar no combate à pandemia de covid-19, prevê decretar a “erradicação da doença” no país no próximo dia 15 de junho. A informação foi avançada esta …