Muitos animais “contam” e isso ajuda-os a sobreviver

Andreas Nieder

Muitos animais têm algo conhecido como competência numérica – a capacidade de processar e representar números. Este traço ajuda-os em vários aspetos da sua vida, nomeadamente na sobrevivência.

Os animais não podem literalmente contar, mas podem entender o que é mais e o que é menos. Os investigadores acreditam que esta capacidade de processar e representar números, conhecida como competência numérica, desempenha um papel importante na maneira como os animais tomam decisões e influencia a probabilidade de sobrevivência.

Numa análise publicada esta semana na revista científica Trends in Ecology and Evolution, Andreas Nieder, explora como as diferentes espécies animais entendem os números e o impacto que isto tem na sua sobrevivência.

“Curiosamente, agora sabemos que a competência numérica está presente em quase todos os ramos da vida animal”, explica Nieder, que trabalha com espécies diferentes para explorar como os animais treinados distinguem e representam números, bem como é que os números são representados no cérebro.

“Diferentes grupos de animais obviamente desenvolveram este traço independentemente de outras linhagens e isso indica fortemente que ele deve ter um valor adaptativo. Portanto, a capacidade de distinguir números deve ter um grande benefício de sobrevivência e reprodução”, acrescenta Nieder.

As abelhas, por exemplo, conseguem lembrar-se do número de pontos de referência que passam quando procuram comida para encontrar o caminho de volta à colmeia.

“O último ancestral comum entre as abelhas e os primatas americanos viveu há cerca de 600 milhões de anos”, explica o autor. “Mas ainda assim, desenvolveram uma competência numérica que é, de muitas maneiras, comparável à competência numérica dos vertebrados”.

Outro caso é o dos lobos, em que é mais provável que cacem com sucesso se tiverem o número correto de lobos na sua matilha tendo em conta o tamanho da presa. Com presas como alces, são necessários apenas seis a oito lobos, enquanto a caça ao bisonte exige grupos de nove a treze.

“Obviamente, eles estão a avaliar o número de indivíduos nos seus grupos para as situações quotidianas”, salienta o investigador, citado pela Europa Press. Além disso, a competência numérica também se revela útil na atração de um parceiro sexual.

Apesar dos vários exemplos que existem, este tema não foi objeto de muitos estudos. “Muitas destas descobertas comportamentais na natureza geralmente foram recolhidas como subprodutos ou descobertas acidentais de outras questões de investigação”, lamenta Nieder.

O cientista argumenta que são necessários mais estudos para entender completamente as pressões seletivas e os benefícios da aptidão física da competição numérica.

ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Sou brasileira, mas creio que a palavra “cacem”, na frase “provável que caçem”, se escreva da mesma maneira, tanto no português de Portugal quanto no português do Brasil. Sugiro cordialmente a correção.

RESPONDER

Norte sem contágios por covid-19. Grande Lisboa regista 96,5% dos novos casos

Portugal regista hoje 1.424 mortes relacionadas com a covid-19, mais 14 do que no domingo, e 32.700 infectados, mais 200, segundo o boletim da Direcção-Geral de Saúde (DGS). 193 dos novos casos são na área …

Aviões deixam de ter lotação reduzida a partir desta segunda-feira

Os aviões deixam, a partir desta segunda-feira, de ter a lotação de passageiros reduzida a dois terços, mas o uso de máscara comunitária é obrigatório. O Governo alinhou, assim, as regras nacionais pelas regras europeias no …

Marcelo pede que não se passe do "8 para o 80" e alerta para imagem do país

O Presidente da República reiterou hoje o apelo à população para que não se passe “do 8 para o 80” nas medidas de prevenção da covid-19, alertando para os riscos da imagem do país “cá …

Só metade das crianças deverá voltar ao pré-escolar esta segunda-feira

As crianças em idade pré-escolar regressam esta segunda-feira aos jardins de infância, que voltam a funcionar com novas regras, depois de encerradas durante mais de dois meses, devido à pandemia da covid-19. Apesar do regresso, que …

Dois astronautas (e um dinossauro de peluche) chegaram à EEI à boleia da SpaceX

Para além dos astronautas Doug Hurley e Bob Behnken, seguia a bordo da Crew Dragon um dinossauro de peluche com lantejoulas. E há uma explicação para isso. Este sábado, o foguetão Falcon 9, da SpaceX, fez …

Pescadores já podem capturar sardinha, mas recuo no consumo é uma preocupação

Os pescadores voltam a poder capturar sardinha, a partir desta segunda-feira, e até 31 de julho, com limites diários e semanais, segundo um despacho publicado em Diário da República. De acordo com o diploma, assinado pelo …

Madeirense contesta quarentena obrigatória em Tribunal (e há uma sentença que lhe dá razão)

Uma cidadã madeirense que chegou no domingo à Madeira e recusa cumprir quarentena num hotel entregou um pedido de ‘habeas corpus’ no Juízo de Instrução Criminal do Tribunal do Funchal. A acompanhar o pedido está …

Idade é o maior factor de risco para se ser internado ou morrer de covid-19

As pessoas com idades entre os 70 e os 79 anos infetadas pelo novo coronavírus têm uma probabilidade de ser internadas em cuidados intensivos 10,4 vezes superior à de uma pessoa até aos 50 anos. Os …

Turismo de Portugal tem 10 milhões para apoiar campanhas de empresas que promovam o país

O Turismo de Portugal tem dez milhões de euros, que vão servir para financiar iniciativas “de valorização, inovação e promoção do destino Portugal” até 2025. A dotação de dez milhões de euros, aprovada por despacho de …

"Perdi quase tudo no casino." Daniel Kenedy explica adeus ao futebol com o vício

O ex-futebolista Daniel Kenedy, que passou por clubes como Benfica, FC Porto, Marítimo e Sporting de Braga, revela que perdeu "quase tudo" no casino por causa do vício do jogo, apontando este problema como uma …