Mudança drástica no Ártico. Com o degelo, a região está a tornar-se cada vez mais verde

Eric Post / UC Davis

O gelo marinho do Ártico tem tido um acentuado decréscimo nas últimas duas décadas. Agora, um novo estudo mostra que à medida que o gelo marinho desaparece, o Ártico está a tornar-se cada vez mais verde e castanho.

O declínio do gelo marinho é um fator de peso nas mudanças climáticas. Na região do Ártico tem contribuído bastante para o aquecimento global, mas está também a dar origem a um novo fenómeno que se carateriza por um cenário onde se encontra cada vez menos gelo e mais tundra – trata-se da formação vegetal mais degradada e pobre da superfície da Terra, é muito rasteira pois tem apenas com alguns centímetros de altura e é constituída por ervas, musgos e líquenes.

No entanto, o papel que a dinâmica do gelo marinho desempenha em impulsionar as mudanças na vegetação terrestre ainda é relativamente pouco estudado, realça o Phys.

Para realizar o estudo, que foi publicado no jornal PNAS no dia 15 de dezembro, uma equipa internacional liderada por Agata Buchwal, reuniu 23 cronologias de arbustos e investigou a sua relação com as mudanças na extensão do gelo marinho, temperatura do ar e precipitação. O conjunto de dados incluiu bétulas e salgueiros do Alasca, do Ártico canadense, Gronelândia, Svalbard e Sibéria.

“Este tipo de vegetação não deverá anunciar os efeitos da mudança climática no Ártico”, disse Buchwal. “Em vez disso registam pacientemente as suas respostas às mudanças nos seus anéis de crescimento. E é nossa função aprender com os seus registos”, explicou.

O estudo descobriu que a maioria dos arbustos do Ártico “aproveita” o aquecimento induzido pelo declínio do gelo marinho para aumentar o seu crescimento. Ainda assim, um vasto grupo de arbustos diminuiu progressivamente o seu crescimento durante o período de perda do gelo marinho, pois este tipo de arbustos têm tendência a viver em áreas mais secas.

As descobertas agora apresentadas têm implicações locais e globais a nível das mudanças climáticas, incluindo o potencial de absorção de carbono e os efeitos do albedo (processo onde o gelo nos polos funciona como um espelho para as radiações solares que chegam à Terra, sendo que se a sua superfície diminuir, a temperatura média do planeta vai aumentar).

As áreas dominadas por tundra que apresentam maior crescimento podem absorver e armazenar mais carbono. Enquanto isso, as regiões com menos crescimento podem sofrer mais perda de carbono para a atmosfera.

“As mudanças climáticas estão a alterar fundamentalmente o próprio caráter do Ártico”, frisou o co-autor Eric Post, ecologista da UC Davis.

O especialista garante que “este novo estudo combina duas áreas de foco: perda de gelo marinho e crescimento de arbustos de tundra”. Ainda assim, a equipa garante, no seu estudo, que o assunto é merecedor de novas e mais detalhadas investigações.

Ana Isabel Moura AMM // ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Quem bebe café tem melhor controlo motor e maior nível de atenção, diz estudo

Um investigador da Universidade do Minho (UMinho) concluiu que consumidores de café têm melhor controlo motor, maiores níveis de atenção e alerta e que a cafeína tem "benefícios na aprendizagem e na memória", divulgou esta …

Pas de Deux cósmico. NASA mostra dois buracos negros a distorcer a luz à sua volta

A NASA publicou um vídeo em que mostra um par de buracos negros com milhões de vezes a massa do Sol que executam um pas de deux hipnótico. A visualização da NASA mostra como os buracos …

Inteligência Artificial recriou a voz de Einstein (e é possível fazer-lhe perguntas)

Graças à Inteligência Artificial, os fãs do Nobel da Física Albert Einstein podem agora "falar" com o físico alemão online. Segundo o site IFLScience, a ideia partiu das empresas Aflorithmic e UneeQ, sediadas no Reino Unido …

O SUV BZ4X lança o mote para a nova sub marca de elétricos da Toyota

A Toyota apresentou o primeiro modelo 100% elétrico da BZ, acrónimo de Beyond Zero (além do zero), sub marca da fabricante nipónica dedicada exclusivamente aos elétricos. O SUV BZ4X será o primeiro de uma ofensiva …

A "tele-escola" em 2006: Gisela conta como era

20 de abril de 2020: o regresso da escola à RTP, agora com a designação Estudo Em Casa. Um ano depois desse momento, cruzámo-nos com uma jovem que nasceu em 1994 e que ainda estudou …

O famoso consumo de chá de Jane Austen liga a escritora ao comércio de escravos

O consumo de chá de Jane Austen vai ser submetido a "interrogatório histórico" sobre as suas ligações à escravatura, de acordo com o diretor de um museu dedicado à autora inglesa. A casa da escritora na …

Júri declara ex-polícia Derek Chauvin culpado da morte de George Floyd

Os jurados do julgamento do ex-agente da polícia acusado do homicídio do afro-americano George Floyd chegaram a acordo sobre o veredito esta terça-feira. Derek Chauvin foi considerado culpado. A decisão dos jurados, reunidos desde segunda-feira num …

Lago "assassino" matou cerca de 1.800 pessoas em apenas alguns minutos (e a história pode repetir-se)

A noite de 21 de agosto de 1986 parecia ser igual a outra qualquer. Até que, por volta das 21h30, ouviu-se um barulho muito estranho no Lago Nyos, no noroeste dos Camarões. E em minutos, …

Nigéria. Youtube fecha canal de pastor que pretende "curar a homossexualidade"

O pastor nigeriano TB Joshua apelou aos seus seguidores a "rezarem pelo YouTube" e a não responderem através do ódio ao encerramento do seu canal naquela plataforma, onde colocou vídeos em que afirmava "curar a …

Esquemas de Wall Street alimentaram a crise de 2008. Está a voltar a acontecer o mesmo

Bancos têm erroneamente relatado dados de rendimento inflacionados que comprometem a integridade dos valores imobiliários resultantes. Foi há mais de 12 anos que foi anunciada a falência do Lehman Brothers, o quarto maior banco de investimento …