Nem os mortos escapam aos efeitos das alterações climáticas

As alterações climáticas estão a tornar-se num problema para diversos cemitérios localizados em zonas como a Califórnia, onde os incêndios levam à desintegração de lápides, ou no Luisiana, onde há caixões a flutuarem durante as inundações.

Há cemitérios cuja viabilidade está ameaçada a médio e longo prazo, de acordo com os alertas de responsáveis da área nos EUA.

As tempestades severas e as inundações que se seguem, também provocadas pelo derretimento da permafrost do Alasca, estão a criar novos problemas aos coveiros de zonas como o Luisiana. Neste Estado norte-americano, os caixões já são, habitualmente, colocados em túmulos selados situados acima do solo. Mas a humidade provocada pelas inundações acaba, muitas vezes, por desselar os túmulos, com os caixões a caírem para as águas.

Uma das principais tarefas de alguns dos funcionários dos cemitérios locais tem sido, nos últimos anos, “caçar” os caixões que são arrastados pelas cheias. Em épocas de furacões, são, por vezes, obrigados a atar caixões flutuantes a árvores e postes de luz para não os perderem de vista no meio das inundações.

Com o aumento do nível dos mares, a água está a ser arrastada até locais onde não era habitual, e a erosão da terra está a destapar sepulturas nalguns cemitérios.

“Quando se começa a falar de nível do mar, há literalmente centenas, se não milhares, de cemitérios que, em última instância, serão afectados”, revela Michael Trinkley, director da Fundação Chicora que se dedica à preservação histórica na Carolina do Sul, em declarações citadas pela Scientific American.

E resolver o problema não é nada fácil. A relocalização dos cemitérios ameaçados é uma alternativa, mas que pode ser demasiado dispendiosa, além de levantar questões éticas e legais.

“Há tantas regulações nos cemitérios que é bastante difícil simplesmente pegar e mudá-los”, frisa na mesma publicação Poul Lemasters, conselheiro geral da Associação Internacional de Cemitérios, Cremação e Funerais.

“Muitos cemitérios, se estiverem numa área má, vão continuar nessa área má”, constata Lemasters. “Em termos de inundação, há muito, muito poucas opções“, acrescenta Trinkley, reforçando que a única solução é garantir que os novos cemitérios projectados não enfrentem o mesmo problema.

Alguns cemitérios são geridos por privados que já têm dificuldades em fazer a manutenção rotineira, a partir do momento em que não há mais sepulturas para vender. “Ocasionalmente, recebemos chamadas de pessoas a tentarem perceber quem podem chamar para ir aos seus cemitérios lidar com estes caixões flutuantes”, revela Trinkley.

Por outro lado, os apoios governamentais costumam ser direccionados para as infraestruturas que apoiam os vivos e que estão também a sofrer com as alterações climáticas, como é o caso de hospitais e estradas.

“Se o cemitério desaparece [debaixo da água], a maioria das pessoas não fica terrivelmente preocupada”, “mas se começam a ver corpos à medida que passam, então ficam perturbadas”, reforça Trinkley, vincando que essa situação levará a enfrentar o problema com mais seriedade.

Além da homenagem aos entes queridos falecidos, os cemitérios têm um valor histórico, guardando registos antropológicos que estão em risco de desaparecer. Os cemitérios oferecem pistas essenciais em termos de dados sobre as dietas das pessoas enterradas, do ambiente em que viveram e dos traumas que sofreram, entre outras informações.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Estou a ver que a solução é mesmo não morrer para evitar mais problemas e assim sempre aumentará o egocentrismo daqueles que teimam que tudo está bem e que no mundo quantos mais formos melhor.

RESPONDER

Envolvido em escândalo financeiro, cardeal Becciu renunciou ao cargo no Vaticano

O prefeito da Congregação da Causa dos Santos, o cardeal Angelo Becciu, resignou esta quinta-feira ao cargo e aos seus direitos enquanto cardeal, numa altura em que vê o seu nome envolvido num escândalo financeiro, …

Nanocorpo de alpaca é capaz de bloquear infeção por covid-19

Cientistas do Instituto Karolinska, na Suécia, identificaram um pequeno anticorpo neutralizante - nanocorpo - que consegue bloquear a entrada do Sars-CoV-2 nas células humanas. Uma equipa de investigadores suecos, do Instituto Karolinska, descobriu que um nanocorpo …

A Terra está prestes a capturar uma nova mini-lua. Ficará por cá meio ano

A Terra está prestes a capturar uma mini-lua, que os astrónomos acreditam que ficará presa na gravidade do nosso planeta durante cerca de meio ano. Entende-se por mini-lua um objeto de pequenas dimensões que é …

Cientistas medem, pela primeira vez, a distância até um magnetar na Via Láctea

Com a ajuda do observatório Very Long Baseline Array (VLBA), uma equipa de astrónomos conseguiu medir, pela primeira vez, a distância até ao magnetar XTE J1810-197, localizado na Via Láctea.  Os magnetares são um tipo de …

Detetado fator climático determinante para a propagação do coronavírus

Altas temperaturas combinadas com baixa humidade propiciam que as gotículas contaminadas com o novo coronavírus evaporem mais rapidamente, reduzindo a sua capacidade de infetar pessoas. De acordo com os cientistas, citados pelo canal estatal russo RT, …

Bayern Munique vence Sevilha e conquista a Supertaça Europeia

O Bayern Munique conquistou, esta quinta-feira, a Supertaça Europeia, ao derrotar o Sevilha por 2-1, em Budapeste, na Hungria. Os alemães do Bayern Munique conquistaram a Supertaça Europeia pela segunda vez ao derrotarem os espanhóis do …

Sporting 1-0 Aberdeen | "Leão" eficaz segue para o play-off

O Sporting foi eficaz e assegurou uma vaga no “play-off” de acesso à fase de grupos da Liga Europa. Na noite desta quinta-feira, num embate relativo à 3ª pré-eliminatória da competição, os “leões” bateram o Aberdeen …

A NASA descobriu uma nova forma de aterrar em segurança na Lua

A NASA construiu um sistema totalmente novo que pode tornar a aterragem na Lua e em Marte muito menos arriscada - e já tem planos de testá-lo numa missão futura. De acordo com o TechCrunch, o …

Rio Ave elimina Besiktas e está no play-off da Liga Europa

O Rio Ave venceu os turcos do Besiktas, esta quinta-feira, no desempate por grandes penalidades (4-2), após o 1-1 no tempo regulamentar, em jogo da terceira pré-eliminatória da Liga Europa, seguindo em frente na competição. Em …

Dois dinossauros morreram como as vítimas de Pompeia. Foi há 125 milhões de anos, na China

Um grupo de arqueólogos na China acabou de descobrir dois fósseis de uma nova espécie de dinossauro, que estiveram presos no subsolo por 125 milhões de anos devido a uma erupção vulcânica pré-histórica. Os investigadores …