Morreu o russo que salvou o mundo do apocalipse nuclear

BBC

Stanislav Petrov estava no lugar certo na hora certa e tomou uma decisão que pode ter salvado o mundo de uma guerra nuclear

Responsável pelo Sistema de Vigilância de Mísseis na União Soviética durante a Guerra Fria, Stanislav Petrov recebeu um alerta de ataque, mas decidiu reportá-lo como falso. A sua decisão pode ter evitado a Terceira Guerra Mundial.

O oficial soviético que impediu uma crise nuclear entre os EUA e a URSS e a possível Terceira Guerra Mundial na década de 1980 morreu silenciosamente. Stanislav Petrov tinha 77 anos e nunca se considerou um herói, embora tenha contribuído decisivamente para impedir uma catástrofe – ou o fim da Humanidade.

“Estava no lugar certo à hora certa”. É assim que Stanislav Petrov descreve a sua proeza, à frente do Sistema de Vigilância Nuclear da União Soviética em 1983 – que, provavelmente, salvou o mundo da Terceira Guerra Mundial.

Responsável por reportar qualquer ataque ou possibilidade de ataque dos Estados Unidos à União Soviética no auge da Guerra Fria, durante a década de 1980, Stanislav Petrov recebeu um alerta que teria desesperado qualquer pessoa na sua situação.

Naquele dia, a certa altura, o Sistema de Vigilância Nuclear deu um alerta para um ataque de mísseis, vindo dos Estados Unidos, em direcção à União Soviética.

Ao ver o alerta, Petrov deveria reportá-lo aos seus superiores, que lançariam uma retaliação ao ataque – o que provavelmente teria dado início a uma guerra nuclear mundial.

Mas o militar soviético desconfiou da validade do alerta e tomou uma decisão que pode ter mudado a história da humanidade. “Olhei para a minha equipa e percebi que eles estavam a entrar em pânico”. Mesmo com 50% de hipóteses de estar errado, Sanislav Petrov decidiu reportar o ataque como falso.

Petrov era o único oficial presente naquele dia que tinha educação civil. Todos os outros eram soldados profissionais, e provavelmente teriam simplesmente relatado o ataque. Os homens à sua volta tinham sido “ensinados a dar e obedecer a ordens”.

Por sorte, Petrov desobedeceu às suas instruções, porque simplesmente algo não parecia certo. “Se os americanos tivessem mesmo decidido lançar um primeiro ataque, teriam enviado mais de cinco mísseis“, contou Petrov, que também acreditava que, como o sistema de alerta era relativamente novo, um falso alarme era mais provável.

Se Petrov estivesse errado, teria comprometido a capacidade da União Soviética de retaliar contra um ataque nuclear. Se estivesse certo, a Terceira Guerra Mundial seria evitada.

E Stanislav Petrov estava certo.

“Não acho que tenha feito algo extraordinário, era apenas um homem a fazer o seu trabalho de forma correcta”, contou Petrov em 2013 à BBC. “Não fiz nada de heróico, só estava no lugar certo, na hora certa”.

Mais tarde, veio a saber-se que o que o sistema de alerta soviético tinha considerado como um “lançamento de mísseis” norte americano era luz solar reflectida pelas nuvens.

A acção de Petrov, no entanto, não recebeu elogios dos seus superiores, e o militar foi mesmo repreendido por não ter preenchido um relatório. “Os meus superiores estavam a ser culpados pelas falhas do sistema, e não queriam reconhecer que alguém abaixo na cadeia de comando tinha feito alguma coisa bem feita”, contou.

Durante mais de 10 anos, o incidente foi mantido em segredo como altamente classificado. Mesmo Raisa, a mulher de Petrov, que morreu em 1997, nunca soube nada do papel que o marido tinha desempenhado a evitar a guerra nuclear.

Mas em 1998, o comandante de Petrov, Coronel Yury Votintsev, contou a história da acção silenciosa do seu oficial a Karl Schumacher, um activista político alemão, uma das primeiras pessoas a divulgar a história de Petrov, no fim da década de 1990.

Em 2012, Petrov foi homenageado com o Prémio Alemão de Imprensa, também concedido a Nelson Mandela, ao Dalai Lama e a Kofi Annan. O documentário “O homem que salvou o mundo” (Peter Anthony, 2014), com Kevin Costner, foi baseado na vida do militar russo.

A 7 de setembro, Karl Schumacher telefonou para Petrov para lhe desejar um feliz aniversário. Mas, em vez disso, soube pelo filho, Dmitry, que o oficial tinha morrido a 19 de maio, em casa – tão silenciosamente como tinha salvo o Mundo, num dia de 1983.

AJB, ZAP // Sputnik News

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. JÁ LÁ VÃO 34 ANOS, Este HOMEM faleceu agora, e tenho a certeza, que quase ninguem o conhecia, ou tinha sequer imaginado que ele existia. São estes os GRANDES HOMENS da humanidade e que voçês politiqueiros de meia tijela, nem sequer reverênciam. ELE SALVOU O MUNDO DE UMA GUERRA NUCLEAR, ao que voçês agora poderiam estar a fazer tijolo há 34 anos. Alguem já pensou nisso? Com a tua humanidade salvas-te a vida de milhões de seres humanos.
    Bem haja STANISLAV PETROV. Que descanses em paz.

RESPONDER

Tondela vs Benfica | Pizzão em goleada na Beira Alta

O Benfica conseguiu a maior goleada da sua temporada fora de casa. Na deslocação a Tondela, os “encarnados” venceram por claros 5-1, numa noite de grande inspiração de Pizzi – estreou-se a marcar esta época …

Turquia quer abrir embaixada na parte oriental de Jerusalém como capital palestiniana

O presidente da Turquia disse, este domingo, que o país planeia abrir uma embaixada em Jerusalém Oriental como capital de um futuro Estado palestiniano, depois dos EUA terem reconhecido Jerusalém como capital de Israel. “Já declarámos …

Sporting vs Portimonense | Leão sereno soma e segue

O Sporting subiu ao primeiro lugar da tabela na Liga NOS, de forma provisória, ao vencer, por 2-0, o Portimonense, em Alvalade. A equipa liderada por Jorge Jesus soube contrariar as adversidades impostas por um Portimonense …

Isabel dos Santos usou dinheiro da Unitel para controlar a Zon e criar a NOS

A empresária angolana utilizou dinheiro da maior operadora móvel do país para comprar ações da Zon e realizar a fusão entre a Zon e a Optimus, criando a NOS.  Segundo o Público, entre maio de 2012 …

Empresas de autocarro e comboio de acidente em França com versões contraditórias

A condutora do autocarro que, na quinta-feira, colidiu com um comboio, no sudoeste de França, diz que as cancelas da passagem de nível estavam levantadas quando atravessou a linha, mas a companhia ferroviária afirma o …

Santana Lopes "está a fazer as mesmas trapalhadas que fazia em 2004"

O antigo presidente da Câmara do Porto diz que, relativamente à questão dos debates na televisão, o rival à liderança do PSD só está a mostrar que continua "a fazer exatamente as mesmas trapalhadas que …

Equipa de Trump acusa Mueller de ter obtido milhares de emails ilegalmente

O Procurador Especial que investiga a interferência russa nas eleições presidenciais dos EUA em 2016 obteve de forma ilegal "dezenas de milhares de emails", segundo um advogado da equipa de transição de Donald Trump. Numa carta …

6 meses depois, ainda há quem pergunte pela "estrada da morte"

O chamado "turismo da desgraça" ainda persiste pela zona de Pedrógão Grande, mas com muito menos frequência do que nas primeiras semanas e meses após o incêndio de 17 de junho. Na estrada 236-1, seis meses …

Atentado contra igreja no Paquistão faz pelo menos 8 mortos e 30 feridos

Pelo menos oito pessoas morreram e 30 ficaram feridas, este domingo, durante um ataque suicida contra uma igreja no sudoeste do Paquistão a poucos dias do Natal, anunciou a polícia. O ataque foi perpetrado por dois …

Gravuras rupestres mostram que os cães ajudaram o Homem a sobreviver

Foram descobertas na Arábia Saudita gravuras rupestres que mostram que o Homem já caçava com cães há oito mil anos. Os cientistas continuam a tentar perceber quando e como é que começou a relação entre humanos …