Estes morcegos imitam abelhas e vespas para assustar predadores esfomeados

1

MissMhisi / Wikimedia

Myotis myotis.

Investigadores descobriram que uma espécie de morcego imita o zumbido de abelhas e vespas para assustar os seus predadores.

O reino animal está repleto de exemplos de mimetismo. Isto acontece quando uma espécie imita características de outra para confundir os seus predadores ou presas.

Um dos maiores exemplos de mimetismo ocorre na chamada coral falsa. Esta cobra imita o padrão de cores da verdadeira coral, que é extremamente venenosa. Assim, esta cobra não-venenosa imita uma verdadeiramente venenosa para evitar ser devorada por predadores que não correriam o risco de atacar uma coral verdadeira.

Agora, pela primeira vez, um tipo de mimetismo acústico foi observado em mamíferos.

Investigadores descobriram que o Myotis myotis, uma espécie de morcego comum na Europa, parece imitar o zumbido das abelhas e vespas.

O objetivo deste mimetismo, sugere o estudo publicado recentemente na revista científica Current Biology, é evitar ser comido pelas corujas.

“Descobrimos que um mamífero imita o som de um inseto para assustar um pássaro predador”, diz Danilo Russo, autor principal do artigo e professor de ecologia da Università degli Studi di Napoli Federico II, citado pela National Geographic. “Esta é uma incrível interação evolutiva envolvendo três espécies que estão evolutivamente distantes umas das outras”.

Os investigadores começaram por comparar gravações desta espécie de morcego com o zumbido de abelhas e vespas. Quando limitaram a frequência dos sons para refletir como uma coruja os ouviria, notaram que os zumbidos de ambos ficavam mais parecidos.

Depois, os cientistas reproduziram diferentes sons para corujas: um morcego a zumbir, uma abelha ocidental, uma vespa europeia e uma vocalização de morcego sem zumbido.

As corujas afastaram-se da coluna quando ouviram um zumbido, mas quando ouviram vocalizações de morcegos sem zumbido, aproximaram-se da fonte de som.

“Se eu apanhasse um morcego e ele fizesse um som de vespa, eu pensaria duas vezes e nem sou um predador de morcegos”, disse o cientista do Museu Americano de História Natural Benjamin Sulser, que não participou no estudo.

A estratégia de animais em cavidades a imitarem sons assustadores para evitar predadores pode ser mais comum do que pensamos, sugere a investigadora de ornitologia Anastasia Helen Dalziell, da Universidade Wollongong, na Austrália, que também não participou no estudo.

  Daniel Costa, ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.