//

Mordida por uma cobra ou envenenada? O mistério da morte de Cleópatra ainda gera controvérsia

Cleópatra morreu em agosto de 30 a.C, mas não se sabe ao certo de que forma. A tese de suicídio é a mais defendida, porém os historiadores apresentam hipóteses diferentes sobre o método que a faraó usou para pôr fim à sua vida.

A maior parte dos historiadores acredita que Cleópatra se suicidou ao deixar que uma cobra venenosa mordesse o seu seio. Ao que tudo indica, a faraó egípcia trancou-se num mausoléu que tinha mandado construir no palácio em Alexandria e pediu que lhe trouxessem uma cobra venenosa.

Segundo o ATI, quando a cobra chegou, dentro de uma pequena cesta de figos, Cleópatra segurou-a contra o seu seio até que esta afundasse os dentes na sua pele.

Nascida numa dinastia de governantes macedónios no Egito, ao longa da sua vida, Cleópatra usou a sua inteligência, ambição e sedução para chegar ao poder.

A faraó tinha capacidade para falar várias línguas e chegou a convocar exércitos terríveis. A sua vida ficou ainda marcada pelos dois casos amorosos que manteve com dois dos homens mais poderosos do Império Romano: Júlio César e Marco António.

Contudo, na hora da sua morte, o envolvimento de Cleópatra com o Império Romano acabou por se tornar numa armadilha.

A egípcia tornou-se uma das principais inimigas de Otaviano, filho adotivo de Júlio César, sendo que na altura da sua morte, o romano e o seu exército estavam muito perto da sua casa encurralando a rainha.

Com os seus exércitos derrotados e o seu amante morto, Cleópatra não tinha a quem pedir ajuda. O seu principal receio era que Otaviano a raptasse e a fizesse desfilar por Roma numa demonstração humilhante do seu poder.

Por isso, segundo conta a lenda, Cleópatra decidiu acabar com a sua vida. Embora a teoria da cobra venenosa continue a ser a mais conhecida, muitos historiadores modernos têm ideias diferentes sobre a verdadeira causa da sua morte.

Uma das razões que leva os historiadores a desconfiar da teoria da mordida da cobra é o facto de estes répteis medirem cerca de 2 metros de comprimento, e como tal, seria bastante difícil esconder um animal tão grande numa cesta tão pequena.

Por outro lado, surge a questão da eficácia, pois uma mordida de cobra pode ter a capacidade de matar ou não.

O historiador Schiff acredita ainda que “uma mulher conhecida pelas suas decisões rápidas e planeamento meticuloso hesitaria em confiar o seu destino a um animal selvagem”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Supondo que Cleópatra morreu por suicídio, alguns historiadores contemporâneos também sugerem que esta bebeu veneno para se matar.

É certo que não havia nenhuma cobra”, afirmou Christoph Schaefer, um professor de história antiga na Universidade de Trier. O especialista acredita que Cleópatra usou uma mistura venenosa para acabar com a sua vida.

Outra das grandes questões em torno da morte de Cleópatra é a localização do seu túmulo.

No entanto, uma descoberta “sensacional” indica que os seus restos mortais podem estar a cerca de 50 quilómetros de Alexandria, no templo de Taposiris Magna, avançou o The Guardian no ano passado.

  Ana Isabel Moura, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE