Foi finalmente desvendado um grande mistério da Lua (e a culpa foi nossa)

NASA

Buzz Aldrin, astronauta da missão Apollo 11, caminha na superfície lunar perto do módulo Eagle

Os astronautas que tiveram a sorte de visitar a Lua foram surpreendidos por um enigma durante a sua breve estadia: a superfície estava mais quente do que estavam à espera.

Segundo o IFLScience, os cientistas conseguiram agora desvendar o mistério e, como em qualquer boa história, o desfecho deste problema acabou com uma grande reviravolta.

Durante as missões Apollo 15 e 17, no início dos anos 70, foram colocadas sondas no antigo solo vulcânico para ver como a Lua estava a arrefecer. Um fenómeno muito importante porque, afinal de contas, o arrefecimento do interior da Terra é a razão pela qual temos continentes, montanhas, vulcões e terramotos.

A Lua é uma esfera morta e tem sido assim há milhões de anos. O seu vulcanismo há muito desapareceu e certamente nunca conseguiu desenvolver placas tectónicas. Ainda assim, está constantemente a arrefecer e a NASA queria saber ao certo quanto.

Ao perfurar alguns buracos no solo lunar, os astronautas das duas missões montaram os seus termómetros de alta tecnologia e anotaram as leituras. Porém, não se revelou uma tarefa fácil, uma vez que tinham de ter em conta as alterações devido à luz solar e ao aquecimento criado pela própria perfuração.

As leituras a longo prazo indicam, de acordo com o Instituto Lunar e Planetário (LPI), que o fluxo de calor superficial da Lua está entre 18% e 24% da Terra. No entanto, algo estava errado: as sondas de calor registaram um aquecimento gradual dos locais onde a missão Apollo aterrou muito depois de as medidas originais. Não ficou claro o porquê, mas não poderia ser por causa de um processo interno que libertaria mais calor.

Infelizmente, tratou-se de um erro humano. Depois dessas experiências terem terminado em 1977, parecia que os cientistas só tinham arquivado os dados de 1971 a 1974. Os restantes acabaram por ficar perdidos.

Portanto, uma equipa de cientistas da Universidade de Tecnologia do Texas, nos EUA, decidiu fazer algumas investigações e, em 2010, conseguiu localizar as fitas de dados perdidas num enorme centro de arquivos da agência federal.

Ao recuperar de forma cuidadosa os dados para analisar a temperatura no final dos anos 70, os investigadores obtiveram uma melhor compreensão destas mudanças: o aumento da temperatura foi detetado pelas sondas mais rasas, antes de ser registada por aquelas mais profundas.

Percebendo que era uma causa relacionada com a superfície, a equipa cruzou as suas descobertas com imagens tiradas da superfície da Lua no momento em que foram feitas.

No artigo publicado no Journal of Geophysical Research, a equipa explicou que as “imagens da Lunar Reconnaissance Orbiter Camera sobre os dois locais de aterragem mostram que o rególito lunar (material geológico solto e fragmentado que cobre a rocha sólida recente) nos caminhos dos astronautas ficou mais escuro”, o que diminuiu a sua refletividade.

“Sugerimos que, como resultado das atividades dos astronautas, o aquecimento solar pelo rególito aumentou ligeiramente, e isso resultou no aquecimento observado”, uma vez que mais luz solar foi absorvida na superfície.

Assim, o aumento da temperatura não estava relacionado com nenhum fenómeno estranho, não passando de um erro. Conclusão: a culpa foi nossa (e só nossa).

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Já que o artigo versa sobre correcção de erro, corrijam p.f. no referido a expressão “programas espaciais” por “missões espaciais” pois tanto a XV como a XVII foram ambas missões do mesmo programa espacial e não de programas espaciais distintos. Bem-hajam!

RESPONDER

Pela primeira vez, os norte-americanos querem mais imigração - e não menos

Pela primeira vez, os norte-americanos querem ver aumentar a imigração no seu país, escreve o Business Insider citando uma sondagem da Gallup. De acordo com os números apresentados pelo jornal norte-americano, 34% dos cidadãos dos …

Porto 5-0 Belenenses | Segunda parte demolidora no Dragão

O FC Porto respondeu de forma categórica à vitória do Benfica sobre o Boavista por 3-1 na noite de sábado. Na recepção ao Belenenses, os “azuis-e-brancos” golearam por expressivos 5-0, com quatro golos a serem apontados …

Foi exposto o primeiro núcleo exoplanetário. Pode pertencer a gigante gasoso "planeta falhado"

Astrónomos da Universidade de Warwick descobriram o núcleo sobrevivente de um gigante gasoso em órbita de uma estrela distante, oferecendo uma visão sem precedentes do interior de um planeta. O núcleo, que é do mesmo tamanho …

As águas profundas provocam terramotos e tsunamis (e já se sabe como)

Uma nova investigação vincula diretamente o ciclo da água na Terra com a produtividade magmática e a atividade sísmica. A água (H2O) e outros elementos voláteis (como o CO2 e o enxofre) que circulam nas profundezas …

Cidade japonesa acaba de proibir a utilização de telemóveis enquanto se caminha

A cidade japonesa de Yamato acaba de aprovar uma proposta de lei que proíbe as pessoas de utilizarem telemóveis enquanto caminham. A cidade, localizada num subúrbio de Tóquio, entende que os telemóveis são um risco …

MIT apagou base de dados popular que ensinou IA a ser racista e sexista

O Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, viu-se obrigado apagar uma base de dados de treinamento de Inteligência Artifical (IA) depois de esta ensinar vários algoritmos a usar insultos racistas e sexistas. …

Escola Básica e fábrica de Paços de Ferreira encerradas, com nove casos positivos

A Escola Básica n.º 2 e a Fábrica de Lacados Abrelac, em Paços de Ferreira, Porto, foram encerradas após diagnosticados nove casos de covid-19 para “prevenção” e para “interromper as cadeias de transmissão”, disseram hoje …

Mais nove mortes e 328 casos confirmados em Portugal

Portugal regista hoje mais nove óbitos por covid-19, em relação a sábado, e mais 328 casos de infeção confirmados, dos quais 254 na região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo os dados da Direção-Geral …

Cientistas criam miniatura de ondas de choque de supernovas (e quase desvendam um mistério)

Esta versão em miniatura das ondas de choque das supernovas pode ter ajudado os cientistas a chegar muito perto da resolução de um antigo mistério cósmico. Uma equipa de investigadores do Departamento de Energia do Centro …

Na Indonésia, são os recém-licenciados quem mais vai sofrer com o impacto económico da covid-19

A covid-19 continua a desacelerar a economia na Indonésia e pode causar graves impactos nos recém-licenciados que entram no mercado de trabalho pela primeira vez. Na Indonésia, o crescimento económico diminuiu para 2,97% durante o primeiro …