/

Missão que simulou como seria viver um ano em Marte chega ao fim

HI-SEAS / Facebook

A cúpula no Havai onde a equipa da NASA vai viver durante um ano

Um grupo seis cientistas completou, este domingo, uma experiência que consistiu em viver numa instalação que simula as condições de vida no planeta Marte, durante um ano.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Três homens e três mulheres permaneceram isolados, no Havai, numa cúpula com 11 metros de diâmetro e seis metros de altura, com o objetivo de recolher toda a informação necessária sobre o modo como as pessoas se adaptariam à vida em Marte.

“Estou muito entusiasmado por voltar a passear ao ar livre, conhecer novas pessoas e comer produtos frescos” afirmou o astrobiólogo francês Cyprien Verseux, um dos participantes.

A coisa mais difícil foi a “monotonia”, explicou.

A equipa, enviada a 28 de agosto de 2015, incluiu também um físico alemão e quatro americanos – uma mulher piloto, um arquiteto, uma médica e uma cientista especializada em atividade solar.

A cúpula estava situada em Mauna Loa, no Havai, cerca de 2.500 metros acima do nível do mar, num local onde a paisagem – praticamente sem vegetação – é semelhante à de Marte.

Os participantes não sentiram quaisquer alterações climáticas quando estavam na cúpula e não podiam sair sem uma roupa adequada.

O Hawaii Space Exploration Analog Simulation (HI-SEAS) foi financiado pela NASA e foi a segunda maior experiência a simular uma viagem a outro planeta – a maior aconteceu na Rússia.

A agência espacial norte-americana queria obter o máximo de informação possível sobre a vida de um grupo de pessoas isoladas, em condições parecidas às de Marte, antes de lançar a missão espacial planeada para 2030.

BZR, ZAP / Sputnik News

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.