Da Antártida para o deserto. Milionário árabe quer rebocar icebergue para combater seca

2

Um milionário dos Emirados Árabes Unidos, Abdulla Alshehi, lançou a ideia de deslocar um icebergue da Antártida até ao país do Médio Oriente para combater a seca.

Segundo a Euronews, a iniciativa necessitaria de um desembolso de aproximadamente 150 milhões de dólares e abasteceria de água doce meio milhão de habitantes de uma das regiões mais secas do mundo.

Esta medida poderia nutrir água potável para parte da população dos Emirados Árabes Unido durante um período de tempo estimado em cinco anos.

O empresário quer selecionar um icebergue com dois quilómetros de comprimento por 500 metros de largura e transportá-lo cerca de 8.800 quilómetros com a ajuda de vários navios para as margens da cidade de Fujairah, no Golfo de Omã.

“De acordo com a nossa análise, será mais barato trazer os icebergues do que usar água dessalinizada” já que “centrais elétricas de dessalinização exigem grandes investimentos e significam bombear grandes quantidades de água no Golfo, matando peixes e vida marinha”, disse Alshehi.

O milionário quer “vender” a sua ideia como uma solução ecológica para um problema que se prevê piorar: as precipitações nos Emirados Árabes Unidos são cada vez mais comuns e o consumo de água só cresca, o que irá resultar numa profunda seca.

Mas este não é o único país que surgiu com uma solução como esta. A África do Sul sugeriu, na brincadeira, no mês passado “sequestrar” um icebergue da Antártida para a mesma finalidade: abastecer o país com água potável.

Além disso, em 2017, o país anunciou que estava a planear rebocar icebergues da Antártida até aos mares do Médio Oriente, como uma forma de influenciar o clima local, nomeadamente para provocar mais chuva.

Este projeto integrava-se na ideia mais abrangente da empresa de Al Shehi que projeta transformar o Deserto Empty Quarter, que preenche a Península Árabe ao longo de 650 mil metros quadrados, passando por Arábia Saudita, Iémen, Omã e EAU, num imenso jardim. A mesma empresa tinha também em marcha um projeto que visa ligar os rios do Paquistão aos EAU através de canais submarinos.

  ZAP //

 

2 Comments

  1. Creio que ele vai ter que escolher um de grandes dimensões, considerando o quanto vai derreter durante a viagem….

  2. Esses Árabes são loucos, bastaria conhecer a direcao dos ventos profundamente e 800 kilometros antes da cidade alvo (a ser irrigada com chuva) criar uma gigantesca evaporadeira de agua ( fazer nuvens) e jogadas nos ventos q a levarão até o ponto desejado. Até chegarem ao seu destino as nuvens se agrupadas e irão se denssificar caindo como como gotas fartas de chuva sobre o o local desejado. O mesmo pode ser feito em todo território. Levando chuva do ponto A para ponto B. Colocando evaporadores no ponto B e levando a chuva para o ponto C. E assim irrigando todo o solo Árabe como faziam no passado em um lugar chamado Itauky. E ainda gerariam centenas de milhares de empregos derecursosl humanos e materiais.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.