Micróbios canibais comiam os cadáveres uns dos outros para sobreviver nas profundezas do Mar Morto

No Mar Morto, sufocados pela água mais salgada da Terra, organismos unicelulares chamados Arquea lutavam para realizar funções básicas da vida sem oxigénio, luz ou novas formas de sustento.

De acordo com um novo estudo publicado em 22 de março na revista Geology, a sobrevivência da vida microbiana sob o Mar Morto pode ter até mesmo dependido do ato de comer os mortos.

No seu estudo, investigadores da Suíça e de França analisaram longos núcleos de sedimentos escavados no centro do Mar Morto e encontraram evidências de que a vida microbiana antiga acumulava a energia de que precisava para sobreviver, engolindo pedaços de vizinhos mortos.

De acordo com os investigadores, estes resultados dão luz para a misteriosa e profunda biosfera da Terra – o mundo subterrâneo entre a superfície da Terra e o seu núcleo – onde potencialmente milhões de espécies microbianas desconhecidas prosperam em condições extremamente extremas.

“O ambiente sub-superficial do Mar Morto constitui um dos ecossistemas mais extremos do planeta”, escreveram os autores no artigo. “Estudando um ambiente que leva a vida aos seus limites, vislumbramos os processos que alimentam a vida na sub-superfície profunda.”

O Mar Morto – que não é realmente um mar, mas um lago salgado que abrange as fronteiras de Israel, Jordânia e Palestina – começa a cerca de 430 metros abaixo do nível do mar, tornando-se o único lugar mais baixo em terra. O lago também é dos mais salgados: as águas são quase dez vezes mais salgadas do que os oceanos do mundo.

Para entender melhor a história microbiana deste ecossistema extremo, os autores do estudo investigaram amostras antigas de sedimentos enterradas a até 245 metros abaixo da superfície do lago. Dentro destas profundas fatias de leito de lago, a equipa encontrou vestígios de vida microbiana morta há muito tempo.

Nas camadas mais salgadas do submundo do lago, a equipa encontrou muitos compostos microbianos chamados ésteres de cera – um tipo de molécula de armazenamento de energia que os menores organismos do mundo podem criar quando a sua sobrevivência é levada aos limites. Um organismo precisa de engolir pedaços gordurosos deixados por micróbios mortos que não conseguiram sobreviver.

Já se sabia que as bactérias transformam pedaços dos seus vizinhos mortos em ésteres de cera, mas a arquea não parece ter essa habilidade. Assim, a equipa concluiu que os ésteres de cera encontrados nas profundezas do Mar Morto provavelmente vieram de bactérias que não tinham escolha a não ser alimentar-se dos cadáveres para sobreviver.

Pensava-se que as bactérias eram incapazes de se adaptar ao ecossistema extremo do lago. No entanto, ao “reciclar” pedaços de micróbios, a sobrevivência pode ter sido possível no passado. Isto pode aplicar-se também a outros ambientes severos espalhados pela vasta biosfera subterrânea do planeta.

“Os resultados ilustram a alta adaptabilidade da biosfera sub-superficial e a sua capacidade de usar estratégias variadas para produção e preservação de energia sob condições adversas”, concluíram os autores.

PARTILHAR

RESPONDER

Peter 2.0. Cientista com doença terminal quer transformar-se no ciborgue mais avançado de sempre

Peter Scott-Morgan, cientista britânico do ramo da robótica, está em fase terminal da doença do neurónio motor, uma doença degenerativa. Mas ele não quer visto como o homem que morreu daquela doença, mas sim tornar-se …

Estados Unidos vão transformar aeronaves obsoletas em "aviões arsenal"

Os Estados Unidos preparam-se para transformar algumas das suas maiores e mais obsoletas aeronaves em "aviões arsenal", que funcionarão como plataformas repletas de armas, revelaram fontes do Governo norte-americano. Foi em 2016 que esta ideia veio …

Imperador japonês paga 25 milhões de dólares por ritual secreto para dormir com deusa

Este ritual de sucessão do Imperador Naruhito aconteceu na quinta-feira e envolve dormir com uma deusa do Sol. O templo é construído para o efeito e é destruído depois. O ritual japonês altamente secreto conhecido como …

Para entrar nesta praia italiana, vai ser preciso pagar (e nem todos podem entrar)

Aos pés de uma antiga aldeia de pescadores, La Pelosa é uma atração turística muito célebre. Por isso, a autarquia decidiu tomar medidas para a proteger. A famosa praia tem sido uma vítima da erosão natural …

Laurent Simons será o mais novo licenciado do mundo. Tem 9 anos

O belga Laurent Simons tem apenas 9 anos e estás prestes a bater um recorde: em dezembro, deverá tornar-se o mais novo licenciado do mundo. O "menino prodígio", tal como é apontado pelos média internacionais, ingressou …

Preços dos passes Navegante ficam iguais em 2020

Os preços dos passes Navegante vão manter-se iguais em 2020, no âmbito da estratégia de “promoção da utilização dos transportes públicos coletivos”, anunciou esta sexta-feira a Área Metropolitana de Lisboa (AML). “A Área Metropolitana de Lisboa …

Os burros-táxi de Espanha vão ter horários de trabalho, estábulos novos e deixar de carregar turistas de 80 quilos

Os burros táxis são uma atração turística de Mijas, província de Málaga, no sul de Espanha. Agora foram definidas novas regras que têm em conta os direitos e o bem-estar dos animais. O serviço funciona como …

Vai ser preciso "ser-se rico" para visitar a famosa Ilha de Komodo

Em breve, os turistas que queiram visitar a Ilha de Komodo, o famoso lar de mais de 5.000 dragões de Komodo, terão de ser ricos. O aviso é do Governo local indonésio, que chegou mesmo …

Sócrates saúda saída da prisão de Lula. "Sei que estás em festa, pá"

O antigo primeiro-ministro José Sócrates, acusado de corrupção, considerou que a saída da prisão de Lula da Silva representou uma "reentrada no mundo" do ex-chefe de Estado brasileiro, acontecimento em relação ao qual o PS, …

Ministra da Justiça visitou mãe que abandonou bebé no lixo

A mãe que abandonou o bebé no caixote do lixo em Lisboa está bem de saúde e a receber apoio psicológico, constatou a ministra da Justiça, que esta sexta-feira visitou a jovem na cadeia de …