O “Mensageiro das Estrelas” afinal pode mesmo ser uma nave alienígena

ESA / M. Kornmesser / European Southern Observatory

Impressão de artista do primeiro asteróide interestelar: Oumuamua.

Um objeto interestelar que permanece um mistério: eis Oumuamua. Cientistas de Harvard levantam agora a hipótese de que o “Mensageiro das Estrelas” possa ser, afinal, uma sonda totalmente operacional enviada intencionalmente à vizinhança terrestre por uma civilização alienígena.

19 de outubro de 2017. Foi nesta data que o Panoramic Survey Telescope and Rapid Response System-1 (Pan-STARRS-1), no Havai, anunciou a primeira deteção de um asteróide interestelar. Batizado de Oumuamua, este objeto espacial causou uma grande discussão na comunidade científica.

Com o tempo, foram surgindo novos dados que desmistificaram este objeto e, curiosamente, foram crescendo também as desconfianças de que Oumuamua pudesse ser uma nave interestelar.

Um estudo recente, realizado por astrónomos da Harvard Smithsonian Center for Astrophysics (CfA), deu um passo à frente nesta teoria, sugerindo que o Oumuamua pode mesmo ser uma nave espacial de origem alienígena.

O estudo, publicado no The Astrophysical Journal Letters este mês, levanta a ponta do véu sobre esta teoria de que o objeto espacial com aproximdamente 400 metros de comprimento e 40 metros de largura, pode, afinal, ser “um veleiro de origem artificial”, indicando que pode ter sido construído por uma civilização alienígena altamente avançada.

Oumuamua foi visto pela primeira vez quando já estava a abandonar o Sistema Solar. Na altura, os astrónomos afirmaram que o objeto parecia ter uma alta densidade, que indicava uma composição rochosa, e que estava a girar muito rapidamente.

Apesar de não mostrar qualquer sinal de fuga de gás quando passou perto do Sol, o que teria indicado que Oumuamua era um cometa, uma equipa de cientistas conseguiu obter espectros que indicavam que o objeto era mais gelado do que se pensava.

Quando fugia do Sistema Solar, o telescópio Hubble conseguiu tirar algumas imagens que revelaram um comportamento inesperado. Depois de analisadas, a equipa afirmou que as imagens revelavam que Oumuamua tinha aumentado a velocidade, em vez de desacelerar, como seria o esperado.

A explicação apontada como a mais provável era que Oumuamua estava a libertar material da sua superfície devido ao aquecimento solar – outgassing. A libertação deste material, que é consistente com a tese de que este objeto poderia mesmo ser um cometa, daria a Oumuamua o impulso necessário e constante para alcançar esse aumento de velocidade.

Mas Shmuel Bialy e Abraham Loeb, autores do novo estudo, lançam agora os seus trunfos para desmentir esta teoria. Assim, se Oumuamua fosse, de facto, um cometa, por que motivo não libertava gases quando se aproximava do Sol?

Assim, os cientistas consideram a possibilidade de Oumuamua ser uma nave espacial que depende da pressão da radiação para gerar propulsão. Esta nave pode, no entender dos investigadores, ter sido enviada por uma outra civilização para estudar o nosso Sistema Solar e procurar por sinais de vida.

Assim, a estranha “aceleração excessiva” do objeto pode ser um indício suficiente da sua artificialidade. “Considerando uma origem artificial, uma possibilidade é a de que o Oumuamua possa ser um veleiro a flutuar no espaço interestelar como um resíduo de um equipamento tecnológico avançado”, escrevem os investigadores.

“O excesso de aceleração de Oumuamua longe do Sol é explicado como sendo o resultado da força que a luz do Sol exerce na sua superfície”, explica Bialy. “Para que esta força explique o excesso de aceleração medido, o objeto precisa de ser extremamente fino, mas com dezenas de metros de tamanho, o que torna o objeto leve para a sua área de superfície e permite que ele atue como uma vela de luz.”

Com base nesta premissa, Bialy e Loeb calcularam a provável forma, espessura e relação massa-área que um objeto artificial teria. Os cientistas tentaram também, segundo o Phys.org, determinar se este objeto seria capaz de sobreviver no espaço interestelar, e se seria capaz de suportar as tensões de tração causadas pelas forças de rotação e da maré.

Desta forma, descobriram que uma vela que tinha apenas uma fração de milímetro de espessura (0,3-0,9 mm) seria suficiente para uma folha de material sólido sobreviver à jornada por toda a galáxia – embora isto dependa muito da densidade de massa de Oumuamua.

Grosso ou fino, adiantam, esta vela seria capaz de resistir a colisões com grãos de poeira e gás que permeiam o meio interestelar, bem como forças centrífugas e de maré.

Mas o que estaria esta nave espacial alienígena a fazer no nosso Sistema Solar? Para responder a esta questão, Bialy e Loeb oferecem algumas explicações.

Primeiro, sugerem que a sonda pode realmente ser uma vela desativada a flutuar sob a influência da gravidade e da radiação estelar. Por outro lado, Oumuamua pode também ser uma peça ativa de tecnologia alienígena que veio com o objetivo de explorar o nosso Sistema Solar, da mesma forma que esperamos explorar Alpha Centauri usando o Starshot e tecnologias similares.

Não falta também quem realce a enorme semelhança do Oumuamua com Rama, o enorme “asteróide 31/439” que, em Rendez-vous com Rama, é detectado no ano de 2131 a aproximar-se da Terra vindo de fora do sistema solar.

Na conhecida novela de Arthur C. Clarke, o asteróide vem a revelar-se um cilindro negro, com 54km de comprimento, que durante décadas desperta receios e teorias, inspira cultos e religiões, leva seitas ao suicídio e inspira um enorme esforço da comunidade científica numa expedição para descobrir quem tinha construído o enorme veículo espacial.

Mas apesar de todos os receios e esperanças, o misterioso cilindro aproxima-se inexoravelmente da Terra, passando serenamente ao largo do nosso planeta, e dele se afastando à sua velocidade normal – sem se desviar um parsec da sua rota, e sem desvendar qualquer detalhe acerca dos seus criadores, da sua missão e do seu destino.

Atualmente, Oumuamua está a afastar-se do Sol a uma velocidade aproximada de 112 mil quilómetros por hora em direção à parte externa do Sistema Solar. Dentro de quatro anos,  passará a órbita de Neptuno a caminho do espaço interestelar. Até lá, pode ser que este mistério se desvende finalmente.

ZAP //

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. Quem está por dentro do que se passa no Programa Espacial Secreto sabe há muito tempo que já foi confirmado ser uma nave extraterrestre e que brevemente sairia nos media a confirmação… Ora aqui está, uma quase certeza. Já vos começam a preparar, quem ainda não está “acordado”. Mas muito tem sido feito para evitar que o mundo saiba destas coisas “secretas”.
    Vivemos tempos muitíssimo interessantes, sem dúvida!

    • Cuidado, eles andem aí….por amor de “alguém”.. Quais extraterrestres…acordem para a vida. Quando virem um avisem.
      Respeito, mas não aceito.

      • Deves-te achar muito especial para pensares que tu (entende a tua “espécie”) ter sido a única por essa imensidão fora a ter sido bafejada pela sorte de estar com olhos abertos e ter sido dotada de um par de neurónios. Aproveita, faz uso deles.

    • A mim parece-me um dildo gigante…
      E quanto ao Joannes… larga isso e procura levar uma vida condigna. Diz não à droga… olha que não é… não há droga…

      • Cuidado a amiga traseira do Ronaldo ainda processa esse “calhau”.

        Fora de “jokes” os américas como não vêm novela brazuca nem têm futebol (com os pés) não ouvem fado nem os pastorinhos de fátima gramam o dr phill o trump e de vez em quando com uns extraterrestres. Por cá temos tudo o resto mas vamos importando uns halloweens muita produção hollywood e uns ovnis também de vez em quando.

  2. ELES E ELAS,VEEM AI AHAHHAHAH OSX EXTRATERRESTRES, OU serao os e as EXTRATERRESTRES HUMANOS da ESTAÇAO ESPACIAL INTERNACIONAL, que ja construiram um DISCO VOADOR parairem a MARTE iiiiiiiiiii agora +e um XARUTO costruido o UMAUMA hahahhahhazzzzzzzzzzzzzzvai vala vai
    AGP

RESPONDER

Afinal comer um ovo por dia é mau outra vez

Afinal, comer um ovo por dia não é assim tão bom para a saúde como estudos recentes sugeriam. O maior consumo de ovos e colesterol pode aumentar o risco de doenças cardíacas e de morte …

Na Colômbia, há um "arco-íris líquido" que é descrito como a 8ª maravilha do mundo

Escondido nos confins da Serra da Macarena, na Colômbia, está o rio Caño Cristales. De dezembro a maio, o curso de água é como outro qualquer, apesar de estar rodeado de um dos ecossistemas mais …

Com uma nova interface neural, a telepatia já é possível

Uma equipa internacional de cientistas deu um passo adiante no desenvolvimento de interfaces neuronais para propor uma interface que envolve a transferência de informação entre as pessoas diretamente. As interfaces cérebro-computador podem melhorar as habilidades individuais …

Bombeiros profissionais ameaçam deixar de prestar serviço voluntário nas corporações

Os bombeiros voluntários das associações humanitárias admitem deixar de prestar serviço voluntário nas corporações, caso a Liga dos Bombeiros Portugueses continue por concluir o acordo coletivo de trabalho, que está em negociação há mais de …

Baleia encontrada morta nas Filipinas com 40 quilos de plástico no estômago

Uma baleia foi encontrada morta na sexta-feira, na costa sudeste das Filipinas, com 40 quilos de plástico no estômago, informou a imprensa local. O cetáceo, uma baleia-bicuda-de-cuvier, apareceu na sexta-feira à beira-mar no município de Mabini, …

Macron convoca reforços após novos confrontos de coletes amarelos

A nova manifestação de "coletes amarelos", no sábado, registou distúrbios violentos na capital francesa. Como resposta, o presidente francês Emmanuel Macron convocou um reforço das forças de segurança. O dia de sábado marcou mais um protesto …

Pedidos de nacionalidade portuguesa aumentaram 50% em dois anos

Nos últimos dois anos, o número de pedidos de nacionalidade portuguesa aumentou cerca de 50%, avança o jornal Público esta segunda-feira. Se em 2016 foram 117.629 os cidadãos estrangeiros que pediram a nacionalidade portuguesa, em 2018 …

Não há democracia na Coreia do Norte? "É uma opinião", diz Jerónimo

Jerónimo de Sousa evitou classificar o regime de Kim Jong-un em termos "de ser ou não ser" uma democracia. A Coreia do Norte é ou não uma democracia? "É uma opinião", respondeu Jerónimo de Sousa. Numa …

Afinal, o esparguete à bolonhesa não existe

Quando se trata de refeições italianas clássicas, a maioria das pessoas pensa em pratos simples como uma pizza Margherita, lasanha e esparguete à bolonhesa. Contudo, segundo Virginio Merola, presidente de Bolonha, em Itália, o esparguete à bolonhesa …

Javalis tomaram o lugar dos coelhos. "Muitos animais estão doentes"

Para já, não há perigo de saúde pública, mas os javalis carregam doenças que podem passar a outros animais. Se antes se matavam mil coelhos, abatem-se agora 10 javalis. Jacinto Amaro, presidente da Fencaça - Federação …