/

Meghan Markle perde batalha judicial. Em causa está carta que enviou ao pai

Depois de no passado mês de agosto, Meghan Marke vencer uma batalha judicial contra o Mail on Sunday, desta vez não pode festejar mais uma vitória. A norte-americana perdeu a última luta contra o jornal britânico, que acusou de divulgar, sem autorização, uma carta que havia enviado ao seu pai Thomas Markle.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

A Duquesa de Sussex levou a cabo uma ação judicial contra o Mail on Sunday, depois do jornal divulgar uma carta “privada e confidencial” que a ex-atriz enviou ao seu pai nas vésperas do seu casamento com o príncipe Harry, em maio de 2018.

Em agosto, a norte-americana conseguiu que o Tribunal Superior de Londres optasse por manter anónima a identidade das suas cinco amigas, como parte da ação legal que foi levada a cabo. Contudo, depois da Suprema Corte decidir que a editora não deveria ser processada, Meghan saiu derrotada.

A esposa do príncipe Harry alegou que a publicação feita pelo jornal, no ano passado, e que revelava partes da carta enviada a Thomas Markle, divulgou informações privadas sobre a sua vida e violou a Lei de Proteção de Dados.

Durante a última sessão de julgamento, a Associated Newspapers (editora do jornal Mail on Sunday) pediu uma alteração da sua defesa, argumentando que a duquesa não tem o direito de fazer acusações, uma vez que “cooperou com os autores do livro recentemente publicado “Finding Freedom”, onde divulga a sua versão de certos eventos”.

Antony White, advogado que representa a editora, considera que o livro publicado em agosto tem “aparência de ter sido escrito com a cooperação de Meghan”.

Perante estas acusações, os advogados da norte-americana negaram que esta tenha “colaborado” com os autores do livro, e defendem que quaisquer referências à carta eram excertos retirados dos artigos publicados pelo Mail on Sunday.

Justin Rushbrooke, advogado da duquesa, garante que “tanto Meghan como Harry, não colaboraram com os autores do livro, nem foram entrevistados com esse intuito, e também não forneceram fotos suas”. Rushbrooke tentou recorrer da decisão, mas esta foi negada pela juíza Francesca Kaye. Ainda assim, Kaye referiu que os advogados da duquesa ainda podem recorrer ao Tribunal de Apelação.

O advogado de Meghan Markle argumentou que há uma “improbabilidade inerente” da duquesa cooperar com os autores do livro, e que isso poderia ser provado com o simples ato de “comparar o que os próprios artigos de Meghan diziam, com o que o livro escreveu sobre a carta”.

Porém, a última decisão da Suprema Corte aceitou os argumentos apresentados pelo Mail on Sunday, e a justificação dada sobre o livro – que supostamente contou com a colaboração da duquesa – foi tida como a chave para o desfecho de mais uma batalha judicial.

PUBLICIDADE

Contudo, a luta de Markle contra a Associated Newspapers ainda não chegou ao fim. A Duquesa de Sussex mantêm em aberto a ação judicial devido à publicação de cinco artigos – dois no Mail on Sunday e três no MailOnline.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.