McDonald’s substituiu palhinhas de plástico por alternativa em papel. Mas esta, afinal, não é facilmente reciclável

Numa tentativa de ser mais ecológica, a cadeia de fast food norte-americana McDonald’s decidiu substituir as palhinhas de plástico por uma alternativa em papel em todos os seus 1361 restaurantes no Reino Unido e Irlanda. Mas esta alternativa não é facilmente reciclável.

No entanto, a nova alternativa feita de papel e descrita como “amiga do ambiente” não é “facilmente reciclável”, ao contrário do que acontecia com as palhinhas feitas de plástico, noticiou o Público esta segunda-feira.

A medida em questão surgiu depois de clientes e ambientalistas – nomeadamente a organização não-governamental SumOfU – terem pressionado a empresa para que implementasse uma solução mais ecológica no uso de plásticos descartáveis. O processo começou a ser implementado em setembro de 2018 e ficou concluído este ano, isto apenas no Reino Unido e na Irlanda.

A empresa sediada em Chicago, que conta com mais de 36 mil restaurantes em todo o mundo, anunciou, em 2018, que ia testar alternativas ao plástico em restaurantes selecionados nos Estados Unidos, na França, na Suécia e na Noruega. Noutros países, como a Malásia, seria implementada uma outra solução: as palhinhas só seriam distribuídas caso o cliente o solicitasse.

Agora, depois de todo o processo logístico de transição para as palhinhas de papel estar concluído, a BBC avançou que as novas palhinhas, apesar de serem compostas por materiais complemente recicláveis, são demasiado espessas, o que faz com que sejam mais difíceis de processar durante a reciclagem.

Numa primeira fase, estas palhinhas eram feitas de um material mais fino e passível de ser reciclado com mais facilidade. Porém, depois de várias queixas de consumidores que afirmavam que as mesmas eram demasiado frágeis e se dissolviam na bebida, a empresa pediu ao produtor (uma empresa do País de Gales) para as tornar mais resistentes.

“Como resultado do feedback dos nossos clientes, decidimos fortalecer as nossas palhinhas de papel. Embora os materiais sejam recicláveis, a sua espessura atual torna mais difícil que estes sejam processados pelos nossos fornecedores que também nos ajudam a reciclar os copos de papel”, referiu um porta-voz do McDonald’s citado pela BBC.

A empresa afirmou estar a trabalhar numa solução para o problema e acrescentou que, por enquanto, a rejeição das palhinhas de papel para o lixo geral é temporário. “Os desperdícios dos nossos restaurantes não vão para aterros sanitários, são usados para gerar energia”, referiu ainda o porta-voz.

Entretanto, várias petições que pedem o regresso das palhinhas de plástico do McDonald’s já foram assinadas por milhares de cidadãos britânicos e irlandeses, sendo que uma delas, alojada no site 38degrees já chegou às 51 mil assinaturas.

Nos estabelecimentos da cadeia de fast food na Irlanda e no Reino Unido são usadas cerca de 1,8 milhões de palhinhas de plástico por dia. A maioria é feita de plásticos como o polipropileno e o poliestireno. Caso não sejam reciclados, estes materiais demoram centenas de anos a decompor-se – e muitos acabam nas praias e nos oceanos.

Em dezembro de 2018, a Grã-Bretanha lançou uma consulta pública sobre a intenção de duplicar a taxa sobre os sacos de plástico de uso único a partir de 2020. O país pretendia estender esta medida a todas as lojas para se reduzir o lixo plástico.

Desde outubro de 2015, os retalhistas em Inglaterra (com pelo menos 250 funcionários) foram obrigados a aplicar uma taxa de cinco pences (seis cêntimos) por cada saco plástico, uma medida que o Governo disse ter tirado de circulação 15 mil milhões de sacos.

Taísa Pagno TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Ataque terrorista a cidade na Nigéria atinge organizações humanitárias e instalações da ONU

Jihadistas alegadamente ligados ao Estado Islâmico atacaram este sábado as instalações de várias organizações humanitárias e das Nações Unidas na cidade nigeriana de Damasak, e ainda estão no local, afirmaram fontes das organizações não-governamentais (ONG). O …

Os humanos foram "superpredadores" durante dois milhões de anos

Uma nova investigação revelou que os humanos foram um predador de ponta durante cerca de dois milhões de anos. Só a extinção da megafauna e o declínio das fontes de alimentos de origem animal no …

Paços de Ferreira 0-5 Benfica | Seferovic “parte tudo” na Capital do Móvel

Na noite deste sábado, o Benfica somou o sétimo triunfo consecutivo no campeonato, ao golear o Paços de Ferreira por 5-0, num embate relativo à 26.ª jornada do campeonato. A equipa de Jorge Jesus, que acabou …

Após terramotos e deslizamentos, a "cidade moribunda" de Itália ainda resiste no topo de uma montanha

Chamar-se a si mesmo de "Cidade Moribunda" pode não parecer a melhor forma de atrair turistas, mas Civita, em Itália, aprendeu a viver com o facto de estar a morrer. Há vários séculos, a cidade …

"Alexa, estou com calor." Já é possível controlar o ar condicionado de um Lamborghini apenas com a voz

A Amazon está a dar um grande passo na indústria automóvel ao integrar a Alexa no Huracán EVO da Lamborghini, não apenas para fazer perguntas, mas dando ao assistente virtual a capacidade de controlar as …

Nova tecnologia pode enviar luz solar para o subsolo

Investigadores da Universidade Tecnológica de Nanyang, na Singapura, inventaram um novo dispositivo que pode ajudar o país a iluminar a sua crescente infraestrutura subterrânea. A Singapura é um dos países que tem apostado cada vez mais …

Livro lança "caça ao tesouro" a urna de ouro oferecida por Inglaterra a França antes da Entente Cordiale

Um novo enigma literário está prestes a chegar às estantes de livros com uma recompensa incomum. Pistas em "The Golden Treasure of the Entente Cordiale" podem levar leitores no Reino Unido e França a um …

Para evitar casos de burnout, LinkedIn deu uma semana de férias aos quase 16 mil funcionários

O LinkedIn decidiu dar uma semana de férias (remunerada), que começou esta segunda-feira, a todos os seus funcionários espalhados pelo mundo. O objetivo? Desconectar, recarregar baterias e prevenir casos de burnout.  "Queríamos ter a certeza de …

Pequenos nadadores-robô curam-se a si próprios (e em movimento)

Uma equipa de investigadores da American Chemical Society desenvolveu pequenos robôs nadadores que conseguem curar-se a si mesmos magneticamente. O tecido vivo pode curar-se autonomamente de muitos ferimentos, mas fornecer habilidades semelhantes a sistemas artificiais, como …

Tondela 0-2 FC Porto | Missão cumprida com serviços mínimos

Missão cumprida. O FC Porto fez poupanças no jogo com o Tondela, mas levou os três pontos para casa, graças a um triunfo por 2-0. Os “dragões” foram claramente superiores no primeiro tempo, marcaram por Toni …