Há 350 anos, um massacre lendário pode ter começado por causa de um jogo de dardos

(dr) University of Aberdeen

Arqueólogos descobriram um massacre de 350 anos no Alaska, que ocorreu durante uma guerra, que pode ter começado com um jogo de dardos.

A descoberta revela as maneiras horríveis como as pessoas numa cidade foram executadas e confirma parte de uma lenda que foi transmitida ao longo dos séculos pelo povo Yup’ik. Uma escavação recente na cidade de Agaligmiut – hoje frequentemente chamada Nunalleq – descobriu os restos de 28 pessoas que morreram durante o massacre e 60 mil artefactos bem preservados.

Agaligmiut tinha um grande complexo interconectado que foi projetado para tornar a defesa mais fácil, disseram Rick Knecht e Charlotta Hillerdal, ambos professores de arqueologia da Universidade de Aberdeen, na Escócia, que lideram a equipa que está a escavar o local. “Descobrimos que havia sido queimado e o topo estava cheio de pontas de flechas”, disse Knecht ao Live Science.

Algumas das 28 pessoas encontradas “foram amarradas com corda de relva e executadas”, disse Knecht, acrescentando que “estavam viradas para baixo e algumas delas tinham buracos na parte de trás dos crânios do que parece uma lança ou uma seta”.

Não é certo quando o massacre ocorreu, embora Knecht tenha dito que o complexo foi construído em algum momento entre 1590 e 1630. Foi destruído por um ataque e incêndio em algum momento entre 1652 e 1677.

O massacre ocorreu durante o que os historiadores chamaram de “guerras do arco e flecha”, uma série de conflitos no Alaska durante o século XVII. De acordo com uma lenda do Yup’ik, o conflito começou durante um jogo de dardos quando um menino acidentalmente acertou no olho de outro com um dardo.

O pai do menino magoado arrancou os dois olhos do menino que causou a lesão, conta a história. Depois, um parente do menino que tinha ambos os olhos arrancados retaliou, o conflito intensificou-se quando outros membros da família dos dois meninos se envolveram. O ataque de dardo terá resultado numa série de guerras.

“Há uma série de histórias diferentes”, disse Knecht, acrescentando que “o que sabemos é que as guerras de arco e flecha foram durante um período de tempo chamado a pequena era do gelo”. O clima mais frio pode ter causado uma escassez de alimentos que poderia ter desencadeado o conflito.

Massacre em Agaligmiut

Histórias passadas ao longo dos séculos contam como o povo de Agaligmiut, liderado por um homem chamado Pillugtuq, montou um grupo de guerra e foi atacar outra aldeia que passou por vários nomes, incluindo Pengurmiut e Qinarmiut. As pessoas da outra aldeia tiveram aviso prévio do grupo de guerra e emboscaram os combatentes, matando ou dispersando todos os guerreiros.

Há várias histórias sobre a emboscada. Numa, as mulheres da outra aldeia vestiram-se para parecer homens e participaram na emboscada, usando arcos e flechas para atacar o grupo de guerra. Outra história diz que, pouco antes de o grupo de guerra deixar Agaligmiut, um xamã avisou Pillugtuq que Agaligmiut seria reduzido a cinzas, um aviso que Pillugtuq ignorou.

Depois da emboscada, guerreiros da outra aldeia seguiram para Agaligmiut, mataram os habitantes e queimaram Agaligmiut. Como a maioria dos homens em idade de lutar estava com o grupo de guerra que tinha sido emboscado, o massacre consistia em mulheres, crianças e homens idosos. Descobertas arqueológicas confirmam isto, pois os 28 corpos consistem principalmente de mulheres, crianças e homens mais velhos. “Havia apenas um homem com idade para lutar”, disse Knecht.

Cerca de 60 mil artefactos bem preservados contam como era a vida em Agaligmiut antes do massacre. Os artefactos incluem bonecas, figuras, máscaras de dança de madeira e cestas de relva.

O permafrost manteve os artefactos excecionalmente preservados. “É incrível, muitas destas coisas poderiam ser usadas hoje. Às vezes, encontramos a madeira ainda brilhante e nem escurecida pela idade”, disse Knecht.

Máscaras de dança de madeira são alguns dos artefactos mais interessantes. “Muitas vezes descrevem uma pessoa a transformar-se num animal ou um animal a transformar-se numa pessoa”, disse Knecht. As figuras e bonecas foram usadas para uma variedade de propósitos, incluindo rituais religiosos e como brinquedos.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Há um enorme buraco na atmosfera de Marte (e a água está a escapar)

Uma vez a cada dois anos, um gigantesco buraco abres-e na atmosfera marciana, deixando escapar para o Espaço uma parte das escassas reservas de água do Planeta Vermelho. O estranho mecanismo meteorológico, nunca visto na Terra, …

Musk vai construir um túnel de alta velocidade em Las Vegas

A Boring Company conseguiu um contrato de 48,7 milhões de dólares para construir um sistema subterrâneo, chamado LVCC Loop, em Las Vegas. A empresa Boring Company, de Elon Musk, foi a escolhida para construir um túnel …

Cientistas podem ter descoberto a verdadeira origem da canábis

A origem da canábis é um mistério, mas a análise de pólen antigo sugere que a planta evoluiu cerca de três quilómetros acima do nível do mar no planalto tibetano. Documentos que datam da Idade Média …

Sporting vs FC Porto | Um ano depois, a Taça para os leões

O Sporting venceu o FC Porto, mais uma vez nas grandes penalidades, e arrecadou a 17ª Taça de Portugal. Num jogo muito disputado no Estádio do Jamor, que terminou empatado 1-1 no tempo regulamentar, o Porto …

Marcelo pede aos portugueses para votarem. "Ficar em casa é um erro enorme"

O Presidente da República pediu hoje aos portugueses que façam o "pequeno sacrifício" de votar nas eleições para o Parlamento Europeu e não deixem "nas mãos de 20% ou de 25% a decisão que é …

Uma cidade inteira dos EUA está refém de cibercriminosos

A cidade de Baltimore, nos Estados Unidos, está sob ataque. Mas a ameaça não vem de pessoas armadas com pistolas e bombas. Há duas semanas, cibercriminosos usaram ransomware - um tipo de software nocivo que restringe …

Abandonado em bebé no aeroporto de Gatwick, Steve encontrou a família 33 anos depois

Um bebé foi abandonado no chão de uma casa de banho do aeroporto de Gatwick a 10 de abril de 1986. Foi quando Beryl Wright encontrou o recém-nascido que começou o mistério que só se …

Monges encontram receita perdida e voltam a fabricar cerveja medieval belga após 224 anos

Os monges da abadia de Grimbergen, na província de Brabante Flamengo, na Bélgica, encontraram a receita original de uma cerveja que era produzida artesanalmente no local há 224 anos e voltarão a fabricá-la. Monges da Abadia …

Nova app permite transmitir consentimento ao par num encontro

Vem aí uma nova app para encontros que nos permite sinalizar quando é que o nosso par tem o nosso consentimento para avançar para o próximo passo. A aplicação permite também ganhar pontos conforme se …

Agências de espionagem dos EUA cedem informações a investigação sobre interferência russa

Trump ordenou às agências de espionagem norte-americanas que deem os dados que têm sobre interferência da Rússia nas presidenciais de 2016 ao Departamento da Justiça. O diretor dos serviços secretos nacionais norte-americanos, Dan Coats, afirmou este …