Mais de 170 padarias multadas por restrição de venda de pão na Venezuela

fortinbras / Flickr

-

Nas últimas 48 horas, foram multadas 171 padarias, incluindo várias propriedade de portugueses radicados na Venezuela, por, alegadamente, estarem a restringir a oferta e a condicionar a venda de pão, anunciaram este domingo as autoridades venezuelanas.

“Não há razão para que os donos das padarias apliquem estes mecanismos de restrição da oferta, quando o Estado venezuelano, através do Ministério Popular para a Alimentação, tem garantido a matéria-prima básica, como é a farinha de trigo”, disse William Contreras, da Superintendência Nacional para a Defesa dos Direitos Socioeconómicos.

William Contreras falava aos jornalistas durante uma inspeção à Gran Majestic II, uma padaria propriedade de empresários portugueses que também foi multada e obrigada a encerrar por um período de 72 horas.

O responsável explicou que chegaram recentemente à Venezuela, 27 mil toneladas de farinha de trigo, provenientes do Canadá, e que algumas padarias foram ainda sancionadas por boicote, açambarcamento e insalubridade.

“Estamos também a fiscalizar as empresas que distribuem este farinha de trigo às padarias, uma vez que temos recebido denúncias de condicionamentos e restrição no fornecimento”, frisou.

“Desculpe, não temos pão”

Desde o passado mês de fevereiro que o setor venezuelano da panificação se declarou em emergência por falta de matéria-prima para fazer o pão e outros produtos, sendo frequente os letreiros com mensagens como “desculpe, não temos pão, por falta de farinha” em muitas padarias da Venezuela.

Em resposta, o Governo venezuelano anunciou a importação de mais de 50 mil toneladas de farinha de trigo, o que permitiu às padarias continuarem a funcionar.

No entanto os empresários queixam-se que o abastecimento de matéria-prima é irregular e insuficiente, o que tem levado a limitar a produção de pão a uma ou duas vezes ao dia e a venda a dois pães por pessoa.

Segundo o presidente da Federação Venezuelana de Industriais de Panificação e Afins (Fevipan), Tomás Ramos, as importações são insuficientes.

“Para que o inventário de farinha de trigo na Venezuela atinja níveis normais tem que haver 100 mil toneladas de matéria-prima nos moinhos e outras 100 mil toneladas em trâmites de importação”, mensalmente, disse aos jornalistas.

Por outro lado, segundo o presidente da Federação de Trabalhadores da Farinha (Fetraharina), Juan Crespo, cinco dos oito moinhos de trigo existentes no país “estão paralisados” por falta de matéria-prima.

Na Venezuela vigora, desde 2003, um apertado sistema de controlo cambial que impede a livre obtenção local de moeda estrangeira e obriga os empresários a recorrerem ao Executivo para obterem as autorizações necessárias para aceder às divisas (dólares) para as importações.

No entanto são cada vez mais frequentes as queixas de demoras e dificuldades para obter as autorizações e de que em muitos casos as divisas autorizadas são insuficientes e não são entregues atempadamente.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Putin convoca referendo sobre alterações constitucionais para 1 de julho

A aprovação da reforma constitucional permitirá ao atual Presidente da Rússia, Vladimir Putin, cumprir mais dois mandatos suplementares a partir de 2024. Vladimir Putin anunciou a data de 1 de julho para o referendo nacional de …

Depois das máscaras e do gel, procura por acrílico dispara

À semelhança do que aconteceu com as máscaras de proteção e com o álcool-gel, a procura mundial por acrílico está a aumentar. Primeiro foram as máscaras e o desinfetante em gel, mas agora há um novo …

Real Madrid não volta ao Santiago Bernabéu até final da temporada

O Real Madrid vai disputar os restantes jogos da Liga espanhola de futebol na condição de visitado no estádio Alfredo di Stéfano, no centro de treinos merengue. Segundo a agência EFE, Florentino Pérez enviou uma carta …

Metade das empresas que aderiram ao teletrabalho tenciona mantê-lo

A pandemia veio mudar a forma como trabalhamos. Quase metade das empresas que aderiram ao teletrabalho tenciona manter a atividade, ou parte dela, em regime de trabalho remoto.  De acordo com um inquérito da CIP - …

"Muitos de vocês são fracos". Trump critica ação dos governadores durante protestos

O Presidente dos Estados Unidos ridicularizou alguns governadores estaduais por serem "fracos" e exigiu-lhes que tomem medidas duras contra os manifestantes, após mais uma noite de violência em diversas cidades. Donald Trump conversou com os governadores, …

O vírus "não desapareceu". DGS apela para responsabilidade dos adeptos de futebol

Graça Freitas apelou aos adeptos de futebol para que respeitem as regras da Direção-Geral da Saúde, sublinhando que não podem existir ajuntamentos junto aos estádios e concentrações de pessoas em cafés ou em outros locais. Durante …

PSD junta-se ao Bloco e PCP e pede apreciação parlamentar do decreto das PPP na Saúde

O PSD pediu a apreciação parlamentar do decreto-lei que regulamenta a criação de parcerias público-privadas (PPP) na Saúde. O maior partido da oposição junta-se assim ao Bloco de Esquerda e PCP, embora com motivos diferentes. Os sociais-democratas …

Reembolsos de IRS estão a ser "indevidamente retidos", denuncia Provedora de Justiça

Maria Lúcia Amaral escreveu ao secretário de Estado dos Assuntos Fiscais para pedir a correção de erros, lembrando que o reembolso é uma ajuda preciosa para muitas famílias, nomeadamente nesta altura. A Provedora de Justiça, Maria …

Rússia quer exportar antiviral que diz ser eficaz em 90% dos casos

O antiviral Afivavir mostrou ser eficaz no combate ao novo coronavírus em 90% dos casos, mas não estará à venda em farmácias. A Rússia planeia exportar para vários países do mundo um medicamento para a …

Exigência "irracional e insultuosa". Precários acusam Governo de os forçar a "mentir"

O formulário de apoio aos trabalhadores independentes obriga-os a garantir que retomarão a atividade dentro de oito dias. No último sábado, a Segurança Social disponibilizou o formulário de apoio aos trabalhadores independentes que deveria ter ficado …