Mais de 100.000 pessoas já desapareceram oficialmente no México

3

O México registou oficialmente mais de 100.000 pessoas dadas como desaparecidas, de acordo com dados do Registo Nacional de Pessoas Desaparecidas do Ministério do Interior.

Desde 1964, o país registou cerca de 100.023 pessoas desaparecidas, das quais mais de 24.700 são mulheres, e mais de 74.700 são homens. O sexo de 516 das pessoas é desconhecido, segundo a CNN.

O número aumentou em mais de 20.000 pessoas só nos últimos dois anos, de acordo com os dados — valores que foram recebidos com indignação e apelos urgentes para melhores sistemas de busca e salvamento.

Apenas 35 dos desaparecimentos registados levaram à condenação dos culpados, sublinha Michelle Bachelet, Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, em declarações, esta terça-feira.

“Não se devem poupar esforços para pôr fim a estas violações e abusos dos direitos humanos de grande amplitude, e para se defenderem os direitos das vítimas à verdade, justiça, e garantias de não repetição”, realça Bachelet.

Marlene Harbig, do Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV), discutiu o trauma sofrido por quem tem familiares desaparecidos.

As primeiras horas são as mais importantes, quando alguém desaparece, os seus familiares têm o direito de saber o que aconteceu”, refere Harbig. “Saber o destino das pessoas desaparecidas é, antes de mais, um ato humanitário”.

Apesar dos números, Bachelet salientou os progressos feitos pelo governo, tendo o México sido o primeiro país a permitir uma visita do Comité das Nações Unidas de Desaparecimentos a trabalhar com as autoridades em 13 estados mexicanos.

Tanto o CICV como a ONU solicitaram que os membros da família fossem autorizados a trabalhar com as autoridades governamentais para encontrar os seus familiares.

Michele Bachelet ainda solicitou ao governo “que coloque as famílias daqueles que desapareceram no centro dos seus esforços, e que disponibilize os recursos necessários para que as investigações e buscas sejam eficazes“.

  ZAP //

3 Comments

  1. O segundo país mais cristão do mundo (a seguir) ao Brasil (outro muito conhecido pela seguranca, etc) continua a mostrar que, quanto mais religiosos, pior!!

    • Que comparação mais descabida… Com essa “lógica” também podia tirar a seguinte conclusão: Portugal tem muita pobreza porque tem 800 km de costa marítima, logo quanto mais costa, mais pobreza… LOL…

      • Que génio…
        Tens noção que os bandidos mexicanos são dos mais religiosos do mundo?
        Com o resultado que se conhece…
        E tens dúvidas que, quanto mais religiosos são os países, mais atrasados são?
        Não é por acaso que os paises nórdicos – que não querem saber das religiões para nada – são os mais desenvolvidos do mundo!
        E o Putin, que se começou a misturar com a Igreja Russa e agora quer dominar o mundo?
        E os loucos da Igreja Russa ainda o apoiam!…
        Ou o Bolsonaro, apoiado e rodeado de igrejas/seitas religiosas que tem atrasado o Brasil ao ponto de inúmeras empresas multinacionais terem “fugido” de lá?
        Autênticos paraísos na Terra, esses sítios onde “Deus está acima de tudo”!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.