/

Já pode levar o seu cão a banhos em 90 praias. Multa por fugir às regras chega a 1200 euros

10

Há cada vez mais praias a permitir a entrada de cães, mas há regras específicas para os donos seguirem, como o uso obrigatório de trela. Quem não cumprir arrisca uma multa que pode chegar aos 2500 euros.

Ao longo dos últimos anos tem havido cada vez mais praias a permitir a entrada de cães durante a época balnear e o número já ronda as 90 no continente.

A primeira foi a Praia da Areia Norte, em Peniche, que em 2016 passou a permitir o acesso livre dos nossos amigos de quatro patas durante a época balnear, seguindo-se a Praia do Coral, em Viana do Castelo.

Em Esposende, a Praia Suave Mar e a Praia da Ramalha também permitem a entrada de cães, havendo até um circuito de limpeza com dispositivos para a apanha dos dejetos e sinais com indicações sobre onde os animais podem circular.

Já na Área Metropolitana do Porto, destaca-se a Praia de Brito em Vila Nova de Gaia, que é a única praia concessionada que está aberta para animais. Já em Oeiras, a Praia das Amoreiras é uma opção assim como a praia de Furnas-Rio em Odemira.

Um mapa criado pelo Praias para Cães mostra todas as praias do país, concessionadas ou não, que permitem a entrada de animais.

Recorde-se que há regras específicas a cumprir, principalmente nas praias concessionadas, onde os cães têm de andar sempre com o trela e caso sejam de raças consideradas perigosas, têm também de ter um açaime. Os animais feridos, a amamentar, no cio ou doentes não podem ir às praias.

Tal como em qualquer outro espaço público, realça o Público, é imperativo que os donos recolham os “presentes” que os animais larguem no areal e é importante também levar a documentação caso a Polícia Marítima a peça. Quem não cumprir as riscas arrisca-se a ter de pagar uma multa que pode chegar aos 2500 euros.

No caso dos cães de assistência, como os cães-guia para cegos, surdos ou pessoas com deficiências, o acesso é permitido em todas as praias nacionais sem restrições.

  ZAP //

10 Comments

  1. Aberrante, nojento e perigoso. É preciso ter areia na cabeça para permitir um disparate deste calibre.

      • Aqui está o exemplo perfeito da mentalidade do típico dono de cão: Desrespeito total pelos outros. Irracional. Julga-se um ser superior porque tem um cão. Meu caro, vá viver com o cão para o meio do monte, que é onde pertence. E lá poderá ladrar, fazer cocó no chão e cheirar rabos à vontade junto com o seu cão. Abstenha-se de falar pela humanidade até que seja humano.

  2. numa praia fluvial deste país os 2 cães grandes farejavam os almoços dos veraniantes e mijavam tudo quanto eram pedras e arbustos. Os donos, na boa, estavam lá mais adiante em conversas e músicas.

  3. numa praia deste país os 2 cães grandes farejavam os almoços dos veraniantes e mijavam tudo quanto eram pedras e arbustos. Os donos, na boa, estavam lá mais adiante em conversas e músicas.

  4. Não vejo qualquer razão de proibir que estes Animais de companhia passem a beira Mar com os respectivos Donos !……Isso logo que sejam instauradas Zonas delimitadas para essa Liberdade. Separadas do resto dos banhistas !..seria Simples e evitava desagrados !

  5. Sempre vi e vejo seres humanos nas praias e jardins com comportamentos bem mais incomodativos, sujos, porcos, barulhentos do que a enorme maioria dos cães acompanhados pelos seus donos. Proibir os cães quando os humanos fazem barulho, incomodam com bolas, deixam restos de comida e embalagens, nas praias como em jardins e parques onde os caninos são interditos, só demonstra falta de senso e de civismo.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.