Os lasers mais potentes que se conhecem servem para tudo (menos para destruir)

Jeff Keyzer/Wikimedia

Nas mãos de um argumentista de “séries B”, disparar os lasers mais potentes que se conhecem contra detritos radioativos seria receita para desastre, mas na verdade é das aplicações mais avançadas de uma tecnologia explicada esta quarta-feira em Lisboa pelo físico Gérard Mourou.

O laureado com o Prémio Nobel da Física em 2018 falou no Pavilhão do Conhecimento para uma plateia composta maioritariamente por estudantes do ensino secundário.

Gérard Mourou aperfeiçoou nos anos 80, com a canadiana Donna Strickland – também premiada com o Nobel da Física em 2018 –, a técnica CPA (chirped pulse amplification), que permite concentrar um raio laser até ao ponto de exercer uma pressão tão forte numa área tão pequena que seria equivalente a equilibrar “dez milhões de torres Eiffel na ponta de um dedo”.

Na abertura da conferência – e antecipando perguntas da audiência sobre o potencial militar de lasers amplificados –, o francês indicou que esta tecnologia “não seria útil para destruir coisas”, justamente porque é tão precisa e a energia é produzida “num período de tempo tão curto” que o material não tem tempo de aquecer e destruir o que está à volta do ponto de impacto.

Gérard Mourou lembrou que foi em 1960 que o físico norte-americano Ted Maiman conseguiu pela primeira vez emitir “luz coerente” e que agora, 60 anos depois, os lasers atuais são um milhão de vezes mais poderosos.

O processo envolve a emissão de uma onda ultracurta que é, através do uso de difratores, alargada para reduzir a intensidade máxima da onda. Isso permite que a onda seja filtrada por um amplificador e depois comprimida, o que aumenta muito a sua intensidade.

O físico Gérard Mourou, laureado com o Nobel da Física em 2018

“É capaz de cortar material sem o danificar por ser um período tão curto”, tornando o laser tão eficaz e preciso que tem aplicação na medicina, seja para apontar a um tumor sem danificar o tecido saudável ou aplicar radioterapia sobre um cancro ao nível molecular, referiu o físico.

Outra das aplicações da tecnologia, a que Gérard Mourou elege como a mais importante, será o combate ao lixo radioativo que resulta da produção de energia nuclear. Atingir os núcleos radioativos com lasers faz com que se desagreguem (processo de fissão), reduzindo drasticamente a sua longevidade de milhões de anos.

Referindo-se às “28 mil toneladas” de lixo e sucata que giram em órbita terrestre devido à exploração espacial e lançamento de satélites, afirmou que lasers amplificados poderão ser apontados aos pedaços mais pequenos, fazendo-os desacelerar e possibilitando que caiam na atmosfera e se desintegrem inofensivamente.

Gérard Mourou está esta quarta-feira, às 16h, numa conferência no Instituto Superior Técnico (em Lisboa), e na sexta-feira, às 14h30, na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Mais cinco mortes e 899 novos casos de covid-19 em Portugal

Portugal regista, esta sexta-feira, mais cinco mortes e 899 novos casos de infeção por covid-19 em relação a quinta-feira, mostra o boletim mais recente da Direção-Geral de Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da …

Governo de Bolsonaro bate recorde de aprovação durante a pandemia

A aprovação do Governo brasileiro, presidido por Jair Bolsonaro, subiu para 40%, a maior percentagem desde o início do seu mandato, iniciado em janeiro de 2019, segundo uma sondagem do Instituto Ibope divulgada na quinta-feira. A …

Número de casos baixa nos EUA. Na Bélgica, deixa de ser obrigatório usar máscara na rua

A pandemia tem assolado toda a população mundial, mas há países que têm sofrido mais com o aumento de número de infetados e com mortes. Apesar de serem um dos países mais afetados, os EUA …

Seis enfermeiros infetados e cirurgias canceladas no hospital de Beja

O hospital de Beja detetou esta quinta-feira seis enfermeiros do bloco operatório infetados com Covid-19 e cancelou algumas cirurgias programadas por questões de segurança, disse à agência Lusa a presidente da Unidade Local de Saúde …

Reformas na função pública subiram para 43% (e um quinto são professores)

Mais de 6.500 trabalhadores das administrações públicas aposentaram-se na primeira metade deste ano, o que representa um crescimento de 43% face ao mesmo período de 2019. A maioria das saídas deriva de áreas como a …

“Arma de diagnóstico”. Teste que distingue covid-19 de outras infeções respiratórias chega a Portugal

A Unilabs vai disponibilizar um teste que permite “diferenciar o novo coronavírus de outros tipos de infeções respiratórias sazonais”, auxiliando os clínicos a realizarem diagnósticos mais precisos. “A ideia era tentarmos ter uma ferramenta de diagnóstico …

Jovem de 23 anos morre baleada em ação da PSP. Polícias vão alegar legítima defesa

Uma jovem de 23 anos morreu, na madrugada de quinta-feira, na sequência de ferimentos causados por uma arma de fogo, após uma intervenção policial em São João da Madeira. A mulher, de 23 anos, morreu na …

PS recua nas petições e propõe 7.500 assinaturas para ultrapassar veto de Marcelo

O PS vai avançar com uma proposta de alteração que coloca nos 7.500 o número de assinaturas necessário para que uma petição seja discutida na Assembleia da República.  O objetivo do PS é contornar o veto …

Rui Rangel endividava-se, teve execuções fiscais e contas penhoradas

Rui Rangel teve vários processos de execução fiscal por falta de pagamentos de impostos e até contas penhoradas. Era o seu alegado testa-de-ferro que o ajudava a regularizar os pagamentos. Era comum o ex-juiz Rui Rangel …

Todos os dias, 500 famílias pedem à EDP para pagarem a luz em prestações

Desde o início da pandemia até ao fim de agosto, 500 famílias pediram diariamente ajuda à EDP para pagarem a fatura da luz em prestações. De acordo com o Jornal de Notícias, que avança a notícia …