/

Kepler, o caçador de exoplanetas da NASA, está a ficar sem combustível

1

JPL-Caltech / Ames / NASA

O telescópio espacial Kepler, da NASA

Na semana passada, a equipa do Kepler da NASA recebeu a indicação de que o tanque de combustível do telescópio está muito vazio. A NASA colocou-o num estado de hibernação em preparação para a transmissão dos dados científicos recolhidos durante a sua mais recente campanha de observação.

Depois da transferência dos dados, o plano é dar início às observações da próxima campanha com o combustível que resta.

Desde o dia 12 de maio que o Kepler trabalhava na sua 18.ª campanha de observação, observando uma faixa do céu na direção da constelação de Caranguejo que já tinha estudado em 2015.

Os dados desta segunda observação vão fornecer aos astrónomos uma oportunidade para confirmar anteriores candidatos a exoplaneta e para descobrir novos. A transmissão dos dados é a maior prioridade tendo em conta o combustível restante.

Para a transferência dos dados, a nave deverá apontar a sua grande antena para a Terra e transmiti-los durante o tempo previsto para a DSN (Deep Space Network), calendarizado para o início de agosto.

Até lá, a nave permanecerá num modo de segurança estável e “estacionado”. No dia 2 de agosto, a equipa comandará o despertar do telescópio do seu modo de não-utilização de combustível e manobrá-lo-á para a orientação correta a fim de transmitir os dados. Se a manobra e o download forem bem-sucedidas, a equipa começará a sua 19.ª campanha de observação no dia 6 de agosto com o combustível que restar.

A agência espacial tem vindo a monitorizar o Kepler em busca de sinais de baixo combustível e espera-se que se esgote nos próximos meses.

À medida que os engenheiros preservam os novos dados armazenados na nave, os cientistas continuam a estudar os dados já transmitidos. Entre outras descobertas, foram encontrados recentemente 24 exoplanetas nos dados da 10.ª campanha de observação, somando à crescente “colheita” de 2650 planetas confirmados.

  // CcvAlg

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.