Justiça brasileira bloqueia bens do ministro da Agricultura

Marcelo Camargo / Agência Brasil

Blairo Maggi, ministro brasileiro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Blairo Maggi, ministro brasileiro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

A Justiça brasileira anunciou esta quinta-feira que bloqueou os bens do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, e do ex-governador do Estado de Minas Gerais, Eduardo Azevedo.

Os políticos estão envolvidos em processos diferentes, mas ambos são acusados de terem cometido o crime de improbidade administrativa.

Segundo informações da imprensa brasileira, o ministro da Agricultura responde num processo em que é acusado de participar num esquema de compra de uma vaga de conselheiro do TCE (Tribunal de Contas do Estado) do Mato Grosso.

As acusações indicam que um ex-conselheiro do tribunal chamado Alencar Soares Filho teria recebido cerca de quatro milhões de reais (1,18 milhões de euros) para se aposentar antes do prazo, abrindo lugar à nomeação do ex-deputado do Mato Grosso Sérgio Ricardo de Almeida.

Esta negociação terá contado com a participação de Blairo Maggi, empresário agrónomo conhecido como “rei da soja”, segundo as investigações em curso na Justiça brasileira.

Já o ex-governador de Minas Gerais, Eduardo Azevedo, é acusado num processo que corre no Tribunal de Justiça de Minas Gerais por supostamente ter transferido cerca de três milhões de reais (880 mil euros) de empresas estatais do Estado para empresas do publicitário Marcos Valério, num escândalo de corrupção denominado “mensalão mineiro“.

Segundo as autoridades locais, o “mensalão mineiro” envolve um esquema que beneficiou a campanha de reeleição de Eduardo Azeredo ao governo estadual de Minas Gerais em 1998.

  // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.