Justiça australiana aprova cirurgia de redesignação de género a criança de 5 anos

Um rapaz australiano de cinco anos vai poder tornar-se e crescer como uma menina depois de a Justiça do país autorizar a cirurgia de redesignação sexual.

A justiça australiana aprovou este ano um pedido de um casal para remover cirurgicamente os testículos do seu filho de cinco anos, conta a BBC.

Em causa está o facto de a criança, conhecida como “Carla”, se identificar como uma menina, apesar de não ter órgãos reprodutivos do sexo feminino.

Ao tribunal, os pais explicaram que o filho nasceu com genitais com uma aparência feminina e que este demonstrava um comportamento “estereotipicamente de mulher”, que incluía, por exemplo, não gostar de ser chamado de rapaz e uma preferência por “brinquedos, roupas e atividades femininas”.

O processo, ao qual a BBC teve acesso, mostra o atestado de médicos especializados que informam que a cirurgia vai acabar com o risco de “Carla” desenvolver tumores no futuro mas que a sua fertilidade será incerta. De acordo com a equipa médica, o procedimento só deveria ser feito antes da puberdade.

No entanto, o tribunal australiano decidiu que o casal não precisa de permissão para agendar a cirurgia. Segundo o jornal The Australian, a aprovação do tribunal foi dada em janeiro deste ano mas só agora foi tornada pública.

“Considero que o tratamento médico proposto é necessário para cuidar de forma adequada e proporcional de um defeito corporal genético que, se não for tratado, representa riscos reais e substanciais à saúde física e emocional da criança”, escreveu o juiz Colin Forrest no despacho.

Ativistas questionam cirurgia

De acordo com a BBC, as pessoas que apresentam este tipo de características, como é o caso da “genitália ambígua”, são identificadas como intersexuais.

Alguns ativistas continuam a questionar a base ética destas cirurgias, que são irreversíveis, defendendo que a identidade de género é algo complexo.

Na opinião do advogado Morgan Carpenter, as crianças devem decidir a sua identidade apenas quando chegam à idade adulta.

“A designação de género é sempre apropriada. O que não é apropriado é a imposição cirúrgica de género”, disse à BBC.

Carpenter acredita que os profissionais da área jurídica e da saúde abordam muitas vezes de forma errada estas variações no desenvolvimento sexual, avaliando-as como desordens que precisam de ser corrigidas.

“Precisamos de profissionais disponíveis para que a comunidade os possa consultar e que também consigam desenvolver opções não-cirúrgicas”, defende.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Nem senhoras, nem senhores. Japan Airlines vai abolir expressões de género

A habitual saudação "senhoras e senhores" da companhia aérea japonesa vai ser substituída por saudações neutras relativamente ao género como, por exemplo, "bom dia" e "boa noite". Segundo o jornal The Telegraph, a Japan Airlines vai …

Centeno pediu e Marcelo recebeu o governador do Banco de Portugal

Marcelo Rebelo de Sousa recebeu o governador do Banco de Portugal (BdP), Mário Centeno, esta segunda-feira à tarde, a pedido deste. O chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, recebeu esta segunda-feira à tarde, no Palácio …

Vila romena reelege autarca que morreu de covid-19 dez dias antes

Os moradores de Deveselu, na Roménia, decidiram prestar uma última homenagem ao presidente da Câmara, nas eleições locais deste domingo, que morreu devido a complicações provocadas pela covid-19 dez dias antes. De acordo com a agência …

Jogador do Rio Ave recusou jogar

Matheus Reis não quis defrontar o Vitória de Guimarães porque quer sair rapidamente de Vila do Conde. Presidente anunciou suspensão do atleta. O Rio Ave apareceu no duelo com o Vitória de Guimarães (0-0) sem Matheus …

António Joaquim entrega recurso no Supremo no caso do homicídio do triatleta

O advogado de António Joaquim, condenado pelo Tribunal da Relação pelo homicídio do triatleta Luís Grilo, entregou, esta segunda-feira, no Supremo Tribunal de Justiça um recurso sobre essa decisão, defendendo a sua revogação e a …

57% dos portugueses diz que a pandemia dificultou acesso à saúde (e mais de 600 mil perderem consultas)

Mais de metade dos portugueses (cerca de 57%) considera que a pandemia dificultou o seu acesso aos cuidados de saúde, sendo a população mais idosa (69%) e os doentes crónicos (70%) quem mais manifesta esta …

“Negacionista e bem raivosa”. Livro de ex-ministro da Saúde revela reação de Bolsonaro à pandemia

O primeiro ministro da Saúde do mandato de Jair Bolsonaro, Luiz Henrique Mandetta, publicou um livro sobre o combate à pandemia no Brasil e revelou que o Presidente teve uma reação “negacionista” e “raivosa”. De acordo …

"É um génio". Futre acredita que João Félix lutará pela Bola de Ouro dentro de pouco tempo

O antigo internacional português e antigo jogador do Atlético de Madrid Paulo Futre acredita que João Felix lutará pela Bola de Ouro dentro de pouco tempo. "É um génio. Cada vez que a bola passa pelos …

Seis novos sauditas indiciados na Turquia pela morte de Khashoggi

Os seis sauditas, indiciados a alguns dias do segundo aniversário do homicídio, não se encontram na Turquia e devem ser julgados à revelia. O procurador de Istambul indiciou, esta segunda-feira, seis novos sauditas suspeitos de …

Expressões neutras e imagens de homens e mulheres. Governo quer militares a usar linguagem inclusiva

O Ministério da Defesa quer que os militares comecem a usar uma linguagem mais inclusiva e menos discriminatória nos documentos e comunicações oficiais, de acordo com uma diretiva enviada Estado-Maior-General das Forças Armadas e aos …