Jerónimo de Sousa vai pedir demissão do Governo a Cavaco Silva

Miguel A. Lopes / Lusa

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, anunciou que vai defender a demissão do Governo e a antecipação das eleições legislativas, na audiência com o Presidente da República, Cavaco Silva, na segunda-feira.

Cavaco Silva “deveria demitir” o Governo e “convocar eleições antecipadas“, sendo este “o fundamento do pedido da audiência” com Cavaco Silva, afirmou Jerónimo de Sousa em declarações aos jornalistas numa pedreira de mármore em Vila Viçosa, durante uma visita ao Alentejo este domingo, a convite da Entidade Regional de Turismo.

“Solicitámos esta audiência com o Sr. Presidente da República num quadro que consideramos da existência de uma crise política e de uma crise institucional”.

“Os mais recentes desenvolvimentos, no plano económico, mas também no plano político, este afrontamento por parte do Governo em relação ao Tribunal Constitucional, que esconde um afrontamento à própria Constituição da República, demonstra que este Governo não tem condições para continuar e que o Presidente da República, levando à letra o juramento que fez de cumprir e fazer cumprir a Constituição, obviamente que deveria levar à demissão deste Governo e à convocação de eleições antecipadas”, afirmou.

Jerónimo de Sousa não entende os “silêncios numa altura de agravamento de confronto, conflitualidade”.

A delegação do PCP para a audiência com o Presidente da República, no Palácio de Belém, em Lisboa, é composta por Jerónimo de Sousa, secretário-geral do partido, Manuela Bernardino, do secretariado do Comité Central, João Oliveira, líder parlamentar, e João Ferreira, eurodeputado comunista.

Alentejo tem “todas as potencialidades”

Em declarações aos jornalistas, em Vila Viçosa, Jerónimo de Sousa apelou à necessidade de se “aumentar a produção nacional”, considerando que, “tendo em conta os problema da dívida, só produzindo mais é que devemos menos”.

“Hoje existe uma compreensão nacional muito grande da necessidade de produzirmos mais e de aumentar o nosso aparelho produtivo, para criar riqueza”, afirmou.

O líder comunista referiu que esta visita ao Alentejo pretende demonstrar que esta região “tem todas as potencialidades desde a planície, as serras, o mar, a praia e a gastronomia”.

“Potencialidades imensas, a começar logo no subsolo, com a extração de mármores, que a par da agricultura e da extração de riquezas naturais que existem na região, através de uma componente de turismo muito importante, neste Alentejo precisamos de travar a desertificação”, acrescentou Jerónimo de Sousa.

Para o líder do PCP, “a desertificação só se trava com mais emprego, com mais produção nacional”, e esse foi o objetivo central da sua visita de hoje ao Alentejo, onde o turismo, “embora sendo transversal é uma componente fundamental para o desenvolvimento” da região.

Jerónimo de Sousa referiu, ainda, que “só uma falta de visão estratégica” permite que “o Alentejo assista a um processo de desertificação e de empobrecimento ao contrário das potencialidades que tem”.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Sem padrinhos, nem donos". Líder da JP levanta congresso centrista

O candidato à liderança do CDS Francisco Rodrigues dos Santos arrancou este sábado no congresso centrista, que está a decorrer em Aveiro, a maior ovação dos delegados, com um discurso inflamado, em defesa de um …

Quando chegaram à Europa pela primeira vez, as batatas eram "hereges"

Os espanhóis foram os primeiros europeus a encontrar batatas na América do Sul nos anos 1530. Porém, quando foram trazidas para o Velho Continente, não foram bem recebidas por todos. Depois de terem sido encontradas pelos …

Ano vai ser "inevitavelmente" de contestação social, avisa CGTP

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, disse esta sexta-feira que este ano vai ser “inevitavelmente” de contestação social se o Governo e as empresas continuarem a insistir num modelo de baixos salários. O líder da intersindical …

Maior ameaça ao crescimento português vem de Espanha

Diz o ditado popular que de Espanha nem bom vento, nem bom casamento. Mas, na verdade, o crescimento económico do país vizinho tem contribuído para puxar pela economia portuguesa. Agora, quando se prevê um abrandamento …

Cabo Verde esteve sem Internet durante 24 horas

O arquipélago de Cabo Verde voltou a ter acesso à Internet na tarde desta sexta-feira, cerca de 24 horas depois de uma instabilidade provocada por falhas no fornecedor internacional do serviço. O país tinha ficado sem …

Ventura em operação de charme no Porto depois de um atraso muito criticado no Parlamento

O deputado André Ventura, eleito pelo Chega, tem agendada para este sábado uma verdadeira operação de charme no Porto, com encontros com o presidente da Associação Comercial do Porto e com apoiantes do partido. Iniciativas …

Assistente social acusada de maltratar 14 crianças em centro de acolhimento

O Ministério Público (MP) acusa uma mulher de 46 anos, que era assistente social e diretora técnica de um centro de acolhimento na Maia, no distrito do Porto, de maltratar 14 crianças nesta instituição. De …

Marcelo não vê razão de preocupação com empresas portuguesas de Isabel dos Santos

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse esta sexta-feira ter sinais de que não há razão para preocupação nos setores económicos e empresas portuguesas nas quais a Isabel dos Santos está a vender …

Mina de lítio em Montalegre. "Impactes negativos minimizáveis” e 370 empregos

O Estudo de Impacte Ambiental (EIA) da concessão de exploração de lítio, em Montalegre, conclui que o projeto possui “impactes negativos” que, no entanto, “não são significativos”, “são minimizáveis” e de “abrangência local”. O EIA do …

Cristas faz o mea culpa e abandona o congresso. Corrida à sucessão faz-se a cinco

O 28.º congresso nacional do CDS arrancou este no Parque de Feiras e Exposições de Aveiro com o discurso da líder demissionária Assunção Cristas, que fez uma espécie de mea culpa e agradeceu aos centristas …