/

Jeff Bezos quer levar pessoas à Lua (e colonizá-la) já em 2024

(dr) Blue Origin

Jeff Bezos ao lado do Shepard, da Blue Origin

O ano de 2024, tudo indica, será o da odisseia no espaço, da Lua a Marte. Depois das promessas sobre Marte de Elon Musk, o líder da Amazon, Jeff Bezos, anunciou na quinta-feira que vai voltar a colocar o homem na Lua dentro de cinco anos.

A corrida espacial dos bilionários da tecnologia está ao rubro como nunca. A empresa espacial de Jeff Bezos, Blue Origin, quer levar pessoas à Lua até 2024. A empresa do diretor executivo da Amazon quer estabelecer uma base lunar com humanos nos próximos cinco anos, noticiou o DN Insider.

Nem de propósito, Elon Musk, o diretor executivo da Tesla, quer criar uma base em Marte e começar os primeiros voos ao planeta vermelho através da sua empresa espacial, SpaceX, a partir de 2022. O próprio anunciou já o ano passado que também quer cumprir o feito inédito de levar o ser humano a Marte já em 2024.

Voltando a Jeff Bezos, a Blue Origin divulgou agora o seu novo objetivo com o anúncio do veículo Blue Moon, uma nave espacial não tripulada que pode transportar até 6,5 toneladas para aterrar na Lua, permitindo estabelecer uma estrutura para futuras missões humanas. A empresa está a desenvolver a tecnologia há três anos, explicou o empresário.

“Recebemos um presente – esse satélite próximo da Terra chamado Lua”, disse, explicando depois que os fatores que tornam a Lua um bom alvo para as viagens espaciais, além da sua proximidade com a Terra, são a baixa gravidade e o gelo presente.

tedconference/ Flickr

Elon Musk, CEO da Tesla e SpaceX

A Blue Origin destacou o seu mais recente anúncio, apelidando-o de ser uma oportunidade de “partilhar a nossa visão de ir ao espaço para trazer benefícios para a Terra”.

Além do anúncio da nave lunar, Jeff Bezos admitiu no evento que deposita grande esperança na criação de uma espécie de naves espaciais flutuantes para futura colónias humanas na Lua.

Foram mesmo partilhados alguns desenhos e esboços para colónias espaciais propostas pelo físico Gerard O’Neill que poderiam ter uma função giratório para simular a gravidade terrestre, permitindo de forma mais capaz sustentar vida humana e vegetal.

“O que vamos ter nesta colónia é uma espécie de Maui [ilha do Havaí] nos seus melhores dias, isto durante todo o ano. Sem chuva, nem terramotos. As pessoas vão querer viver lá”, explicou um Jeff Bezos entusiasmado.

À semelhança do que a SpaceX havia feito, a Blue Origin concluiu já vários lançamentos bem-sucedidos com foguetões reutilizáveis e terá até ao final do ano tecnologia para levar turistas ao espaço.

  TP, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.