/

Japoneses querem transformar neve em eletricidade

2

Um grupo de investigadores da cidade japonesa de Aomori começaram a estudar métodos para transformar a neve em eletricidade, criando assim uma fonte de energia sustentável, capaz de colmatar falhas de energia.

Aomori localiza-se a 715 quilómetros de Tóquio e é conhecida por ser um dos locais em que mais neva no mundo. Em 2022, a neve foi tanta que as autoridades gastaram 5,9 mil milhões de ienes (42,5 milhões de euros) para remover a neve de edifícios e estradas. Os japoneses removem a neve desses locais e atiram-na ao mar.

Este processo, segundo avançou o Interesting Engineering, despende de tempo, recursos e dinheiro. Devido a isso, uma equipa de investigadores da startup Forte e da Universidade de Comunicações Elétricas (UEC), de Tóquio, propuseram uma solução para resolver o problema.

A equipa quer criar um método que transforme a neve em energia limpa e acessível. O Japan Times relatou que os responsáveis já começaram a testar essa possibilidade num edifício escolar abandonado.

Os investigadores acreditam que esta abordagem pode ser útil para muitos países europeus que passam pela mesma situação com a neve e que enfrentam atualmente uma crise energética devido a guerra entre a Rússia e a Ucrânia.

Neste projeto, a equipa japonesa vai utilizar grandes quantidades de neve e ar para alimentar uma turbina que gera eletricidade.

Os investigadores vão utilizar tubos de calor para fornecer ar frio (proveniente da neve) e ar quente (do exterior) ao líquido refrigerante que se encontra dentro da turbina. O ar exterior tem temperaturas mais elevadas do que aquele que está em contacto com a neve, devido ao facto de receber algum calor do Sol.

De acordo com a equipa, a diferença de temperatura entre o ar quente e o ar frio originará uma corrente de convecção no líquido de arrefecimento da turbina. Esta corrente acabará por fazer girar a turbina, produzindo energia.

Este método, afirmaram os autores, pode atingir a mesma eficiência que o de uma central de energia solar, de uma forma mais rentável.

Contudo, a eficácia desta alternativa depende das diferenças de temperatura. “Quanto maiores forem as diferenças de temperatura, maior será a eficiência da produção de energia”, indicou à Nikkei Asia Koji Enoki, professor e investigador da UEC.

Mas esta não é a primeira vez que investigadores tentam transformar neve em energia. Em 2019, uma equipa da universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, desenvolveu um dispositivo que poderia produzir eletricidade a partir da queda de neve. Contudo, apenas alimentava pequenos dispositivos.

A utilização de neve para produzir energia apresenta grandes desafios. Para tornar o processo possível, serão necessárias grandes instalações de armazenamento de neve. Além disso, assegurar um fornecimento contínuo de ar quente nas regiões nevadas também pode ser complicado para as empresas.

Os investigadores realizarão o seu estudo em Aomori até março, de forma a testar a viabilidade do método proposto.

  Taísa Pagno //

2 Comments

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.