Investigadores descobrem forma de travar avanço do tipo mais mortal do cancro da pele

Edgepath / Flickr

Melanoma maligno, padrão de propagação superficial

Cientistas australianos descobriram que uma combinação de novos tratamentos pode parar o avanço da forma mais mortal de cancro da pele, o melanoma, interrompendo a sua propagação para outros órgãos.

Os resultados de dois estudos realizados pelo Melanoma Institute Australia, com sede em Sydney, e publicados na revista científica New England Journal of Medicine mostraram-se bem sucedidos em pacientes com melanoma estágio III, cujos tumores tinham sido removidos cirurgicamente. Até agora, esses pacientes apresentavam um risco de 40 a 70%, considerado alto, da doença avançar e tornar-se fatal.

Com a nova pesquisa, os cientistas mostraram que é possível impedir que a doença se espalhe, efetivamente salvando vidas.

Um em cada três cancros diagnosticados é de pele, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. Embora 90% das pessoas possam ser curadas removendo o cancro primário através da cirurgia, nos outros 10% o melanoma espalha-se, porque é detetado muito tarde.

Segundo a diretora médica do instituto australiano, Georgina Long, o objetivo final de fazer do melanoma uma doença crónica e não terminal está agora muito mais próximo de ser alcançado.

“Os resultados vão mudar a forma como tratamos os pacientes com melanoma, bem como a sua qualidade de vida. Até agora, os pacientes no estágio III que tiveram os tumores cirurgicamente removidos simplesmente tinham que ficar à espera, para ver se o melanoma se espalhava. Viver com tanto medo afeta-os severamente, bem como aos seus entes queridos”, acrescentou Long.

Os investigadores realizaram dois ensaios clínicos de 12 meses, um baseado em imunoterapia e outro com terapias direcionadas. Ambos foram bem sucedidos na prevenção da propagação da doença.

Num deles, terapias específicas – dabrafenib e trametinib – bloquearam a ação de um gene, o BRAF, que é um estimulante para o melanoma. Isso não só impediu que o cancro no estágio III fosse recorrente, como aumentou a esperança de vida global dos pacientes.

O segundo ensaio clínico tratou pacientes com nivolumab ou ipilimumab, drogas de imunoterapia projetadas para “reiniciar” o sistema imunológico com o objetivo de atacar células de melanoma. Os resultados mostraram que o nivolumab, em particular, diminuiu a hipótese de recaída nos pacientes.

“Estes ensaios clínicos mostram que agora temos munições para prevenir a propagação e o avanço do melanoma, uma área crítica do comportamento da doença sobre a qual não tínhamos controlo”, disse Long.

PARTILHAR

RESPONDER

Manuel Alegre e Agustina Bessa-Luís votados para o Nobel

A Academia de Ciências de Lisboa apontou Manuel Alegre e Agustina Bessa-Luís a possíveis candidatos para receberem o próximo Prémio Nobel da Literatura, após convite do Comité Nobel da Academia Sueca. Ainda faltam alguns meses para …

Sushi e peixe cru podem provocar “anisakiasis”

As infecções por parasitas intestinais estão a aumentar com a popularidade do sushi e os riscos do consumo de peixe cru ficaram novamente ilustrados com um caso insólito. O caso foi relatado pelo médico norte-americano Kenny Banh …

Casa dos Horrores: o pai das crianças já tinha raptado a companheira

O mundo ainda está em choque com a descoberta macabra feita pela polícia da Califórnia no passado domingo. Mas o horror vem de trás. O casal David e Louise Turpin é suspeito de manter os 13 …

Fisco espanhol acusa Shakira de fraude fiscal

O fisco espanhol pediu ao Ministério Público para acusar a cantora colombiana Shakira de fraude fiscal, que terá cometido entre 2011 e 2014, noticiou hoje o jornal espanhol La Vanguardia. A administração fiscal espanhola apresentou este …

A fórmula do plástico mais resistente do mundo continua perdida

Uma invenção revolucionária que poderia deixar o mundo mais seguro. Assim foi definido o starlite, material resistente ao fogo e a altas temperaturas, cuja fórmula permanece desconhecida - e poderá estar perdida. O material foi criado …

Não, ter plantas em casa não é prejudicial para a saúde

Desde sempre que a ideia de que ter plantas em casa é prejudicial para a saúde está enraizada na mente de todos - crença, no entanto, comprovadamente errada. A ideia surgiu pelo facto de, no processo …

Deco registou quatro queixas por dia sobre compras online em 2017

A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, Deco, recebeu 1.642 reclamações sobre compras feita pela internet em 2017, numa média de quatro queixas por dia, número que sobe para 8.538 no caso da rede …

Vai passar pela Terra um "arranha-céus" a 122 mil quilómetros por hora

Um "asteróide potencialmente perigoso" dirige-se para a Terra a uma velocidade de mais de 122.000 quilómetros por hora, informou a agência espacial norte-americana NASA. O asteróide 2002 AJ129 vai aproximar-se da Terra no próximo dia 4 …

Adepto condenado por morte com very-light detido no Estádio da Luz

O homem condenado há 20 anos por causar uma morte com um very-light foi detido no sábado pela PSP no Estádio da Luz, onde estava proibido de entrar na sequência de uma condenação por posse …

Condutor bêbado adormeceu ao volante... e o seu Tesla parou sozinho

Talvez no futuro os automóveis autónomos consigam levar passageiros bêbedos até casa sem colocar outras pessoas em risco, mas por agora não se pode esperar que nem mesmo um Tesla faça isso. Já é muito …