Investigadores da Microsoft sugerem que todo o Universo é um “computador autodidata”

Uma equipa de físicos teóricos, que estão a trabalhar com a Microsoft, acredita que todo o Universo é um sistema de autoaprendizagem de leis evolutivas.

Chamado de “The Autodidactic Universe” (“O Universo Autodidata”), o artigo argumenta que as leis que governam o Universo são um sistema de aprendizagem evolucionário. Assim, explica o The Next Web, o Universo é um computador e, em vez de existir num estado sólido, perpetua-se através de uma série de leis que mudam com o tempo.

Segundo os investigadores, o Universo funciona como um sistema de aprendizagem que invoca sistemas de aprendizagem de máquina. Assim como conseguimos ensinar as máquinas a realizar funções de desdobramento ao longo do tempo – ou seja, aprender -, as leis do Universo são essencialmente algoritmos que funcionam na forma de operações de aprendizagem.

Os físicos sugerem que o Universo não começou com um Big Bang, mas sim com uma simples interação entre partículas, e aludem a essa origem humilde afirmando que “as arquiteturas de informação normalmente amplificam os poderes causais de coleções bastante pequenas de partículas”.

“Uma implicação é que, se a evolução das leis é real, é provável que seja unidirecional, pois do contrário seria comum que as leis voltassem a estados anteriores, talvez até mais provável do que encontrassem um novo estado. Isso ocorre porque um novo estado não é aleatório, mas deve atender a certas restrições, enquanto o estado passado imediato já atendeu às restrições”, escreveram os investigadores.

“Um sistema reversível, mas em evolução, exploraria aleatoriamente o seu passado imediato com frequência. Quando vemos um sistema em evolução que exibe períodos de estabilidade, provavelmente evolui unidirecionalmente”, continuaram.

Esta teoria tem consequências. Segundos os cientistas, se o Universo opera através de um conjunto de leis que, embora inicialmente simples, são autodidáticas e, portanto, capazes de evoluir com o tempo, pode ser impossível para os humanos unificar a Física.

De acordo com o artigo, as regras que governam conceitos como a relatividade podem ter tido consequências operacionais funcionalmente diferentes há 13,8 mil milhões de anos do que terão daqui a 100 biliões de anos. Isto significa que a “Física” é um alvo móvel.

Parte da teoria parece indicar que o Universo é um computador que aprende, em que as leis pelas quais é atualmente restrito não foram gravadas no seu início. Assim, não podemos reverter o Universo, como um processo, porque não existe nenhum registo verificável internamente dos seus processos.

O Futurism aponta que os cientistas exploraram ideias semelhantes à investigação feita pelo físico Vitaly Vanchurin, que defendeu que o Universo é uma rede neural massiva.

Este estudo está disponível na plataforma de pré-publicação arXiv.

Maria Campos Maria Campos, ZAP //

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Esse pessoal da Microsoft só faltou dizer que o tal Universo Autodidata está rodando alguma versão do Windows… E, pela antiguidade do Universo, deve ser o Windows 95.

RESPONDER

João Rendeiro condenado a 10 anos de prisão

João Rendeiro, antigo presidente do Banco Privado Português (BPP), foi condenado a 10 anos de prisão efetiva esta sexta-feira. O tribunal condenou o ex-presidente do Banco Privado Português (BPP), João Rendeiro, a 10 anos de prisão …

Bloqueio de migrantes. Salvini não vai a julgamento

Matteo Salvini, líder do Liga, não vai a julgamento na sequência do bloqueio do desembarque de migrantes a bordo do navio da Guarda Costeira italiana "Gregoretti", em julho de 2019. Esta sexta-feira, um tribunal italiano decidiu …

Promulgado diploma sobre acesso às praias (com alerta para novo regime de multas)

O "regime contraordenacional, que está previsto para o não cumprimento de um conjunto de regras que temos na área covid, também é aplicado" às regras relativas às praias. O Presidente da República promulgou, esta sexta-feira, o …

PCP vai votar contra reforma das Forças Armadas

Os comunistas consideram tratar-se de uma "alteração significativa" da estrutura de comando, sem dar resposta "a problemas que persistem há largos anos" na instituição militar". O PCP vai votar contra as propostas do Governo para a …

Biden diz que ataque a oleoduto veio da Rússia. Mas exclui envolvimento do Kremlin

O Presidente dos Estados Unidos (EUA), Joe Biden, afirmou na quinta-feira que o ciberataque que paralisou durante vários dias a maior rede de oleodutos do país foi proveniente da Rússia, mas exclui envolvimento do Governo …

Máscaras vieram para ficar. Mas pode haver exceções

A máscara de proteção individual vai continuar a fazer parte do nosso dia-a-dia. No entanto, pode haver exceções para os já vacinados contra a covid-19. O Governo convidou os especialistas a criarem um novo plano e …

Chega quer que agentes da PSP e GNR usem câmaras de vídeo nas lapelas e nas viaturas

O deputado único do Chega entregou esta quinta-feira um projeto de resolução no Parlamento que recomenda a colocação de câmaras de vídeo nas lapelas das fardas e nas viaturas das forças de segurança, a fim …

Em dia sem registo de mortes, Portugal contabiliza 450 novos casos

Esta sexta-feira, Portugal não regista qualquer óbito. Nas últimas 24 horas, houve 450 novos casos positivos de infeção, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Não morreu ninguém infetado com o novo …

Câmara de Torres Vedras deteta migrantes a viverem em armazéns e antigas pecuárias

Além de espaços sem condições de habitabilidade, como armazéns e pecuárias desativadas, a autarquia tem conhecimento de "casas alugadas a pessoas migrantes onde existe sobrelotação". A Câmara de Torres Vedras, no distrito de Lisboa, levantou coimas …

Parlamento aprova "direito ao esquecimento" para quem superou doenças graves

O Parlamento aprovou esta sexta-feira, na generalidade, o projeto-lei do PS que pretende consagrar o “direito ao esquecimento” para acabar com a discriminação de pessoas que tiveram cancro. O Parlamento aprovou, na generalidade, o projeto-lei do …