Inteligência Artificial ajuda cientistas a descobrir novos vírus

Os cientistas descobriram que a Inteligência Artificial pode revolucionar a forma como encaramos os vírus, esses minúsculos micróbios que desempenham um papel tão preponderante nas nossas vidas.

Os vírus estão à nossa volta e, apesar de estarem tão perto, atualmente não classificamos nem uma fração dessa enorme e diversificada população. Esses pequenos organismos, que só conseguem sobreviver dentro de um organismo vivo, podem causar estragos nos nossos corpos. Mas essa não é a principal preocupação dos investigadores.

Agora, os cientistas sabem que os vírus podem estar a desempenhar um papel crucial em “doenças não virais“, como a cirrose hepática, ou até mesmo a doença inflamatória intestinal, mas ainda não sabem como. Para lá chegarem, precisam da ajuda da inteligência artificial.

Os vírus não podem ser cultivados em laboratório. É por essa razão que os cientistas procuram novas espécies em ambientes diversos, como sistemas de esgotos. Contudo, retirar micróbios isolados da terra é um processo demasiado demorado que dificulta o entendimento dos cientistas sobre o comportamento de vírus em rápida evolução.

É aqui que a Inteligência Artificial entra em cena. Segundo o Futurism, o algoritmo é treinado para identificar padrões complexos, podendo ser usado para passar a pente fino enormes conjuntos de dados genómicos em busca de novos vírus.

O bioinformática Deyvid Amgarten, da Universidade de São Paulo, no Brasil, usou a Inteligência Artificial para identificar genomas de vírus escondidos em pilhas de compostagem no jardim zoológico da cidade.

À Nature, o especialista explicou que irá usar as suas descobertas para aprender como é que os vírus conseguem ajudar a decompor a matéria orgânica e a tornar a compostagem mais eficiente.

O seu trabalho foi inspirado por uma ferramenta construída por Jie Ren, um biólogo computacional da Universidade do Sul da Califórnia, em Los Angeles, que usou um algoritmo para examinar e comparar amostras de fezes de pessoas com cirrose hepática e pessoas saudáveis.

A sua equipa encontrou alguns vírus mais comuns em pessoas saudáveis do que naqueles com cirrose, um indício de que os vírus poderiam estar envolvidos na doença. São descobertas como esta que deixam os cientistas a ponderar se os vírus também poderiam influenciar doenças ilusórias, como a doença inflamatória intestinal.

Desde a identificação do papel dos vírus em doenças não virais, até a combinação de vírus com famílias específicas de bactérias para combater a resistência aos medicamentos, a Inteligência Artificial pode revolucionar a forma como navegamos na paisagem desconhecida desses minúsculos micróbios que desempenham um papel tão importante nas nossas vidas.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Pelo menos oito mortos e seis feridos num tiroteio em universidade na Rússia

Pelo menos oito pessoas morreram e seis outras ficaram feridas após um atirador abrir fogo hoje numa universidade na cidade russa de Perm, segundo o Comité de Investigação da Rússia citado pela agência de notícias …

Vulcão nas Canárias em erupção e destrói casas. Cinzas podem chegar à Madeira

O vulcão Cumbre Vieja, na ilha espanhola de La Palma, entrou este domingo em erupção na zona de Las Manchas, depois de mais de uma semana em que foram registados milhares de sismos na região. A …

Cientistas queriam estudar a propagação das borboletas, mas criaram uma matriosca de parasitas

Objetivo dos cientistas era perceber, através da introdução da espécie de borboletas Glanville fritillary qual o seu poder de dispersão numa ilha finlandesa. No entanto, acabaram com um retrato alarmante para todos os investigadores que …

Marcelo encontra-se em Nova Iorque com Presidentes das Maldivas e Peru

O Presidente da República tem agendados encontros bilaterais com cinco chefes de Estado, em Nova Iorque, à margem da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), entre os quais os presidentes das Maldivas e …

Erupção do Fagradalsfjall dura há seis meses. É a mais longa na Islândia em 60 anos

A erupção vulcânica perto de Reykjavik se tornou a mais longa da história da Islândia desde 1960, marcando seis meses de expulsão de gás, pedra e lava no domingo (18). Milhares de espectadores ficaram maravilhados com …

Cientistas foram à procura de matéria escura e acabaram por encontrar energia escura

Uma equipa de cientistas foi à procura de matéria escura e pode ter encontrado energia escura em vez disso. Os investigadores querem ter a certeza que não foi uma casualidade. A energia escura é uma forma …

Role play ao serviço da Ciência. Investigadores fingem ser Neandertais para estudar caça a aves

Uma equipa de investigadores espanhóis decidiu adotar a "dramatização" científica para reconstruir um novo elemento do comportamento Neandertal: a cooperação com os membros do grupo enquanto usa fogo e ferramentas para caçar gralhas no interior …

Estoril 0-1 Sporting | Figueira deu o fruto que saciou o leão

Foi preciso surgir um erro crasso do guarda-redes estorilista (até então a fazer uma belíssima exibição) para o campeão nacional poder respirar de alívio e festejar a quarta vitória na Liga, esquecendo por agora a …

A tinta mais branca do mundo ajuda a poupar energia nas casas - e pode eliminar de vez o ar condicionado

Uma equipa de investigadores da Universidade de Purdue desenvolveu uma tinta tão branca que revestir um prédio com ela pode reduzir, ou até mesmo eliminar, a necessidade de ter ar condicionado. Depois de testar mais de …

Costa promete "lição exemplar" à Galp depois de "tanto disparate" em Matosinhos

O secretário-geral do PS, António Costa, considerou hoje que “era difícil imaginar tanto disparate, tanta asneira, tanta insensibilidade” como a Galp demonstrou no encerramento da refinaria de Matosinhos, prometendo uma “lição exemplar” à empresa. Falando em …