Inteligência Artificial ajuda cientistas a descobrir novos vírus

Os cientistas descobriram que a Inteligência Artificial pode revolucionar a forma como encaramos os vírus, esses minúsculos micróbios que desempenham um papel tão preponderante nas nossas vidas.

Os vírus estão à nossa volta e, apesar de estarem tão perto, atualmente não classificamos nem uma fração dessa enorme e diversificada população. Esses pequenos organismos, que só conseguem sobreviver dentro de um organismo vivo, podem causar estragos nos nossos corpos. Mas essa não é a principal preocupação dos investigadores.

Agora, os cientistas sabem que os vírus podem estar a desempenhar um papel crucial em “doenças não virais“, como a cirrose hepática, ou até mesmo a doença inflamatória intestinal, mas ainda não sabem como. Para lá chegarem, precisam da ajuda da inteligência artificial.

Os vírus não podem ser cultivados em laboratório. É por essa razão que os cientistas procuram novas espécies em ambientes diversos, como sistemas de esgotos. Contudo, retirar micróbios isolados da terra é um processo demasiado demorado que dificulta o entendimento dos cientistas sobre o comportamento de vírus em rápida evolução.

É aqui que a Inteligência Artificial entra em cena. Segundo o Futurism, o algoritmo é treinado para identificar padrões complexos, podendo ser usado para passar a pente fino enormes conjuntos de dados genómicos em busca de novos vírus.

O bioinformática Deyvid Amgarten, da Universidade de São Paulo, no Brasil, usou a Inteligência Artificial para identificar genomas de vírus escondidos em pilhas de compostagem no jardim zoológico da cidade.

À Nature, o especialista explicou que irá usar as suas descobertas para aprender como é que os vírus conseguem ajudar a decompor a matéria orgânica e a tornar a compostagem mais eficiente.

O seu trabalho foi inspirado por uma ferramenta construída por Jie Ren, um biólogo computacional da Universidade do Sul da Califórnia, em Los Angeles, que usou um algoritmo para examinar e comparar amostras de fezes de pessoas com cirrose hepática e pessoas saudáveis.

A sua equipa encontrou alguns vírus mais comuns em pessoas saudáveis do que naqueles com cirrose, um indício de que os vírus poderiam estar envolvidos na doença. São descobertas como esta que deixam os cientistas a ponderar se os vírus também poderiam influenciar doenças ilusórias, como a doença inflamatória intestinal.

Desde a identificação do papel dos vírus em doenças não virais, até a combinação de vírus com famílias específicas de bactérias para combater a resistência aos medicamentos, a Inteligência Artificial pode revolucionar a forma como navegamos na paisagem desconhecida desses minúsculos micróbios que desempenham um papel tão importante nas nossas vidas.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Pela primeira vez em 10 anos, a Wikipédia vai mudar de aparência

A icónica Wikipédia vai, pela primeira vez em 10 anos, ser modificada para tornar o site mais acessível - e menos "assustador" - para novos utilizadores. A Wikipédia tem sido parte integrante da cultura da web …

Encontrados medicamentos ilegais em suplementos para o cérebro

Cientistas encontraram medicamentos ilegais, não aprovados nos Estados Unidos, em suplementos que alegadamente melhoram o desempenho cognitivo. Clareza mental, criatividade aprimorada e uma memória extremamente nítida são algumas das promessas feitas a quem compra suplementos de …

Voluntários oferecem-se para cumprir pena de jovem acusado de blasfémia

Num ato de solidariedade, 120 voluntários pediram para cumprir a pena de um jovem nigeriano condenado a 12 anos de prisão por blasfémia. Entre os voluntários está o diretor do Memorial de Auschwitz. Ao todo, 120 …

ADN ajuda a identificar assassino em série num dos mais infames casos da Austrália

Uma amostra de ADN ajudou a justiça australiana a considerar um homem como culpado pelo assassinato de duas mulheres na década de 1990, encerrando um caso que permaneceu sem solução durante quase 25 anos. Durante quase …

Mais 665 casos e nove mortes por covid-19 em Portugal

Portugal regista, este domingo, mais 665 novos casos positivos e nove mortes por covid-19, segundo boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Assim, desde o início da pandemia, Portugal conta com 73.604 infetados e 1.953 …

De guerreiros a anciões. Grupo étnico no Quénia faz cerimónia única de "transformação"

Milhares de homens Maasai vestidos com xales vermelhos e roxos e com as suas cabeças revestidas de ocre vermelho reuniram-se esta semana para uma cerimónia que os transforma de Moran (guerreiros) em Mzee (anciãos). De acordo …

Há 60 anos, Richard Nixon tricou uma sanduíche (e este homem guardou-a desde então)

Há 60 anos, o então vice-Presidente dos Estados Unidos, Richard Nixon, trincou uma sanduíche - e Steve Jenne, um homem que vive em Illinois, guardou-a os restos desde então. De acordo com o The New York …

Coreia do Norte adverte Sul para não procurar nas suas águas oficial assassinado

A Coreia do Norte pediu hoje à Marinha sul-coreana que deixe de entrar nas suas águas territoriais, numa altura em que Seul procura recuperar o corpo de um oficial sul-coreano morto a tiro no mar …

"Um abandonar dos utentes". Centros de saúde atiram pacientes para farmácias e privados

Sem resposta nos centros de saúde, vários utentes vêm-se obrigados a recorrer ao setor privado e a farmácias. A Entidade Reguladora de Saúde já recebeu várias reclamações. Face à pandemia de covid-19, os centros de saúde …

Polícia treinou uma cadela para farejar provas eletrónicas

No Minnesota, Estados Unidos, a polícia treinou uma cadela para farejar dispositivos eletrónicos. Sota já ajudou a encontrar provas em dez crimes. A polícia estatal do Minnesota treinou uma cadela labrador britânica para farejar dispositivos eletrónicos, …