INEM contraria norma da DGS e não testa regularmente os funcionários

António Cotrim / Lusa

O Sindicato dos Técnicos de Emergência Hospitalar denunciou, esta quinta-feira, que o INEM não testa regularmente os seus funcionários à covid-19, tal como exige a norma da Direção-Geral de Saúde (DGS).

Em declarações à Rádio Observador, Rui Lázaro, líder do Sindicato dos Técnicos de Emergência Hospitalar, denunciou que o INEM está a contrariar a norma 019/2020 da Direção-Geral de Saúde.

A norma em questão determina que se devem realizar testes PCR ou antigénio aos profissionais que prestam cuidados de saúde diretos e de maior risco de contágio em intervalos de sete a 14 dias.

“O que defendemos desde o início da pandemia é a necessidade de o INEM testar todos os profissionais de saúde, que prestam cuidados de saúde, com regularidade. Nunca o fez. E não o faz com os profissionais de saúde que têm a vacinação completa, nem com os que não têm. E segundo a norma da DGS isso é obrigatório de sete em sete dias”, afirmou o líder do sindicato.

Rui Lázaro acrescentou que o sindicato já chamou o organismo à atenção, mas que nunca obteve resposta e que portanto já está a ser preparada uma denúncia para entregar ao Ministério da Saúde e à DGS.

O responsável considera que a testagem entre os funcionários do INEM é fundamental, dando como exemplos o facto de quase toda a equipa de Portimão ter testado positivo há uns dias e de, há duas semanas, ter havido um surto numa formação realizada na região Norte.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE