Identificado o gatilho da mais recente supernova descoberta na Via Láctea

Investigadores acabam de descobrir que a mais recente supernova descoberta na Via Láctea terá surgido a partir de uma colisão entre duas anãs brancas.

Usando dados do Chandra, Observatório de Raios-X da NASA, e do VLA (Karl G. Jansky Very Large Array), os investigadores aplicaram uma nova técnica que poderá ter implicações para a compreensão de outras supernovas do Tipo Ia, uma classe de explosões estelares que os cientistas usam para determinar a velocidade de expansão do Universo.

Os astrónomos já tinham identificado a G1.9+0.3 como o remanescente da mais recente supernova descoberta na nossa Galáxia. Estima-se que apareceu no nosso céu há cerca de 110 anos, estando situada a 27.700 anos-luz numa região poeirenta da Galáxia que impede que a luz visível alcance a Terra.

A G1.9+0.3 pertence à categoria de Tipo Ia, uma classe importante de supernovas que exibem padrões confiáveis de brilho e que as tornam ferramentas valiosas para medir a expansão do Universo.

“Os astrónomos usam as supernovas do Tipo Ia como marcadores de distância em todo o Universo, o que nos ajudou a descobrir que a expansão do Universo está a acelerar”, explica Sayan Chakraborti, que liderou o estudo na Universidade de Harvard. “Se existirem diferenças no modo como estas supernovas explodem e na quantidade de luz que produzem, isso poderá ter um impacto no nosso conhecimento desta expansão”.

A maioria dos cientistas concorda que as supernovas do Tipo Ia ocorrem quando as anãs brancas, os restos densos de estrelas parecidas com o Sol que esgotaram o seu combustível, explodem.

No entanto, ainda existe um debate sobre o que desencadeia estas explosões de anãs brancas. As duas ideias principais são a acumulação de material na anã branca a partir de uma companheira estelar ou a fusão violenta entre duas anãs brancas.

Mistura de colisões

A nova pesquisa, levada a cabo com dados de arquivo do Chandra e do VLA, examina como o remanescente de supernova G1.0+0.3 interage com o gás e com a poeira à volta da explosão. A emissão de rádio e raios-X daí resultante fornece pistas sobre a causa da explosão.

Em particular, segundo trabalhos teóricos da equipa de Chakraborti, um aumento de brilho em raios-X e rádio do remanescente de supernova só é esperado se tiver ocorrido uma fusão de anãs brancas.

“Nós observámos que o brilho de raios-X e rádio aumentou com o passar tempo e, assim sendo, como o gatilho da explosão de supernova em G1.9+0.3, os dados apontam fortemente para uma colisão entre duas anãs brancas“, afirma a coautora Francesca Childs, também de Harvard.

O resultado implica que as supernovas do Tipo Ia ou são todas provocadas por colisões entre anãs brancas, ou são produzidas por uma mistura de colisões entre anãs brancas e o mecanismo em que a anã branca puxa material de uma estrela companheira.

“É importante identificar o mecanismo que desencadeia as supernovas do Tipo Ia porque caso exista mais do que uma origem, então a contribuição de cada uma pode mudar ao longo do tempo”, afirma Alicia Soderberg, outra investigadora de Harvard e coautora do estudo. Isto significa que os astrónomos têm que recalibrar algumas das maneiras que as usamos como velas padrão na cosmologia”.

A equipa também derivou uma nova estimativa para a idade (quando a supernova apareceu no céu, do ponto de vista da Terra) do remanescente de supernova, cerca de 110 anos, mais jovem do que as estimativas anteriores que a colocavam em aproximadamente 150 anos. Esta supernova foi descoberta “postumamente” em 1984, assim sendo, muitos anos depois de ter aparecido no nosso céu.

Mais progressos na compreensão do mecanismo de gatilho deverão vir do estudo de supernovas do Tipo Ia em galáxias vizinhas, usando o aumento de sensibilidade proporcionado por uma atualização recente do VLA.

O artigo que descreve estes resultados foi publicado na edição de 1 de março de 2016 da revista The Astrophysical Journal.

CCVAlg

PARTILHAR

RESPONDER

Descoberto primeiro asteróide que se move apenas dentro da órbita de Vénus

Uma rede de telescópios robóticos operados à distância observou um asteróide que, além de ser o asteróide mais próximo do Sol, é também o primeiro asteróide descoberto que se move completamente dentro da órbita de …

Mark Zuckerberg tem medo do TikTok (e já se sabe porquê)

Mark Zuckerberg já deixou claro, mais do que uma vez, que não gosta do TikTok. No entanto, agora sabemos o que está por trás desta hostilidade pelo rival: a aplicação está a crescer muito, mesmo …

A empresa mãe da Google já vale um bilião de dólares

Esta quinta-feira, a Alphabet, empresa mãe da Google, conseguiu uma cotação na bolsa de 1 bilião de dólares, cerca de 900 mil milhões de euros. A Alphabet tornou-se, esta quinta-feira, a quarta empresa norte-americana a conseguir …

Cientistas criam "cimento vivo" capaz de se "curar"

Uma equipa de cientistas dos Estados Unidos criou um "cimento vivo" juntando areia e bactérias num material de construção capaz de se auto-reproduzir, de absorver dióxido de carbono e manter a resistência. "Já usamos materiais biológicos …

Sporting 0-2 Benfica | Águia vence dérbi e foge na frente

O Benfica foi o grande vencedor do dérbi lisboeta. Na visita ao Sporting, os “encarnados” marcaram dois golos sem resposta, ambos na segunda parte, por Rafa Silva, entrado no decorrer da segunda parte, após ter …

Um em cada seis homens é vítima de abuso sexual antes dos 18 anos

Um em cada seis homens é vítima de abuso sexual antes dos 18 anos e podem levam décadas até pedir ajuda, por nem sempre aceitarem e entenderem que sofreram violência sexual. Na maior parte dos …

"Messiah", da Netflix, reacende controvérsia sobre os limites da liberdade de expressão

A série Messiah, disponível na plataforma de streaming Netflix, acende a controvérsia em torno dos limites da liberdade de expressão e da criatividade no mundo das artes e do entretenimento. Messiah, uma série produzida por Michael …

Quadro encontrado por jardineiro era mesmo a obra desaparecida de Klimt

Em 1997, Retrato de uma Senhora desapareceu da Galeria de Arte Moderna Ricci Oddi, em Piacenza. Em dezembro, o quadro foi descoberto. Estava escondido numa parede da instituição. O quadro encontrado em dezembro, escondido na reentrância …

Terramotos modificaram a geografia de Porto Rico (e a NASA mostra como)

Os terramotos que Porto Rico tem sentido desde dezembro passado, que causaram pelo menos um morto e milhões de dólares em prejuízos, estão também a mudar a geografia desta ilha das Caraíbas. A agência espacial …

Maldivas desesperam por fundos enquanto continuam a afundar

As Maldivas correm o risco de desaparecer completamente a menos que o Governo consiga aceder a financiamentos para combater a subida das águas. Atualmente, 80% do país está um metro abaixo do nível do mar. "Não …