/

Icónica Marylin Monroe de Andy Warhol bateu recordes em leilão

Sarah Yenesel / EPA

Venda estabeleceu um novo recorde para peças do século XX e para a arte feita por um artista americano.

A icónica obra de arte de Andy Warhol, datada de 1964, com uma representação da atriz Marilyn Monroe foi vendido por 195 milhões dólares num leilão, estabelecendo, assim, um novo recorde para peças do século XX e para a arte feita por um artista americano.

A Shot Sage Blue Marilyn consiste numa série de retratos que Warhol fez da atriz após a sua morte em 1962 e desde então tornou-se uma das peças mais conhecidas da arte pop.

Parte da coleção dos negociantes de arte suíços Thomas e Doris Ammann, foi vendida pela Christie’s num leilão em Nova Iorque, na segunda-feira.

Segundo o New York Times, as estimativas de pré-venda apontavam para uma venda na ordem dos 200 milhões de dólares, mas o preço base foi de 170 milhões de dólares, ao qual se somaram as taxas que estabeleceram preço final de 195 milhões de dólares.

A venda bateu o recorde anterior de uma obra de arte feita no século XX, fixado pelo quadro Les Femmes d’Alger (Versão O) de Pablo Picasso de 1955, que foi vendido  por 179,4 milhões de dólares, incluindo taxas, em 2015.

Tornou-se também a obra de arte americana mais cara vendida em leilão, um recorde que anteriormente pertencia ao quadro de Jean-Michel Basquiat de 1982, vendido por 110,5 milhões de dólares em 2017.

“Shot Sage Blue Marilyn é o pináculo absoluto da pop americana“, descreveu Alex Rotter,  presidente da Christie’s da arte dos séculos XX e XXI, numa declaração a propósito do anúncio do leilão. “A pintura transcende o género do retrato, substituindo a arte e a cultura do século XX”.

A pintura foi construída a partir de uma fotografia promocional de Monroe no filme Niagara de 1953, destacando, com cores brilhantes, os seus olhos, cabelo e lábios.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE