Hungria vs Portugal | Vitória na “batalha” de Budapeste

O campeão da Europa fez o que lhe competia e somou mais três pontos na caminhada para o Mundial 2018. Portugal foi dono e senhor do jogo em Budapeste, ante a Hungria, e arrancou uma vitória por 1-0, que poderia ter sido mais dilatada face à superioridade demonstrada.

Porém, o “autocarro” magiar e a dureza excessiva dos anfitriões não permitiram mais do que a vantagem mínima. A Suíça ganhou 3-0 na Letónia, pelo que tudo está na mesma no topo do Grupo B, mas a Selecção depende apenas de si própria para garantir o apuramento directo.

O Jogo explicado em Números

  • Portugal arrancou com grande apetite pela baliza contrária. Nos primeiros dez minutos os campeões europeus registavam 61% de posse de bola, três cantos e seis remates, embora apenas um enquadrado, da autoria de Cristiano Ronaldo. Os húngaros apenas somavam um disparo, e para fora.
  • A Hungria tentava tímidas reacções, mas Portugal respondia invariavelmente com momentos de autêntico sufoco no ataque, com lances de verdadeiro “tiro ao boneco”. Aos 25 minutos a formação lusa registava os mesmos 61% de posse, mas já 13 remates (contra três dos da casa). O problema é que apenas um foi enquadrado, sendo oito deles bloqueados pela compacta defesa magiar. Coentrão saiu aos 27 minutos, lesionado. Entrou Eliseu.
  • À meia-hora, agressão de Tamás Priskin a Pepe e cartão vermelho directo para o avançado húngaro. Portugal ficava a jogar em superioridade numérica. A verdade é que esse facto pouco ajudou à missão lusa até ao intervalo. A posse de bola aumentou e, aos 40 minutos, a turma das “quinas” tinha 64% de posse, mas mantinham-se os 13 remates. Os da casa fechavam-se “em copas” nesta altura do jogo.
  • Jogo difícil para Portugal. A formação lusa pressionou muito, perante uma Hungria totalmente remetida à sua defesa, numa estratégia de autêntico “autocarro” e uma agressividade a roçar a violência em diversos momentos do jogo. Assim, Portugal teve muita bola na primeira parte (67%), rematou muito (17), mas, sem espaços, fê-lo da forma que podia, de fora da área – registou 12 disparos de longe nesta fase.
  • Não espanta que tenha caído o recorde desta fase de qualificação europeia no que toca a remates bloqueados na primeira parte: nada menos que nove. O melhor em campo era João Mário que, descaído para a esquerda, fez três remates (desenquadrados), um passe para finalização, acertou as três tentativas de drible, ganhou sete de oito duelos e terminou com 91% de eficácia de passe – e um GoalPoint Rating de 7.0.
  • Portugal não poderia entrar da melhor forma na segunda parte. Aos 49 minutos, Ronaldo cruzou da esquerda e André Silva concluiu ao segundo poste. Estava feito o mais difícil – e a Hungria quase empatou logo a seguir. Um golo que surgiu ao 18º remate de Portugal, quarto enquadrado.
  • Os primeiros 15 minutos do segundo tempo pertenceram por completo à Selecção. O registo de 78% de posse neste período é disso demonstrativo. Para além disso, os lusos registaram quatro disparos entre o descanso e os 60 minutos, e mais três cantos.
  • Belíssimo jogo de João Moutinho. O médio do Mónaco registava um rating de 7.2 aos 70 minutos. Era o jogador com mais passes realizados (85) e certos (79), perfazendo 93% de eficácia. Somava, igualmente, 100 toques na bola, o máximo do jogo. E ainda registava cinco desarmes.
  • Longe de garantido o triunfo, Portugal ia controlando o encontro e, aos 85 minutos, somava 78% de posse no segundo tempo e 91% de eficácia de passe. Os húngaros, por seu turno, registavam somente três remates, mas todos sem enquadramento. O perigo andava longe de Rui Patrício.

O Homem do Jogo

João Moutinho parece estar de volta aos seus melhores dias. O médio foi o cérebro da vitória de Portugal em Budapeste, com uma exibição plena de inteligência e sentido colectivo. Foi o melhor em campo, com um GoalPoint Rating de 7.3, graças a números de respeito: dois remates (desenquadrados), 118 passes certos (93% de eficácia), 142 interacções com a bola (o máximo do jogo), 100% de eficácia nos passes longos (11), colocou 13 vezes a bola na área contrária e ainda fez cinco desarmes.

Jogadores em foco

  • João Mário 7.2 – O melhor no primeiro tempo, o segundo melhor este domingo. Rematou três vezes (sem enquadramento), fez três passes para finalização (uma ocasião flagrante), tentou o drible três vezes, com sucesso, e recuperou oito vezes a bola, o máximo com excepção dos guarda-redes.
  • C. Ronaldo 6.8 – Jogo esforçado do capitão luso. Fez a assistência para o golo e tentou marcar e criar desequilíbrios de todas as maneiras e feitios. Não espantam os seus números “gordos” e a menor eficácia dos mesmos: nove remates (só dois enquadrados), três passes para finalização, nove tentativas de drible (três com sucesso) e dois cruzamentos eficazes em duas tentativas.
  • André Silva 6.4 – O ponta-de-lança fez o que lhe competia e marcou o golo da vitória. Mas andou meio perdido em campo. Enquadrou os seus dois remates, fez três passes para finalização, mas perdeu seis de dez duelos, foi desarmado duas vezes e teve dois controlos de bola deficientes.
  • Danilo P. 6.2 – Bom jogo do “trinco”. Foi o segundo jogador com mais interacções com a bola (97), terminou com 93% de passes certos, fez dois passes para ocasião e esteve bem no posicionamento.
  • Bruno Alves 4.8 – O defesa esteve uns furos abaixo do habitual. Teve apenas 71% de passes certos, algo baixo para um central, e teve somente uma acção defensiva (um desarme). Ganhou, no entanto, oito dos 11 duelos aéreos em que participou.

Resumo

PARTILHAR

RESPONDER

Camisola da princesa Diana leiloada por quase 48 mil euros

A camisola de ginástica da princesa Diana, a "Princesa do Povo", foi leiloada online, esta quarta-feira, por quase 48 mil euros. Uma das sweatshirts de ginástica preferidas da princesa Diana foi leiloada online e vendida por …

Vem aí o novo supercarro elétrico da Lotus. É o mais potente do mundo

https://vimeo.com/348855966 O Lotus Evija terá quatro motores e será o supercarro elétrico mais potente do mundo com 2 mil cavalos. A sua produção está prevista para começar já no próximo ano. Depois de anos sem oferecer novidades …

Depois da Área 51, 17.000 preparam-se para "assaltar" o Triângulo das Bermudas

Quase 18.000 pessoas aderiram ao evento do Facebook "Assalto ao Triângulo das Bermudas, não nos pode engolir a todos", um projeto que parece inspirar-se num outro plano recente que visa também tomar de assalto a …

Copos menstruais são tão fiáveis como os tampões

Os copos menstruais são seguros e tão ou até mais fiáveis em termos de fugas que os tampões ou os pensos higiénicos. A conclusão chega após um primeiro grande estudo científico sobre este produto que analisa …

Empresário de Casillas condenado a quatro anos de prisão

Santos Márquez, o agente que mediou a transferência do futebolista Iker Casillas para o FC Porto, foi condenado esta quinta-feira a quatro anos de prisão, escreve o jornal espanhol El Confidencial.  O Tribunal Provincial de Palma …

Islândia está a tentar trazer de volta árvores cortadas pelos Vikings

Numa tentativa de reflorestar o país, a Islândia está a tentar trazer de volta as árvores derrubadas pelos Vikings no passado. É o país menos florestado da Europa. As árvores na Islândia são tão raras e …

Parlamento encerra trabalhos com reunião-maratona de sete ou oito horas

O parlamento encerra, na sexta-feira, a legislatura com uma reunião plenária que começa às 09:00, para vários debates e uma “maratona” de votações, e deverá prolongar-se, no total, sete a oito horas, até às 17:00. A …

EUA. Florida recruta insetos para matar plantas invasoras

A Florida, nos Estados Unidos (EUA), está a importar insetos para travar as espécies invasoras que estão a destruir as plantas do Parque Nacional de Everglades. Estes insetos parecem ser menos prejudiciais do que as …

Falcao colocado na órbita do FC Porto

O avançado do Mónaco está a ser apontado pela imprensa francesa como possível reforço do FC Porto. De acordo com o portal Le10Sport, os dragões estão no mercado a tentar garantir a contratação de Radamel Falcao, internacional …

TAP deu prémios em ano de prejuízos quando era totalmente pública

O presidente executivo da TAP disse que os prémios atribuídos relacionam-se com a melhoria de indicadores e que não é a primeira vez que a companhia paga prémios em ano de prejuízos, incluindo quando era …